INCLUSÃO DIGITAL

TCU atende teles e suspende contrato entre MCTIC e Telebras para Gesac

Luís Osvaldo Grossmann ... 25/07/2018 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União acatou nesta quarta, 25/7, os argumentos das operadoras de telecomunicações, representadas pelo Sinditelebrasil, e mandou suspender o contrato que o Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações firmou com a Telebras para fornecer conexões via satélite dentro da reestruturação do programa Gesac, que atende comunidades isoladas.

Em liminar, a relatora do pleit, ministra Ana Arraes, aceitou a tese de que as conexões prestadas por um consórcio de empresas privadas- Embratel, Oi e Telefônica - são equivalentes ao que começou a ser fornecido pela estatal. Por isso, não haveria sentido na decisão do MCTIC em contratar a Telebras com inexigibilidade de licitação.

Segundo as teles, “os critérios adotados pelo MCTIC para caracterizar a contratação direta da Telebras por inexigibilidade não estão compatíveis com a realidade e as condições do mercado, de forma que o processo de contratação foi direcionado indevidamente à empresa estatal e sem justificativa plausível, em uma situação em que deveria haver processo licitatório com a oportunidade de participação de diversas empresas do setor de telecomunicações”.

Sustentam ainda que o novo contrato do Gesac, agora com a Telebras, por R$ 663,5 milhões, é continuação do que já é prestado pela iniciativa privada. “Esta nova contratação de serviços de banda larga nada mais é que a continuidade de outra já existente - em nada se relacionando com a contratação de satélite. O que a iniciativa privada naturalmente esperaria do MCTIC seria a instauração de um procedimento de licitação para atendimento desta nova demanda.”

As operadoras apresentaram um quadro comparativo entre o contrato de 2014, firmado com as teles por R$ 158 milhões, no qual sustentam tratar-se do mesmo objeto com o acerto firmado com a estatal. Não há nele menção, no entanto, de que a tecnologia é distinta, o que tem impacto no serviço prestado e especialmente na velocidade das conexões. Nem que o número de pontos atendidos passou de 6 mil para 15 mil.

A ministra relatora foi convencida pelo argumento de que as conexões em banda Ka poderiam ser substituídas por uma combinação de outras tecnologias, inclusive a banda Ku. “O Ministério focou em especificar o meio para o atendimento ao fim desejado, ou seja, acesso satelital em banda Ka em nível nacional, sendo que tal decisão restringiu indevidamente a prestação do serviço, de modo a direcionar a contratação para a Telebras, mediante condição artificial de inexigibilidade.” O relatório que sustenta a liminar não menciona, porém, que no lugar de conexões que não chegam a 1 Mbps, o novo contrato exige acessos de, no mínimo, 10 Mbps.

O TCU espera ouvir o que tem a dizer o MCTIC nos próximos 15 dias. Em nota, o ministério “destaca a importância do Gesac para prover o acesso em banda larga em regiões desassistidas e o cumprimento de política pública fundamental para a população, em unidades de saúde, escolares, áreas quilombolas e outras. O Ministério ressalta que não teve ainda acesso a despacho do Tribunal de Contas da União, e quando tiver, avaliará as medidas cabíveis junto ao órgão, no sentido do emprego do Satélite Geoestacionário de Defesa e Comunicações Estratégicas para a oferta de acesso à banda larga a serviços públicos e à população”.


Infovias compartilhadas são estratégicas para ampliar a banda larga

Governo costura uma agenda de ações para massificar o acesso à conectividade no Brasil, entre elas está a revisão do fomento para as cidades inteligentes, revela o secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Menezes. Política governamental será debatida no Brasscom TecFórum, que acontece nos dias 24 e 25 de abril, em Brasília.

Embratel instala 15 mil novos hotspots gratuitos de Wi-Fi em Pernambuco

Operadora explica que serão 12500 pontos Wi-Fi instalados em órgãos do governo do Estado e aproximadmente 3000 direcionados para praças e locais públicos. Iniciativa faz parte do programa Pernambuco Conectado, que tem investimentos previstos de R$ 180 milhões.

Para Cade, não houve abuso das teles em questionar contrato da Telebras

Estatal acusou Sindisat, Sinditelebrasil e a amazonense Via Direta de ligitância de má-fé nas disputas judiciais pelo uso do satélite nacional. Para órgão antitruste, aões não eram infundadas.

Anatel empurra para abril decisão sobre uso das sobras da TV Digital

Grupo com teles, TVs, governo e agência tem até aqui três propostas distintas de como aplicar os estimados R$ 877 milhões.

Renegociação dobra fatia da Telebras em acordo com Viasat

“Aparentemente a negociação foi conseguida e vamos analisar a proposta em pouquíssimo tempo. Temos toda a pressa para permitir que o satélite seja eficaz”, afirma o ministro do TCU, Benjamin Zymler.

Viasat alega que TCU já atestou legalidade do contrato com Telebras

Para empresa americana, agravo contra o acordo movido pela Procuradoria Geral da República é baseado em mal entendidos.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G