Home - Convergência Digital

Oi e TIM ampliam acordo de compartilhamento de radiofrequências

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 12/07/2018

A Anatel aprovou nesta quinta-feira, 12/7, um novo aditivo ao acordo de compartilhamento de infraestrutura e radiofrequência entre Oi e TIM, originalmente firmado em 2013 para uso comum de estações radio-base em 2,5 GHz, mas que agora também vai envolver a partilha da própria radiofrequência, além de incluir também a faixa de 1,8 GHz.

“Compartilhamento é essencial para a redução de custos. Em um cenário de Ebitda estável ou decrescente, associada a maior exigência de investimentos, esse modelo tem sido adotado tanto no Brasil como em outros países. É positivo para o interesse público pois possibilita ofertas mas atrativas e maior qualidade, visto que há reduções tanto de Opex quanto Capex, menor impacto urbanístico, modernização das redes e ganhos na cobertura 4G”, defendeu o relator do pedido, Leonardo Morais.

Tecnicamente, o compartilhamento se torna mais intenso com o novo aditivo. As empresas já se valiam do modelo conhecido como MORAN, que envolve o acesso compartilhado e faixas dedicadas, mas que na engenharia era muito mais uma partilha de equipamentos, notadamente quando da instalação do 4G nas cidades-sede da Copa do Mundo de 2014. Agora vão se valer também do modelo MOCN, de engenharia para o compartilhamento de um conjunto de frequências.

Na análise da Anatel, o acordo de RAN Sharing (ou partilha de recursos de acesso) iniciado em 2013 não resultou em nenhum tipo de concentração do mercado e a nova autorização mantém a premissa de independência mercadológica entre as prestadoras envolvidas. “É interessante que o mercado esteja amadurecendo nesse sentido, porque favorece a cobertura de áreas desprovidas”, afirmou Morais.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

11/12/2018
Oi prorroga prazo para aumento de capital

11/12/2018
Guerra fria na Telecom Italia, dona da TIM, ganha novo capítulo 'sangrento'

07/12/2018
Anatel aprova troca no Conselho de Administração da Oi

06/12/2018
Instituto TIM seleciona três startups para torneio de tecnologia de Harvard e MIT

05/12/2018
Oi assina com a Nokia contrato de cinco anos por FTTH e 5G

03/12/2018
TIM é a primeira operadora a gerar Biogás para consumo próprio

03/12/2018
Oi prevê investir R$ 7 bilhões até 2021

29/11/2018
Oi seleciona startups para programa de aceleração do Oito

29/11/2018
TIM está há 11 anos na carteira do índice de sustentabilidade empresarial

27/11/2018
TIM supera a marca de 10 milhões de clientes usando VoLTE

Destaques
Destaques

5G exige pelo menos 100 MHz para cada operadora no Brasil

O tema preocupa a coordenação de espectro do 5G Brasil, uma vez que foram destinados 300 MHz na faixa intermediária e há quatro operadoras nacionais.

Segurança cibernética é crítica para o avanço do 5G

O tema é considerado polêmico - até em função das questões políticas que o envolvem como a briga China x EUA -, mas precisa ser debatido, observa Gustavo Correa Lima, engenheiro do CPqD.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site