TELECOM

Sem espectro, o 5G não vai acontecer, adverte a GSMA

Convergência Digital* ... 06/11/2018 ... Convergência Digital

A implementação bem-sucedida de serviços 5G ultrarrápidos depende do acesso oportuno ao volume e ao tipo de espectro adequados em 2019, adverte a GSMA em um posicionamento do setor divulgado nesta terça-feira, 06/11. À medida que a corrida para lançar serviços 5G se intensifica, a associação destaca a necessidade de governos, reguladores e indústria móvel trabalharem juntos para fornecer a todos uma cobertura ampla e o potencial total do 5G.

No documento 'Espectro para 5G: posição de Políticas Públicas da GSMA', a entidade descreve várias considerações importantes para governos e reguladores, incluindo:

1. O 5G precisa de faixas de frequência mais amplas para suportar velocidades mais altas e maiores volumes de tráfego. Reguladores que disponibilizam 80-100 MHz de espectro por operador em bandas médias de 5G principais (por exemplo, 3,5 GHz) e cerca de 1 GHz por operador em bandas de ondas milimétricas vitais (ou seja, acima de 24 GHz), suportarão melhor os serviços 5G superrápidos.

2. O 5G necessita de espectro dentro de três faixas de frequência principais para fornecer cobertura ampla e suportar todos os casos de uso:

·espectro Sub-1GHz - para ampliar a cobertura de banda larga móvel 5G de alta velocidade em áreas urbanas, suburbanas e rurais e para ajudar nos serviços de suporte de Internet of Things (IoT)

·espectro de 1-6 GHz - para oferecer um bom mix de cobertura e capacidade para serviços 5G

·espectro acima de 6 GHz - para serviços 5G, como banda larga móvel de altíssima velocidade

 3. Na WRC-19 (Conferência Mundial de Radiocomunicações 2019) é imprescindível que os governos forneçam o suporte para as bandas de 26 GHz, 40 GHz (37-43.5 GHz) e 66-71 GHz para dispositivos móveis. Uma quantidade suficiente de espectro 5G harmonizado nessas bandas é crucial para permitir velocidades mais rápidas de 5G, dispositivos de baixo custo e roaming internacional e para minimizar a interferência com países vizinhos.

4. Os governos e reguladores devem evitar inflacionar os preços do espectro 5G (por exemplo, estabelecer altos preços de reserva de leilão), porque correm o risco de limitar o investimento na rede e elevar o custo dos serviços.

5. Os reguladores devem evitar separar o espectro para verticais nas principais bandas de espectro móvel; as abordagens de compartilhamento, como leasing, são opções melhores nas quais as indústrias verticais pleiteiam acesso ao espectro.

A GSMA adverte que governos em todo o mundo começaram a leiloar o espectro para redes 5G. No entanto, considerando as variações na quantidade de espectro atribuído e as condições onerosas impostas (além do custo de acesso a esse espectro), a velocidade, o alcance e a qualidade dos serviços 5G podem variar drasticamente entre os países.

Os países pioneiros serão os primeiros a perceber as vantagens significativas do 5G – desde velocidades de banda larga móvel similares às de fibra e cidades mais inteligentes até carros autônomos e fábricas digitalizadas – e conseguir aproveitar benefícios socioeconômicos importantes, incluindo o crescimento do PIB. A GSMA Intelligence prevê que haverá 20 bilhões de conexões 5G até 2025, mas isso dependerá do acesso das operadoras a espectro suficiente.

Na América Latina, apesar do crescimento significativo que ainda pode se esperar nas conexões 4G ao longo dos próximos anos, o momento para se trabalhar no sentido de garantir espectro para 5G é agora. O processo de alocação e limpeza de bandas leva tempo, e se os países da região não se envolverem na eleição das bandas no cenário internacional atual, serão forçados a implementar mais tarde o que os outros decidirem.

"As operadoras precisam urgentemente de mais espectro para oferecer a infinita gama de serviços que o 5G propiciará. O futuro do 5G depende, em grande parte,  das decisões a serem tomadas pelos  governos na WRC-19 no próximo ano", afirmou o diretor de Espectro da GSMA, Brett Tarnutzer. "Sem um forte apoio do governo para alocar espectro suficiente para a próxima geração de serviços móveis, será impossível alcançar a escala global que tornará o 5G barato e acessível para todos. Existe uma oportunidade real para a inovação a partir do 5G, mas isso depende de que os governos se concentrem em disponibilizar espectro suficiente, não maximizando as receitas de leilão para ganhos em curto prazo".


Internet Móvel 3G 4G
Vivo passa a vender programação de TV paga no celular

Operadora quer ser entendida como uma plataforma de conteúdo e adiciona novos serviços para serem adquiridos pelos assinantes, entre els, Telecine Play e Fox Sports, com jogos da Libertadores, por exemplo.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Oi convoca assembleia geral de acionistas para 30 de abril

Por meio de comunicado ao mercado, operadora marca assembleia de acionistas depois do aumento de capital e do acordo firmado com a Pharol, acionista portuguesa que resistia à execução do plano de recuperação.

Telefonia fixa perdeu quase 2 milhões de linhas ativas em 2018

As concessionárias foram as que mais tiveram pedidos de desligamento - 1,682 milhão de linhas no período de novembro de 2017 a novembro de 2018. Claro lidera o mercado de linhas fixas. Oi detém mais da metade das linhas das concessionárias. Claro aparece entre as autorizadas.

Anatel amplia o cerco aos celulares piratas

Mensagens de alerta sobre o bloqueio de celulares considerados irregulares estão sendo enviadas para os estados da região Nordeste, dois estados da Região Sudeste ( Minas Gerais e São Paulo) e alguns trechos das Região Norte. No portal da Anatel é possível saber se o seu celular é ou não irregular.

Vicente Aquino é empossado como conselheiro da Anatel

Com a presença do presidente da agência, Leonardo de Morais, e do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, o advogado - indicado pelo presidente do Senado, Eunício de Oliveira - foi empossado. Mandato vai até novembro de 2020. Foi a posse mais rápida já feita na Anatel - entre indicação e posse foram menos de 15 dias.




  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G