Home - Convergência Digital

Indústria pressiona por faixas de 26GHz, 40 GHz e 66-71 GHz para o 5G

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 12/12/2018

O desbloqueio do espectro para a indústria móvel oferecer serviços 5G poderia adicionar US$ 565 bilhões ao PIB mundial de 2020 a 2034, de acordo com um novo relatório lançado nesta quarta-feira, 12/12, pela GSMA. A entidade observa que a nova tecnologia móvel vai melhorar o acesso à assistência médica, educação e mobilidade, reduzindo a poluição e aumentando a segurança. No entanto, sustenta a GSMA, estes resultados dependem do apoio do governo para a identificação de espectro suficiente em ondas milimétricas (mmWave) para a indústria móvel na próxima Conferência Mundial de Radiocomunicações da UII em 2019 (CMR-19).

O relatório "Benefícios socioeconômicos dos serviços 5G fornecidos em mmWave" é o primeiro a examinar e quantificar o impacto das ondas milimétricas na contribuição geral das redes 5G para a sociedade. O espectro em mmWave terá os serviços 5G de maior capacidade. Ele possui as características ideais para suportar taxas de transferência de dados muito altas e recursos ultraconfiáveis de baixa latência, que suportarão novos casos de uso e proporcionarão as vantagens do 5G a consumidores e empresas do mundo inteiro.

"O ecossistema móvel global sabe como fazer o espectro funcionar para oferecer um futuro melhor", disse Brett Tarnutzer, Diretor de Espectro da GSMA. Segundo ainda o executivo, mais de 5 bilhões de pessoas já contam com o ecossistema móvel para fornecer serviços que são essenciais para seu dia a dia e fundamentais para a sustentabilidade econômica das comunidades onde vivem. "O 5G pode oferecer mais benefícios e uma nova gama de serviços para ainda mais pessoas, mas isso não será possível sem o acesso a este espectro vital", completou.

Novas possibilidades para os consumidores e a indústria

O 5G mmWave não só fornecerá aos consumidores serviços de banda larga móvel ultrarrápidos, incluindo entretenimento imersivo, como também estimulará uma série de aplicativos que permitirão que cidadãos e empresas façam amanhã o que não podem fazer hoje. Essas inovações incluirão serviços remotos aprimorados de educação e saúde, automação industrial, realidade virtual e aumentada e muitas outras.

Na área da saúde, a telemedicina melhorada - incluindo recursos táteis de internet, medicina preventiva usando sensores remotos e wearables sempre ativos, cirurgia remota e instrumentos "inteligentes" - só será possível graças às capacidades de velocidade e latência permitidas pelo espectro em mmWave.

Robôs da próxima geração, manipulação remota de objetos (controle de máquinas com precisão à distância), drones e outras aplicações de controle em tempo real em centros industriais digitalizados deverão aumentar a eficiência, reduzir custos e melhorar a segurança, além de levar a inovação para produtos e processos.

No transporte autônomo, o 5G mmWave permitirá que veículos sem condutor se comuniquem entre eles, com a nuvem e o ambiente físico continuamente para criar redes de transporte público altamente eficientes. Espera-se que esses e muitos outros casos de uso inovadores forneçam 25% do valor total criado pela 5G no futuro.

Crescimento global a partir de mmWave

A liderança inicial já estabelecida em 5G nas regiões da Ásia-Pacífico e Américas deverá gerar a maior parcela do PIB atribuída ao 5G em mmWave, em US$ 212 bilhões e US$ 190 bilhões, respectivamente. Prevê-se que a Europa tenha a maior percentagem de crescimento do PIB atribuível a mmWave que qualquer outra região, com 2,9%.

No entanto, as vantagens não se restringem a mercados móveis de adoção precoce e, como o resto do mundo deverá implementar 5G nos anos subsequentes, as economias de escala derivadas da harmonização de espectro estimularão um crescimento ainda mais rápido. Regiões como a África subsaariana, a Ásia Central e a América Latina e Caribe poderiam ver um crescimento da contribuição do PIB das aplicações do 5G em mmWave de mais de 65% ao ano, de 2026 até 2034.

"É fundamental que os governos reconheçam a importância dos aspectos do 5G em mmWave ao tomar decisões na próxima CMR-19. Tomar decisões certas agora sobre espectro para 5G será vital para estimular o rápido crescimento das economias, especialmente nos mercados em desenvolvimento, na próxima década", acrescentou Brett Tarnutzer, da GSMA. "Somente o espectro em mmWave tem a capacidade de suportar os serviços inovadores esperados e de alto desempenho do 5G, e apenas o ecossistema móvel possui o conhecimento técnico e histórico em colaboração para fornecê-los a um preço aceitável para consumidores e empresas no mundo todo."

As novas faixas em mmWave para dispositivos móveis estão sendo discutidas na CMR-19 e a GSMA recomenda o apoio às faixas de 26 GHz, 40 GHz e 66-71 GHz para os serviços móveis. A harmonização global dessas faixas na CMR-19 criará as maiores economias de escala e tornará a banda larga mais acessível em todo o mundo. Fora do processo da CMR-19, 28 GHz também está emergindo como uma importante faixa em mmWave para tornar realidade a visão de velocidade ultra-alta para 5G. Serviços comerciais que usam essa faixa já foram lançados nos EUA e também serão adotados para 5G em países como Coreia do Sul, Japão, Índia e Canadá.

O relatório "Benefícios socioeconômicos dos serviços 5G fornecidos em ondas milimétricas", que inclui detalhes sobre casos de uso do 5G, valor e contribuição do PIB por setor e geografia, pode ser encontrado aqui.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/01/2019
China Unicom faz primeira ligação 5G no release 15 do 3GPP

17/01/2019
Paraná cria curso para formar profissionais técnicos para o 5G

07/01/2019
Para americanos, 5G vai mudar a geração de empregos, a vida pessoal e os negócios

28/12/2018
Huawei, apesar da pressão dos EUA, fechou 26 contratos de 5G

20/12/2018
Um terço das casas no Brasil usam antenas parabólicas

13/12/2018
Relatório prevê 25 operadoras com serviços 5G em 2019, 51 em 2020

12/12/2018
Indústria pressiona por faixas de 26GHz, 40 GHz e 66-71 GHz para o 5G

11/12/2018
Preocupação com parabólicas não pode excluir Brasil do 5G

09/12/2018
"O mundo precisa comprar a ideia do 5G nas áreas remotas"

09/12/2018
Japão terá aplicações reais de 5G nas Olimpíadas de 2020

Destaques
Destaques

Projeto de inovação usa 4G em 450 Mhz para Internet das Coisas

Seis startups foram selecionadas para iniciativa Agro IoT Lab 2018, voltada para a transformação digital do agronegócio, da Vivo, Raízen e Ericsson.

Celular encosta nas TVs nos lares dos brasileiros

O dispositivo está presente em 93,2% dos domicílios e está em tendência de alta em relação às TVs, que reinavam até então. O celular também foi o equipamento mais utilizado para acessar a Internet dentro de casa.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site