INCLUSÃO DIGITAL

Teles e TVs disputam R$ 800 milhões em sobras da TV Digital

Luís Osvaldo Grossmann ... 06/12/2018 ... Convergência Digital

Começou a última fase da migração de municípios para recepção de televisão apenas digital, no bem sucedido modelo adotado pelo Brasil que combinou a transição das transmissões com a liberação da faixa de 700 MHz, usada pelas operadoras de telefonia móvel no 4G. Mas com isso também começa uma nova etapa: a decisão sobre como utilizar os cerca de R$ 800 milhões em sobras dos recursos previstos para essa migração.

As TVs largaram na frente e já apresentaram uma proposta efetiva para que boa parte desse dinheiro seja destinada, além da distribuição de conversores, à digitalização de municípios onde as transmissões atuais, analógicas, foram financiadas pelas prefeituras. São cerca de 3 mil retransmissoras em mais de 1,6 mil municípios onde a TV só chegou porque as próprias cidades compraram as antenas. Mas que não conseguem dar o salto para o digital.

Nas contas das emissoras de televisão, com entre R$ 500 milhões e R$ 600 milhões seria possível digitalizar um universo próximo a 25 milhões de brasileiros que, pelo cronograma como está, vão ficar sem televisão em 2023, prazo para o ‘apagão’ analógico para todas as cidades que não fizeram parte do trabalho de migração que agora caminha para o final, restrito a 1,3 mil municípios. Os outros R$ 200 milhões a R$ 300 milhões, nesse caso, ficariam com a EAD, ou Seja Digital, para garantia contra eventuais contingências.

A ideia não agrada as operadoras móveis, que tiveram descontado do preço que pagaram pela faixa de 700 MHz os R$ 3,6 bilhões que foram por sua vez destinados à transição digital. Elas preferiam extinguir a EAD, que é o braço operacional da migração, responsável pela distribuição de kits de conversores e de transmissores digitais, além da mitigação de interferências. E se possível deixar a sobra para temas de interesse direto das telecomunicações.

Nos últimos meses, as teles (e a própria Anatel) ventilaram a ideia de usar a sobra para financiar a banda larga onde não há rentabilidade. Mas também chegou às discussões uma proposta de usar esse dinheiro para fazer a mitigação das interferências previstas com o uso da faixa de 3,5 GHz sobre as antenas parabólicas. Só que esse leilão, do que a agência define como a primeira frequência destinada ao 5G, ainda sequer tem data para acontecer.

A proposta das emissoras privadas ganhou apoio das TVs públicas porque os novos transmissores digitais comportam até seis canais. E como existem, no máximo, até quatro emissoras que alcançam as cidades envolvidas na proposta, haveria espaço para inserir também os canais públicos. A Astral, que representa emissoras legislativas, até já formalizou sugestão nesse sentido como adendo à proposta subscrita pela Abert e Abratel, as entidades das TVs privadas.

Nesta semana, o Gired, o grupo que reúne governo, Anatel, teles e TVs para coordenar a transição digital, costurou o plano de que os projetos para uso das sobras serão reformulados e apresentados até fevereiro de 2019, com uma posição final do Conselho Diretor da Anatel – pois são recursos associados ao edital do leilão dos 700 MHz – até abril do próximo ano.


Carreira
USP promove 3ª Escola Avançada em Big Data Analysis

De 02 a 06 de setembro, o  Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação (ICMC) da USP, em São Carlos, interior de São Paulo, realiza a iniciativa, que contará com 10 cursos sobre temas como ciência de dados, aprendizado de máquina, deep learning, mineração de dados, processamento de línguas naturais, sistemas de recomendação e redes complexas.

Google Station é plataforma de monetização para Programa WiFi Livre SP

Empresa firmou parceria com América Net e Linktel, com patrocínio do Itaú, e já conta com 80 hotspots distribuídos na capital de São Paulo.

Pressão do TCU dobra ganhos da Telebras no contrato com Viasat

Em renegociação forçada pela Tribunal de Contas, o resultado inicialmente estimado em R$ 203 milhões foi turbinado em mais R$ 222 milhões com o acordo de uso da capacidade do satélite nacional para venda de acesso a internet.

TV Digital: Com parecer pró-TVs, Anatel acena com recursos para banda larga

Disputa pelos R4 3,6 bilhões acontecia entre TVs e Teles. Com saldo, haverá dinheiro para os demais projetos, afirma o presidente do Gired, conselheiro Moisés Moreira.

Infovias compartilhadas são estratégicas para ampliar a banda larga

Governo costura uma agenda de ações para massificar o acesso à conectividade no Brasil, entre elas está a revisão do fomento para as cidades inteligentes, revela o secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Menezes. Política governamental será debatida no Brasscom TecFórum, que acontece nos dias 24 e 25 de abril, em Brasília.

Embratel instala 15 mil novos hotspots gratuitos de Wi-Fi em Pernambuco

Operadora explica que serão 12500 pontos Wi-Fi instalados em órgãos do governo do Estado e aproximadmente 3000 direcionados para praças e locais públicos. Iniciativa faz parte do programa Pernambuco Conectado, que tem investimentos previstos de R$ 180 milhões.

Para Cade, não houve abuso das teles em questionar contrato da Telebras

Estatal acusou Sindisat, Sinditelebrasil e a amazonense Via Direta de ligitância de má-fé nas disputas judiciais pelo uso do satélite nacional. Para órgão antitruste, aões não eram infundadas.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G