NEGÓCIOS

Cabo submarino que conecta Angola ao Brasil está pronto para ser ativado

Convergência Digital* ... 03/10/2018 ... Convergência Digital

A NEC Corporation e a Cabos de Angola SA anunciam que a fase de construção do primeiro sistema de cabos submarinos do mundo por meio do Atlântico Sul foi concluída e que a estrutura está pronta para iniciar os trabalhos. O Sistema de Cabo do Atlântico Sul (SACS) conecta Angola e Brasil, ligando diretamente o continente africano à América Latina e permitindo transmissões de dados internacionais de alta velocidade e grande capacidade, o que estimulará o comércio e o crescimento econômico em ambas as regiões.

A fim de atender à crescente demanda de tráfego de banda larga, móvel, radiodifusão e empresas que cruzam o Atlântico Sul, o SACS contará com as mais recentes tecnologias de transmissão óptica e cabo de 4 pares de fibra de alta qualidade, com capacidade inicial de 40Tb. O sistema, que chega à estação de cabos de Sangano, em Angola, perto da capital de Luanda, fornecerá a conectividade subsequente para o centro de dados da Angonap. No Brasil, o SACS terminará em um data center recém-construído, que foi implantado para este projeto e que conecta o Brasil aos EUA.

O empreendimento pertence e é operado pela Angola Cables, que também gerencia o data center, em Fortaleza, de propriedade majoritária da empresa, junto com investidores locais, e a Angonap. Desta forma, Angola contará com uma conexão direta com o Brasil e com os Estados Unidos, por meio do SACS e de outro cabo, aumentando a atual conectividade entre as suas regiões, que anteriormente passava pela Europa.

O SACS foi parcialmente financiado pelo Banco do Japão para Cooperação Internacional (JBIC), devido a um contrato de empréstimo em crédito do comprador com o Banco de Desenvolvimento de Angola (BDA), a instituição de desenvolvimento estatal do país. O empréstimo foi co-financiado com a Sumitomo Mitsui Banking Corporation (SMBC) e a Nippon Export and Investment Insurance (NEXI), fornecendo seguro para a parte financiada pelo SMBC.

"Nossa ambição é transportar dados da América do Sul e Ásia por meio do nosso hub africano. Utilizando o SACS, juntamente com os projetos de cabos submarinos Monet e WACS, vamos fornecer uma opção de conectividade mais eficiente entre a América do Norte, Central e do Sul para a África, Europa e Ásia", afirma Antonio Nunes, Diretor Executivo da Angola Cables.

A NEC já implantou um total de mais de 250 mil quilômetros de cabos submarinos, o equivalente a seis viagens ao redor da Terra. Como um integrador de sistema completo, a NEC produz cabo óptico submarino, repetidores ópticos submarinos e equipamentos para transmissões ópticas, além de realização de pesquisas oceânicas e design de rota, dispondo de profissionais experientes na entrega desses sistemas.


Avanço dos hackers vai fazer brasileiro comprar mais seguros

O brasileiro faz seguro de bens materiais, mas está começando a entender que é preciso também proteger seus dados devido ao avanço dos crimes cibernéticos, observa o diretor da Capgemini Marcio Gropillo. Seguradoras correm contra o tempo para se adaptarem às novas demandas.

Facebook une 27 empresas, lança moeda virtual Libra e invade espaço dos bancos

Rede social pretende lançar a moeda no primeiro semestre de 2020. Microsoft, Uber e Vodafone estão na iniciativa.

Pegasystems chega ao Brasil para brigar pelo mercado de CRM e IA

Norte-americana, que atuava por meio de parceiros, abriu operação local e tem como objetivo rivalizar com Salesforce, IBM e Oracle. Empresa também quer atuar com prestadores de serviços de TI.

BRQ: desafio é pensar o negócio de forma diferente para entender a dor do cliente

O CEO e fundador da prestadora de serviços de TI, Benjamin Quadros, diz que a maneira de fazer software mudou muito nos últimos 20 anos e segue mudando por conta da disrupção digital. Mas adverte para a falta de bons profissionais.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G