NEGÓCIOS

Dados Pessoais: Unisys diz que tempo é curto e adequação exige a presença do CEO

Ana Paula Lobo e Roberta Prescott ... 04/12/2018 ... Convergência Digital

Com os vazamentos de dados acontecendo cada vez mais, a segurança da informação deixe de ser um tema apenas do departamento de tecnologia para entrar na pauta de negócio. A preocupação com o tema precisa ser de toda a diretoria, enfatizou Mauricio Caetano, diretor-financeiro da Unisys, em encontro com jornalistas nesta terça-feira (04/12).  “Quanto mais se fala em computação em nuvem e internet das coisas, mais a segurança ganha importância. E segurança tem de estar na agenda de todos os executivos e não só de TI”, destacou Caetano.

A proteção de dados será uma linha de negócios para a Unisys e já há uma série de ações direcionadas à transformação digital. Com relação à Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) - faltam 14 meses para a sua operação efetiva no País - o vice-presidente e gerente-geral para a América Latina da Uniys, Eduardo Almeida, adverte: ela terá  grandes implicações para as companhias de todos os portes. “As empresas, primeiramente, têm de entender quais são as suas vulnerabilidades e conhecer a sua infraestrutura”, assinalou, esclarecendo que, tradicionalmente, as companhias estão sempre um passo atrás dos criminosos.

Almeida deixou claro que o modelo de pensar a segurança física à frente da lógica - colocando apenas firewall e sistemas de prevenção de intrusão - não basta em um cenário com os funcionários levando seus próprios dispositivos, sobre os quais as firmas precisam ter o mínimo de governança. Para as empresas de menor porte, a orientação dele é ter os processos definidos e saber explicar e justificar como os dados são protegidos.

"Os dados são confiados às empresas. Não são delas. Há obrigação de proteção. Nós, na Unisys fizemos o dever de casa. Cuidamos da nossa proteção. E uma das ações foi a capacitação do nosso pessoal. As empresas são as pessoas. Segurança são as pessoas", acrescentou. 2018 foi avaliado como um bom ano para a Unisys no Brasil e na América Latina - os dados ainda não foram fechados e não podem ser revelados -  mas há já a constatação da matriz que houve uma alta taxa de crescimetno na região. “2018 foi um ano importante para a Unisys porque consolidou a estratégia da empresa. Globalmente, a empresa está crescendo a taxas de 3% e a cada trimestre nossos resultados confirmam o financial guideline apresentado”, completou Mauricio Caetano.


Cloud Computing
Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

“A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços”, afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco.  Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Unicórnio brasileiro avança operações de pagamento para décimo país

Ebanx anunciou que também vai processar pagamentos no Uruguai. "Unicórnio" com mais de US$ 1 bi, empresa está também no México, Colômbia, Argentina, Chile, Peru, Bolívia, Equador e Uruguai, além do Brasil.

Finplace amplia em mais de 200% a oferta de crédito para PMEs

Criada no final do ano passado, a plataforma já movimentou mais de R$ 50 milhões e contabiliza 108 financiadores e uma carteira com mais de 500 clientes.

Se a bitcoin fracassar, o blockchain morre abraçado

FastBlock, empresa brasileira especializada em mineração por serviço, compra data center nos EUA para acelerar a mineração das criptomoedas. Ao Convergência Digital, o CEO Bernardo Schucman, adverte: Brasil não abre espaço à inovação. Sobre a credibilidade da bitcoin, o executivo diz que o estigma é concorrencial. "O velho mundo rejeita o novo. Golpes existem desde sempre. O que é a gangue do boleto?".

No Brasil, 65% das empresas estão bem longe das regras da LGPD

Índice LGPD ABES mostra ainda que 40% das companhias brasileiras sofreram incidentes de violação nos últimos dois anos e 80% assumem que fazem, sim, coleta de dados sigilosos. "Não há mais tempo a perder", adverte o consultor da EY, Marcos Sêmola.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G