NEGÓCIOS

Nos EUA, empresa só fará seguro de vida para quem usar sensores vestíveis

Convergência Digital ... 20/09/2018 ... Convergência Digital

Uma grande empresa de seguros dos Estados Unidos, a John Hancock, anunciou não vai mais trabalhar com contratos tradicionais e a partir de agora só vai vender seguros de vida para quem usar dispositivos ‘vestíveis’ com sensores e monitoramento por smartphones.

Criada em 1862, a empresa foi comprada pela canadense Manulife em 2004. E já foi a primeira do mercado americano, desde 2015, a criar uma linha de seguros específica para usuários de ‘wearables’. 

Segundo a seguradora, esse tipo de apólice já vai se tornando comum em mercados onde atua sua parceira comercial, a Vitality, que vende seguros também exclusivos para quem usa sensores corporais na África do Sul e no Reino Unido.

Até aqui a prática mais comum tem sido dar descontos aos segurados que usam traquitanas eletrônicas como Fitbit ou Apple Watch. Os novos seguros poderão prever a transferência de dados dos sensores por aplicativo, mas haverá modalidade sem a coleta de informações, mas com descontos na compra desses aparelhos.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

Empresas nacionais de software contábil se unem e criam a Joint Venture

SCI, Tron, Mastermaq, Fortes e a empresa de sistemas de gestão ERP na nuvem Omie seleram um acordo para criar a Joint Venture, que entra em operação no começo de 2019, com aporte de R$ 40 milhões.

Uber pagará R$ 500 milhões para encerrar caso de vazamento de dados de 57 milhões de usuários

Empresa vai pagar a 50 Estados norte-americanos para por um ponto final no caso, que aconteceu em 2016, mas só foi revelado no final de 2017.  Os dados de 196 mil brasileiros também vazaram. O valor acertado é o maior da história.

Demora do INPI deixa marca iPhone grátis para Apple no Brasil

Sete anos antes da fabricante americana lançar o aparelho, brasileira Gradiente pediu registro da marca no Brasil. INPI, no entanto, só concedeu o registro em 2008.

BRPhotonics: sem dinheiro, morreu o sonho de fazer chip no Brasil

Ativos da companhia foram vendidos para três empresas. Os R$ 15 milhões aportados pela FINEP não sustentaram o negócio.

TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G