GOVERNO » Legislação

Novo comitê governamental vai fiscalizar subsídios concedidos para TICs

Luís Osvaldo Grossmann ... 28/11/2018 ... Convergência Digital

O governo federal publicou nesta quarta, 28/11, o Decreto Presidencial 9.588 que cria o Comitê de Monitoramento e Avaliação dos Subsídios, a ser liderado pelo Ministério da Fazenda e composto ainda pela Casa Civil, Planejamento e CGU, com foco na fiscalização de 60 políticas públicas que adotam algum tipo de incentivo fiscal – o que inclui benefícios usufruídos diretamente por empresas de telecomunicações, informática e software.

Esse novo Comitê é na prática um fortalecimento de outro, o Comitê de Monitoramento e Avaliação de Políticas Públicas Federais, com composição e objetivos semelhantes, mas que fora criado em 2016 por meio de portaria interministerial. E o que até aqui tinha caráter mais analítico, pelo Decreto ganha força de recomendar mudanças em políticas geridas por outros órgãos.

Das 60 políticas públicas listadas, oito são diretamente usadas por empresas de TICs, a começar pela Lei de Informática e pela Lei do Bem, mas também a redução do Fistel, os fundos de investimento e participação em infraestrutura e a redução da base de cálculo do imposto de renda no software – mesma lei que permite à Caixa e ao Banco do Brasil a comprarem participação em empresas de TI.

Também está na lista a política de desoneração da folha de pagamentos e programas que já não são mais abertos a novas adesões, como o Programa de Apoio ao Desenvolvimento Tecnológico da Indústria de Semicondutores (Padis) e o Regime Especial de Tributação do Programa Nacional de Banda Larga (RPNBL). Além de benefícios aos segmentos de audiovisual e radiodifusão, como a Lei Rouanet e a Lei do Audiovisual.

O governo federal sustenta que o conjunto de subsídios fiscais precisa ser reduzido – sendo que as projeções para este ano de 2018 são de custo em renúncias ou incentivos de R$ 370 bilhões. Daí o monitoramento contínuo desses instrumentos e a avaliação sobre a eventual continuidade ou extinção das políticas ali listadas.


Veja edição 12 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 12
Especial 20 Anos de Internet no Brasil


Há 20 anos os provedores de Internet escrevem suas histórias no País. A trajetória não foi nada fácil. Houve decisões políticas e econômicas significativas. Infraestrutura, modelo de negócios e fidelização de clientes foram relevantes no passado e continuam sendo no presente. Ao longo de duas décadas, os ISPs tiveram de se reinventar diversas vezes para não deixar de existir.

Clique aqui para ver outras edições

MP entra com pedido para TCU fiscalizar terceirizações no Governo Federal

Subprocurador-geral, Lucas Rocha Furtado, diz que as terceirizações são uma forma de driblar a obrigatoriedade de concurso público, previsto na Constituição. Também alega que as terceirizações estão sendo feitas para 'satisfação de interesses pessoais', mediante direcionamento na indicação de profissionais.

Governos precisam de CIOs para liderar a incorporação das inovações

“Existem passos fundamentais para que o governo faça sua transformação digital, e vemos que eles estão acontecendo no Brasil. Mas certamente ter uma liderança nesse processo faz diferença”, afirma a vice-presidente global da Amazon Web Services para o Setor Público, Teresa Carlson. 

MCTIC vai cruzar dados com a Receita em novo formulário da Lei do Bem

Segundo a diretoria de apoio à inovação da pasta, foco do novo FORMP&D é a segurança. “Ideia é assegurar que quem está prestando os registros são os representantes dessas empresas”, diz a diretora Adriana Martin.

Serpro e Dataprev unificam mais de 22 milhões de contas de brasileiros

Usuários, agora, terão um único login para acessar a plataforma gov.br e as mais de 80 soluções disponíveis de governo digital, entre elas, INSS e ComprasNet. Acesso ao portal poderá ser feito por CPF, senha e certificado digital A3, que serve para pessoas físicas e jurídicas.

Operações com criptomoedas terão que ser informadas à Receita

Nova instrução normativa da Receita exige informações quando as operações com ‘criptoativos’ ultrapassarem os R$ 30 mil mensais. No valor  de mercado desta terça-feira, 07/05, um bitcoin vale US$ 5.940,00, ou R$ 23.760. Ou seja, brasileiro com 2 bitcoins terá de prestar contas com o Fisco.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G