Home - Convergência Digital

Gigantes globais de tecnologia derrubam salários

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 04/07/2018

Empresas “superfamosas” de tecnologia em rápido crescimento estão assumindo uma crescente participação na renda nacional em muitos países, deixando o crescimento geral de salários dos trabalhadores reprimido, informou nesta quarta, 4/7, a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

O grupo de países de alta renda que integra a OCDE viu os níveis de emprego retornarem ao período pré-crise de 2008, mas não há crescimento no nível salarial, embora as condições de muitos mercados de trabalho tenham se tornado mais apertadas que antes, disse a entidade no evento anual Employment Outlook.

Um legado da crise econômica global de 2008-2009 é que muitos trabalhadores foram forçados a aceitar empregos com remuneração mais baixa depois, o que pesou sobre o crescimento dos salários em geral. Outro fator em jogo, segundo a OCDE, é que os ganhos de produtividade na maioria das economias não mais se traduzem em salários mais altos para todos os trabalhadores como acontecia no passado.

Nesse cenário, a OCDE sugeriu que as chamadas empresas “superfamosas” podem ser parcialmente culpadas pelo fraco crescimento dos salários, que desacelerou, em média, para 1,2% nos países membros do grupo depois de descontada a inflação, de 2,2% antes da crise. Segundo a entidade, boa parte do aumento de produtividade é gerada por um pequeno número de empresas inovadoras que investem massivamente em tecnologia, mas empregam poucos trabalhadores em relação a outras companhias mais tradicionais.

Como resultado, a participação geral da renda nacional indo aos trabalhadores, em vez dos investidores, caiu em média na OCDE, liderada por Estados Unidos, Irlanda, Coreia do Sul e Japão. “Um desafio importante para regulação do mercado de produtos e política de competitividade no futuro será impedir que os participantes dominantes emergentes se engajem em práticas anti-competitivas”, disse a OCDE.

* Com informações da Reuters

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

16/07/2018
Apenas 15% dos graduados no Brasil são da área de Tecnologia

13/07/2018
Governo vai adotar índice próprio para corrigir contratos de TI

04/07/2018
Gigantes globais de tecnologia derrubam salários

15/06/2018
5G é pivô do clima mais pesado entre Estados Unidos e China

17/05/2018
Jovens brasileiros temem ser descartados pela Tecnologia

16/02/2018
Núcleo para startups é aposta para inaugurar parque tecnológico no DF

18/01/2018
TI nacional movimentou R$ 34 bilhões em fusões e aquisições

26/10/2017
Ex-presidente do ITI analisa sociedade da informação em livro

26/06/2017
Investimentos em TI no Brasil ficaram em R$ 115 bi em 2016

31/08/2016
Em carta à Europa, Apple diz que é a empresa que mais paga impostos no planeta

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como a expatriação fortalece empresa e funcionários?

Por MarcosSantos*

O processo, que consiste em enviar profissionais para trabalhar na unidade da mesma empresa em outro país, promove uma troca de conhecimento entre a equipe da unidade estrangeira e novo colaborador, uma experiência enriquecedora de ampliação de  expertises e de uma nova atmosfera de trabalho.

Destaques
Destaques

Brasileiro revela pavor de perder o emprego

Estudo da Confederação Nacional da Indústria mostra que os profissionais brasileiros nunca ficaram tão preocupados com o emprego quanto agora. Sentimento cresce entre os homens, mas são as mulheres as mais assustadas com a possibilidade de demissões.

Profissional do futuro simplesmente não existe

A advertência foi feita pela futurista Lala Deheinzelin, criadora do movimento "Crie Futuros". Segundo ela, já não se pode mais pensar em uma profissão ou em um profissional. É preciso imaginar células, cada uma com sua capacidade. A união de todas elas é que será, de acordo com a especialista, capaz de nos levar a um mundo desejável.

Flexibilização no trabalho: prática bem longe da realidade no Brasil

Pesquisa mostra que 75% dos brasileiros ainda trabalham no formato tradicional: no escritório e no horário comercial. Estudo mostra ainda que 58% das empresas não fornecem recursos suficientes para viabilizar o home office.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site