GESTÃO

eSocial: faltam menos de 30 dias para empresas do Simples Nacional

Convergência Digital ... 08/06/2018 ... Convergência Digital

Dentro de menos de 30 dias, o eSocial passa a ser obrigatório para todas as empresas privadas, incluindo aquelas do Simples Nacional. E o processo - em funcionamento para as empresas com faturamento a partir de R$ 78 milhões. A nova regra obriga aos empregadores munir o eSocial com dados relativos a seus funcionários. Erros nessas informações impedirão que obrigações trabalhistas e previdenciárias sejam cumpridas mais à frente. Ou seja, multas poderão ser aplicadas.

Esses dados que abastecem o sistema serão cruzados e validados, ou não, pelo sistema. De maneira ilustrativa, o desligamento de um funcionário não será aceito pelo eSocial se antes o empregador não informou sua contratação. Além disso, nessa cadeia de eventos, será evidenciado que a empresa cometeu uma irregularidade no passado.

Em reportagem do Diário do Comércio, a contabilista Rosangela Tavares, gerente da Seteco Serviços Contábeis, lembra da necessidade de as empresas revisarem os dados cadastrais de seus empregados, que ao longo do tempo podem ter mudado de endereço, ampliado o número de dependentes, se casado.

“Os dados precisam ser entregues com rigor, pois possuem validade jurídica. Ou seja, o empregador se responsabilizará pelas informações que entregou por um período de até cinco anos”, disse Rosangela, durante palestra realizada no Conselho do Setor de Serviços da Associação Comercial de São Paulo (ACSP).

Um problema comum relatado por empresas que estão providenciando o saneamento dos dados envolve funcionários que possuem dois números de PIS. A verificação dos dados trabalhistas e previdenciários dos funcionários pode ser realizada por meio do Cadastro Nacional de Informações Sociais (Cnis).É possível alterar eventuais dados incorretos de maneiras online, pelo portal do eSocial, que disponibiliza um módulo de qualificação cadastral. Para tanto é preciso ter certificado digital. Poderão ser alterados nome, data de nascimento, CPF e Pis/Nis dos trabalhadores. “Se faltar informação de um funcionário, o eSocial não vai fechar a folha da empresa”, adverte Rosangela Tavares.

A promessa do governo é que quando o eSocial estiver completamente implantado serão substituídas 15 obrigações que hoje os empresários enviam periodicamente aos diferentes órgãos. O sistema irá fazer as vezes da Guia de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e de Informações à Previdência Social (GFIP), Relação Anual de Informações Sociais (RAIS), Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e Declaração do Imposto sobre a Renda Retido na Fonte (DIRF), entre outras obrigações.

Fonte: https://dcomercio.com.br/categoria/leis-e-tributos/a-partir-de-julho-o-esocial-vale-para-todas-as-empresas


Carreira
Blockchain Academy promove curso online para descomplicar a tecnologia

Desenvolvido em parceria com a Mosaico University, curso começa em 15 de abril e vai tratar de temas como smart contracts, protocolos de computador autoexecutáveis e sobre programas de crowdfuding pelo blockchain.

Serpro: decisão do TST não resulta 'em condenação pecuniária ou prejuízo'

Estatal diz que a decisão proferida no Mandado de Segurança, julgado pelo Tribunal, discutia apenas "a legalidade da determinação de penhora de créditos para garantia do juízo".

eSocial: Receita faz advertência às empresas do grupo fora do Simples

Fisco adverte aos empregadores do grupo 2, aqueles com faturamento entre R4 4,8 milhões e R$ 78 milhões, sem serem optantes do Simples, para o cumprimento da quata fase: a substituição da GFIP para recolhimento de Contribuições Previdenciárias referente a competência de abril/2019

General assume diretoria de operações do Serpro

Antonino dos Santos Guerra, veterano no comando de áreas relacionadas às tecnologias de informação e comunicações. Ele substitui Iran Martins Porto Junior, que vai para a diretoria de desenvolvimento.

eSocial: falhas estruturais da base do governo preocupam, adverte a FENACON

Falha na rede do Serpro - que determinou um atraso na entrega da documentação por parte das empresas - não foi provocada por alta demanda, mas por instabilidade que atingiu outras aplicações do governo. "O movimento é extremamente maior do que tudo que já vimos", adverte o presidente da entidade das empresas contábeis, Sérgio Approbato Junior.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G