Home - Convergência Digital

Realidade Virtual para arquitetos e designers chega com exclusividade em Brasília

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 12/09/2018

O mercado global de realidade virtual (VR, a sigla em inglês) deverá alcançar em 2022, US$ 26, 89 bilhões, de acordo com a Zion Market Research, o que representará um crescimento de 54% frente às vendas globais de US$ 2 bilhões em 2016. Se os games foram os primeiros a adotar essa tecnologia, a realidade virtual passa a ser incorporada por empresas dos mais diferenciados ramos, como marketing, saúde, educação.

E acaba de nascer em Brasília uma empresa que aposta nesta plataforma, com a adoção da realidade imersiva além da digital, para o mercado de arquitetura, design e paisagismo. Segundo Diego Aquino, CEO da Arqtect, realidade virtual imersiva é diferente da VR porque, com ela, o usuário tem o controle de onde está e para onde vai com seu avatar, ao contrário da realidade virtual do Google Maps, por exemplo. " Quem vai para os lugares é o usuário que está no comando, e não quem fez o projeto do software", explica ele.

Se o Brasil é atualmente o quarto maior mercado consumidor de games – segundo o Ministério da Cultura, são mais de 66 milhões de gamers – a Capital do país é uma grande referência em arquitetura (Patrimônio Mundial) e, conforme pesquisa realizada pela empresa, conta com mais de quatro mil profissionais de arquitetura e design. "Por isso, decidimos trazer essa nova tecnologia para Brasília", explica Aquino, não sem antes assinalar que nasceu e cresceu na cidade, formando-se em arquitetura nos Estados Unidos.

Na Arqtect, foi criado um espaço para que os profissionais e seus clientes não apenas "entrem" nos projetos arquitetônicos virtuais, mas também possam, depois da experiência, compartilhar suas impressões. " É quase um espaço para co-working, que ficará disponível para aqueles que se associarem", explica Aquino. Além da viagem na realidade virtual imersiva, a empresa oferece aos parceiros imagens renderizadas, imagens panorâmicas em 360º e gravações em full HD dos passeios virtuais realizados. A empresa importou também poderosos computadores portáteis, que podem ser transportados para qualquer cidade brasileira, para atender aos projetos de seus parceiros. Maiores informações podem ser obtidas em: www.arqtect.com.br @arqtect_vr no instagram

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/09/2018
Brasil falha na capacitação de mão de obra para indústria 4.0

12/09/2018
Realidade Virtual para arquitetos e designers chega com exclusividade em Brasília

04/09/2018
Wayra, da Telefônica, e Liga Ventures vão acelerar o programa BNDES Garagem

30/08/2018
Hackathon de aplicações voltadas à indústria 4.0 têm prêmios de até R$ 6 mil

27/08/2018
MCTIC terá bônus tecnológico de R$ 2 milhões para inovação nas PMEs

10/08/2018
Prefeitura de São Paulo lança prêmio para fomento à inovação

06/08/2018
Empreendedorismo brasileiro não pode ficar refém de 'sabores políticos'

24/07/2018
Brasil tem 117 startups de Tecnologia da Informação

13/07/2018
Finep vai investir até R$ 280 milhões em infraestrutura brasileira de pesquisa

10/07/2018
Brasil fica atrás do Chile, Costa Rica e México, mas sobe cinco posições em ranking de Inovação

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como a expatriação fortalece empresa e funcionários?

Por MarcosSantos*

O processo, que consiste em enviar profissionais para trabalhar na unidade da mesma empresa em outro país, promove uma troca de conhecimento entre a equipe da unidade estrangeira e novo colaborador, uma experiência enriquecedora de ampliação de  expertises e de uma nova atmosfera de trabalho.

Destaques
Destaques

Empregos em TI dobram em 10 anos e passam de 500 mil no Brasil

O Panorama do Setor de TICs 2018, elaborado pela Assespro Nacional, em parceria com a Assespro Paraná e a Universidade Federal do Paraná avaliou o período de 2006 a 2016. São Paulo lidera com 43% dos empregos, bem à frente dos demais Estados.

Decisão do STF a favor da terceirização não respalda a pejotização

Advogados procurados pelo portal Convergência Digital sustentam que a dispensa de empregados para a contratação como terceirizados pode caracterizar a subordinação e punição à corporação

'Jogo de cintura' não é balela. É sobrevivência

Mas toda flexibilidade exige limite. Um profissional precisa ter uma meta, um plano de carreira bem claro. A inflexibilidade também tem um custo para o profissional que se recusa a ver os novos tempos.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site