GOVERNO » Compras Governamentais

AWS vira parceira da Embratel no serviço de nuvem ao governo federal

Luiz Queiroz* ... 12/11/2018 ... Convergência Digital

Uma reviravolta ocorreu na última sexta-feira (09/11), durante  sessão do pregão 29/2018, que visa contratar serviço de nuvem pelo governo federal. Nos bastidores, a AWS passou a ser a nova parceira da Embratel/Primesys no processo de escolha do vencedor do certame. Hoje, se o governo decidir anunciar o vencedor, a apresentação da documentação deverá confirmar essa presença.

A AWS tinha ficado na segunda colocação do pregão eletrônico, por conta da parceria que tinha com a Globalweb. Entretanto, a oportunidade surgiu quando a Microsoft, desgastada com o vazamento da informação de que estaria não apenas na terceira colocação com a Brasoftware, mas também com a vencedora Embratel, foi obrigada a desistir do negócio.

Desde maio, o mercado vinha sinalizando que esse pregão poderia estar direcionado para a Microsoft, e esse desgste acabaria fatalmente em pedidos de impugnação nos organismos de controle ou no Judiciário. Para evitar um mal maior, a Microsoft preferiu perder o negócio para se recompor lá na frente com o futuro governo.

Com Microsoft ou não, no momento há um forte indicativo de que outras empresas deverão questionar na Justiça ou nos organismos de controle, os resultados desse pregão, a partir do texto do edital. O texto acabou deixando de fora gigantes como Google, Dell, Telefonica Data, Huawei, Oracle, IBM, entre outros interessados no negócio.

Junte-se a isso a questão  até hoje não respondida claramente pelo Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, sobre a necessidade de se realizar em fim de governo uma compra de serviços, que sequer se sabe se é do interesse do futuro governo. Numa nota oficial em resposta às reportagens do portal Convergência Digital, o ministério alegou que a discussão da nuvem vem ocorrendo desde 2016, e que portanto não haveria que se questionar a pressa na aprovação do pregão eletrônico.

Tal afirmação não corresponde com a realidade dos fatos. Até maio, o mercado esperava por um Termo de Referência e um Edital, que preveria a contratação de uma multinuvem, com o controle feito por um broker. Porém, em maio deste ano, o ministério deu uma guinada de 180 graus na proposta inicial, e anunciou que contrataria um provedor único do serviço, ferindo as expectativas iniciais de todo um mercado estabelecido no Brasil.

Pregão

Após as negociações no pregão eletrônico para a contratação da primeira nuvem pública, o governo federal conseguiu uma redução no preço estimado em edital de R$ 71 milhões, para uma proposta de serviço da Embratel/Primesys, no valor de R$ 29,9 milhões. Esse preço estaria dentro dos parâmetros aceitaveis para uma empresa assumir o serviço, sem a necessidade de amanhã alegar desequilíbrio econômico e pedir novo reajuste? Essa é a discussão que domina o mercado nesse momento.

A primeira nuvem pública do governo, em contrato que pode chegar a 60 meses e ainda incluir outros órgãos que queiram aderir à ata de registro de preços, atraiu 12 fornecedores – além da Primesys, participaram Globalweb, Brassoftware, GMAES, Central IT, BR Cloud, Capgemini, Uol Diveo, Binario, Tivit, RJR e Real Digital. 

Outros gigantes, porém, questionam esse edital, alegando que não conseguiram atender a todas as exigências contidas no documento, dada a draconiana especificidade que o ministério exige em termos de serviços de nuvem.

*Colaborou Luís Oswaldo Grossman.


Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Bolsonaro decide manter Comunicações no MCTIC

Em entrevista coletiva, o presidente eleito, Jair Bolsonaro, confirmou que não vai mexer na atual estrutura. O comando do MCTIC será do astronauta Marcos Pontes.

Cansado de esperar Ucrânia, Brasil extingue Alcântara Cyclone Space por MP

Tratado já tinha sido denunciado pelo Brasil em 2015, diante do fracasso da parceria. Desde então, tenta fazer uma reunião para dissolver a empresa binacional, sem sucesso.

Reforma Trabalhista reduziu número de processos trabalhistas em 17,4%

Segundo balanço de um ano da aprovação das mudanças na CLT, processos que chegaram a varas do trabalho caíram de 2 milhões para 1,6 milhão.

Bolsonaro confirma Marcos Pontes na Ciência e Tecnologia

Embora ainda não tenha definido a estrutura do MCTIC - há rumores que Comunicações irá para o ministério da Economia, presidente eleito define o nome do astronauta. Kassab, apesar de ter apoiado o novo presidente, deixa a pasta.

CGU usa aprendizado de Inteligência Artificial para fiscalizar repasses da União

Ferramenta reconhece padrões em convênios ou contratos para prever o resultado da análise de contas. objetivo é reduzir prazos e custos.Atualmente a prestação de contas supera 2,2 anos para obras e 2,8 anos para bens e serviços.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G