INTERNET

Bolsonaro espanca adversários em game vendido no Steam

Luiz Queiroz ... 09/10/2018 ... Convergência Digital

Desde o último dia 5 de outubro, véspera da votação do primeiro turno das eleições para Presidente da República, está sendo vendido na plataforma mundial de games Steam pelo preço de R$ 8,91. Trata-se do game "Bolsomito 2k18 (leia 2018)". O jogo consiste em o jogador ajudar o personagem e candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro, a espancar mulheres, negros, nordestinos, petistas e as minorias LGBT.

O jogo é atribuído a uma startup denominada "BS Studios", cujo único perfil visível na Internet acabou apagado numa página do facebook, após a polêmica criada com o lançamento do game. O jogo já ganhou 80 avaliações de supostos players, sendo que 88% delas são consideradas "positivas" em termos de jogabilidade, com algumas recomendações de melhorias e outras de apoio do candidato Bolsonaro.

Seus desenvolvedores ao qualificarem a proposta no Steam alegam que o game deixará o jogador "preparado para enfrentar os mais diferentes tipos de inimigos que pretendem instaurar uma ditadura ideológica criminosa no país". E encerram o comentário afirmando que o game promete "muita porrada e boas risadas".

Entretanto, esses mesmos desenvolvedores parecem não estar acostumados às criticas negativas ao game. Ao ter sido classificado como "bosta" por um jogador, o desenvolvedor que atende pela alcunha de "Abrab" e usa uma foto fake do apresentador de TV, Fausto Silva, o Faustão, revidou a crítica da seguinte maneira: "Pior que isso só esquerdista que compra o jogo pra negativar, achando que vai prejudicar alguém kkk".

O Steam até o momento não informou se pretende manter o jogo diponível em sua plataforma mundial ou não, apesar de ter recebido críticas sobre o conteúdo político do game. Mas a forma como o game propaga o mesmo ódio que já se espalhou pelas redes sociais e polarizou a campanha presidencial no Brasil, poderá acabar levando os desenvolvedores a terem de explicar seus objetivos ao Tribunal Superior Eleitoral.

O fato é que o game acaba se tornando mais um elemento para apimentar ainda mais o clima de ódio estabelecido no Brasil, numa campanha presidencial marcada por robôs, perfis falsos e inúmeras empresa fantasmas que se escondem na Internet e ganham dinheiro produzindo fake news contra adversários políticos.


Netshoes vai pagar R$ 500 mil por vazamento de dados de quase 2 milhões de clientes

Acordo foi firmado entre a empresa e o Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT). Vazamento das informações aconteceu em janeiro do ano passado e comprometeu dados pessoais como nome, CPF, e-mail, data de nascimento e histório de compras.

Fusões e aquisições vão marcar ano dos ISPs no Brasil

Prestadores de serviços ganham a preferência dos consumidores por oferecerem velocidade e estabilidade na oferta da banda larga. Segundo a IDC Brasil, chegou a vez dos provedores avançarem no B2B.

CGI.br: Política de cibersegurança tem de respeitar privacidade e direitos humanos

Em nota, Comitê Gestor endossa o documento 'Chamado de Paris', produzido no IGF 2018. E alerta que decisões sobre o ciberespaço preciisam de uma abordagem multissetorial.

Dados Pessoais: Google recebe punição máxima de 50 milhões de euros na França

A Regulação de Proteção Geral de Dados (GDPR), em vigor desde maio do ano passado na União Europeia, vira pesadelo para as companhias de Internet.

Anatel impõe ofertas obrigatórias de conexão em apenas seis PTTs

Pontos de troca de tráfego escolhidos são os de São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Fortaleza, Curitiba e Brasília. A decisão afeta Oi, Telefônica, Claro, TIM e Algar.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G