TELECOM

MCTIC: política pública será diferencial para avançar com o 5G

Ana Paula Lobo e Pedro Costa ... 28/11/2018 ... Convergência Digital

Ao representar o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, na  6ª edição do Global 5G Event, realizada pela Associação Brasileira de Telecomunicações (Telebrasil), nesta quarta-feira, 28/11, o secretário de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação do órgão, Maximiliano Martinhão, advertiu que o Brasil precisa trabalhar para construir um ecossistema sustentável para o 5G.

"Não basta dar espectro. É preciso que se tenha regras claras e um modelo de negócios capaz de atrair investimentos. Vários países estão apostando também no 5G. O Brasil precisa ser capaz de construir o seu modelo atraente", reiterou Martinhão. Segundo ele, o País avançou ao criar uma estratégia digital e  ter elaborado um Plano Nacional de Internet das Coisas. "5G será crucial para a IoT funcionar como esperamos", observou.

Maximiliano Martinhão enumerou os principais desafios do País: o econômico, voltado à atração de investimentos; o desenvolvimento de tecnologias para atender ao Brasil que não está nos grandes centros; e o regulatório, pensando,por exemplo, em licenciamento e certificação de produtos, que desaguam na formulação de uma política pública consistente para a era digital e, por consequência, para o 5G. "Não podemos perder essa oportunidade. Ações estão sendo feitas, mas precisamos de mais", afirmou o secretário do MCTIC.


Internet Móvel 3G 4G
Indústria móvel pressiona por faixas de 26GHz, 40 GHz e 66-71 GHz para o 5G

Estudo da GSMA sustenta que a oferta de serviços 5G nessas faixas podem adicionar US$ 565 bilhões ao PIB mundial. Faixas desejadas são as em ondas milimétricas. Decisão da UIT só será conhecida em 2019.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Bens reversíveis: Posição da Anatel contraria a Lei

Ao impedir a venda de todo e qualquer bem pelas operadoras, a agência gera insegurança ao investido, advertiu o advogado Fabiano Robalinho, do escritório Sérgio Bermudes Advogados.

Guerra fria na Telecom Italia, dona da TIM, ganha novo capítulo 'sangrento'

A francesa Vivendi reclama de quebra dos princípios de governança corporativa da operadora italiana com a não convocação de uma assembleia de acionistas.

Bens reversíveis: Anatel não está apegada a 'rótulos patrimoniais ou funcionais'

Para Ronaldo Neves, assessor da presidência da Anatel, 2018 está sendo um ano interessante para a posição da agência com relação ao tema, classificado como instigante. Segundo ele, a reversibilidade está associada apenas ao bem direcionado para a prestação do serviço concedido.

Metodologia da Anatel obriga teles irem à Justiça contra valores de multas

"Cabe à agência fazer uma reflexão de como está cobrando. As infrações cometidas no 2º semestre têm valor de multa maior do que as mesmas infrações cometidas no 1º semestre", explica o advogado Rodrigo Greco, da Rodrigo Greco Associados.



Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G