TELECOM

CCT aprova PLC 79/16 e projeto segue para o Plenário do Senado

Luís Osvaldo Grossmann ... 07/11/2018 ... Convergência Digital

A Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado aprovou, por 7 a 3, nesta quarta, 7/11, o projeto de lei que muda a Lei Geral de Telecomunicações e abre caminho para o fim das concessões de telefonia, com a transformação em autorizações. A expectativa é de que a proposta seja imediatamente apreciada pelo Plenário, visto que também foi aprovado regime de urgência ao projeto. Embora haja pedidos para deixar a apreciação para a semana seguinte.

O debate do relatório de Flexa Ribeiro (PSDB-PA), favorável ao texto como aprovado pela Câmara, chegou a esquentar por conta da apresentação de um substitutivo pelo senador Humberto Costa (PT-PE), com propostas que alteram significativamente o projeto.

Esse voto em separado sugeria alterar a forma de cálculo dos bens associados às concessões, além de ajustes nas sucessivas prorrogações das concessões, do uso de radiofrequências e dos satélites, bem como no mercado secundário de espectro.

“A iniciativa é positiva. Precisamos de adequação tanto para impulsionar a banda larga como na questão dos bens reversíveis, para trocar o modelo de concessão por autorização, estabelecendo alguns condicionantes. O que discutimos é, primeiro, o que é ou não reversível. E entendemos que o projeto não responde a essa questão.

Prevaleceu, no entanto, a disposição de que as mudanças na LGT sigam adiante sem que o texto retorne à Câmara dos Deputados. Como reconhecido pelo relator Flexa Ribeiro, um dos temas que ficaram pendentes seria liberar o uso do Fundo de Universalização das Telecomunicações (Fust) para aportes em banda larga.

“Estamos transformando a telefonia fixa de concessão em autorização. E isso em função de que a telefonia fixa é uma operação em extinção. E com isso o próprio Fust não faz mais sentido. Se não tem mais necessidade de universalizar a telefonia fixa, esses recursos precisam ser usados na banda larga. Poderíamos já incluir nesse projeto. Não vamos fazer isso porque ele teria que retornar à Câmara”, disse o relator.

Mas como destacado pelo senador Walter Pinheiro (Sem partido-BA), restarão contradições internas ao projeto – cuja sugestão é tentar solucionar com um veto especificamente. Segundo o senador, a criação do mercado secundário de radiofrequência está bloqueada uma vez que o projeto não elimina o artigo 157 da LGT.

“O artigo 157 da LGT mantém administração do espectro. Ou seja, a agência continua com essa prerrogativa, portanto em conflito com artigo 8 do PLC. Se a  agencia poderá dizer qual será a oneração da prorrogação ou alternativamente a condição de fazer investimento, isso retiraria a possibilidade de revenda. Assim, mantido o texto, não resistirá a um questionamento no STF em relação ao choque com o artigo 157”, defendeu Pinheiro.

A ideia, assim, é buscar a negociação de um veto ao que no PLC 79 seria um novo parágrafo, o 5o, ao artigo 163, onde diz que na anuência da Anatel prevista, “a agência poderá estabelecer condicionamentos de caráter concorrencial para sua aprovação, tais como limitações à quantidade de radiofrequências transferidas”.

Como em razoável medida essa dinâmica depende da regulamentação da nova lei, os senadores defenderam que a minuta desse Decreto, que já estaria pronto no MCTIC, chegasse ao conhecimento dos parlamentares. “Como a minuta de Decreto está pronta, é importante que tenhamos conhecimento dela para a votação em Plenário, e mesmo façamos uma reunião sobre isso na próxima semana, antes da votação”, defendeu Flexa Ribeiro.


Internet Móvel 3G 4G
Empresas pedem intervenção dos governos por segurança em IoT

Estudo global mostra que, mesmo com o aumento do orçamento dedicado à segurança, quase metade das empresas entrevistadas não consegue detectar se ocorreu uma violação em algum dos seus dispositivos de Internet das Coisas.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Telefonia fixa perdeu quase 2 milhões de linhas ativas em 2018

As concessionárias foram as que mais tiveram pedidos de desligamento - 1,682 milhão de linhas no período de novembro de 2017 a novembro de 2018. Claro lidera o mercado de linhas fixas. Oi detém mais da metade das linhas das concessionárias. Claro aparece entre as autorizadas.

Anatel amplia o cerco aos celulares piratas

Mensagens de alerta sobre o bloqueio de celulares considerados irregulares estão sendo enviadas para os estados da região Nordeste, dois estados da Região Sudeste ( Minas Gerais e São Paulo) e alguns trechos das Região Norte. No portal da Anatel é possível saber se o seu celular é ou não irregular.

Vicente Aquino é empossado como conselheiro da Anatel

Com a presença do presidente da agência, Leonardo de Morais, e do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, Gilberto Kassab, o advogado - indicado pelo presidente do Senado, Eunício de Oliveira - foi empossado. Mandato vai até novembro de 2020. Foi a posse mais rápida já feita na Anatel - entre indicação e posse foram menos de 15 dias.

Oi vende banda larga via banda KA para clientes corporativos

Solução é voltada para empresas, prefeituras e governos que necessitam ter banda larga em localidades remotas. Velocidade possível é de até 25 Mbps. Oferta está disponível nas regiões Sul e Sudeste, grande parte do Nordeste e parcialmente no Centro-Oeste e Norte.




  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G