TELECOM

Guerra das teles com Telebras mira R$ 5 bilhões em contratos de governo

Luís Osvaldo Grossmann ... 10/08/2018 ... Convergência Digital

Em disputa com a Telebras por conta dos contratos que a estatal tem abocanhado junto ao governo federal, as operadoras de telecomunicações não tiveram uma boa semana e perderam disputas judiciais que tentam impedir a contratação direta por órgãos públicos. Na mais recente, o Tribunal de Contas da União negou uma cautelar para suspender cinco deles.

Por meio do Sinditelebrasil, as operadoras queriam interromper acordos firmados pela estatal com os ministérios da Defesa e do Trabalho, a Agência Nacional de Transportes Terrestres, além de Ibama e Dataprev. Para as teles privadas, a contratação direta da Telebras para prestar serviços de telecomunicações é ilegal.

Mas depois de suspender o contrato da estatal com o Ministério de Ciência e Tecnologia, Inovações e Comunicações sem ouvir nem governo, nem estatal, a ministra Ana Arraes rejeitou os novos pleitos das empresas, desta vez depois de receber as réplicas governamentais. Segundo entendeu, não há elementos suficientes para considerar caracterizados os pressupostos cautelares.

Trata-se, literalmente, de uma disputa bilionária. É que projeções internas da Telebras calculam que a estatal poderá ficar com R$ 5 bilhões em contratos com órgãos públicos ao longo dos próximos cinco anos. Por isso, as teles privadas tentam, por meio de diferentes frentes, atacar os principais instrumentos legais que estão sendo usados pelo governo para os acordos com a estatal.

As empresas questionam o uso dos Decretos 7175/10, que criou o Plano Nacional de Banda Larga, e 8135/13, elaborado no rastro das denúncias do ex-espião Edward Snowden e que determinou aos órgãos públicos o uso de redes de empresas do próprio governo para o provimento de redes seguras e serviços de tecnologia da informação.

Até aqui, as teles conseguiram uma liminar do TCU para suspender o contrato do Gesac, de R$ 663 milhões. Mas uma ação proposta diretamente pela Oi contra um contrato da Telebras com a Dataprev, de R$ 292 milhões, foi negada pela Justiça Federal. Firmado para a conexão de todas as agências do INSS do país, o contrato também foi um dos questionados nesta nova ação junto à Corte de Contas, também com cautelar rejeitada.


Internet Móvel 3G 4G
Qualcomm é multada em mais de R$ 1 bilhão por prática antitruste na Europa

“O comportamento estratégico da Qualcomm impediu a competição e a inovação no mercado”, afirmou a comissária de concorrência da União Europeia, Margrethe Vestager, ao justificar a aplicação da multa. A Qualcomm vai recorrer da decisão.

Veja edição 12 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 12
Especial 20 Anos de Internet no Brasil


Há 20 anos os provedores de Internet escrevem suas histórias no País. A trajetória não foi nada fácil. Houve decisões políticas e econômicas significativas. Infraestrutura, modelo de negócios e fidelização de clientes foram relevantes no passado e continuam sendo no presente. Ao longo de duas décadas, os ISPs tiveram de se reinventar diversas vezes para não deixar de existir.

Clique aqui para ver outras edições

Governo autoriza aumento de capital da Telebras de R$ 1,17 bilhão

Montante é reflexo dos aportes autorizados em 2015, 2016, 2017 e 2018, quando a estatal estava ainda em acerto financeiro do satélite geoestacionário de defesa e comunicações. 

Comissão aprova prazo de seis meses para instalação de bloqueador de celular em presídios

Relator do projeto retirou o dispositivo que condicionava as novas outorgas de telecomunicação à instalação, ao custeio e à manutenção dos bloqueadores pelas prestadoras.

Com Smart, Algar Telecom fica com 1.100 Km de rede própria em Pernambuco

Compra da Smart Telecomunicações foi concluída e empresa tem previsão de investir R4 78 milhões na região Nordeste nos próximos cinco anos.

Entidades rebatem Anatel e lançam carta contra o PLC 79/16, o projeto que muda telecom

Em contraponto à agência reguladora, entidades de defesa de consumidores e de direito à comunicação criticam o PLC 79/16, alegam que a proposta favorece a concentração e reduz o poder da União de exigir investimentos em banda larga. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G