NEGÓCIOS

Mais da metade das empresas brasileiras está muito longe da transformação digital

Por Roberta Prescott ... 16/01/2019 ... Convergência Digital

A transformação digital está longe de ser uma realidade no Brasil e a maioria das empresas brasileiras de grande e médio portes ainda investe com cautela e muito lentamente, apontou pesquisa patrocinada pela Dell Technologies em parceria com a Intel e realizada pela Vanson Bourne no segundo semestre de 2018. Os números referentes ao Brasil foram apresentados em coletiva de imprensa nesta quarta-feira (16/01).

O chamado Índice de Transformação Digital da Dell Technologies (DT index) mostrou que apenas 6% das empresas brasileiras podem ser consideradas como líderes digitais, ou seja, já têm a digitalização enraizada no negócio. Das entrevistadas, 33% estão avaliando as soluções, fazendo experimentações e destinando algum recurso para isto, ou seja, investem de forma gradual e com maior cautela; 22% ainda se movem muito lentamente, avaliando o que podem adotar, mas sem ter programa de investimentos voltado para transformação digital e 2% nem sequer tem um plano digital em vigor, sendo chamadas de retardatárias digitais. Juntas, elas somam 57%.

Além dos 6% das empresas brasileiras que podem ser consideradas líderes digitais, 37% são adotantes digitais, ou seja, empresas ainda em processo de adotar a transformação digital, mas já segregando parte dos investimentos para isto e tendo um plano digital maduro e investimentos em inovação.

O vice-presidente sênior e gerente-geral da Dell EMC Brasil, Luis Gonçalves, explicou que os mercados emergentes avançando mais rapidamente e uma das razões para isto é que têm menos legado. “Por que a transformação digital está virando prioritária? Porque ela está mudando a forma como vivemos, trabalhamos e conduzimos os negócios. As oportunidades são ilimitadas, mas empresas precisam se mover”, disse, lembrando que 26% dos entrevistados afirmaram temer que suas organizações se tornem obsoletas em cinco anos, sendo ultrapassadas pela concorrência.

Para o erxecutivo da Dell, a transformação digital é questão de sobrevivência. "Tem de colocar na agenda a transformação digital e ter a consciência digital, porque esta transição ocorrerá", ressaltou. "Transformação digital é must have para coexistir no mundo digital", apontou, lembrando que para as empresas de menor porte embarcarem na transformação digital é até mais fácil devido a não existência de legado.

Barreiras

A pesquisa mostrou também que os líderes ainda enfrentam barreiras: 86% disseram que têm grandes barreiras para a transformação digital; enquanto 82% acreditam que as iniciativas de transformação  devem ser mais difundidas; um quarto está preocupado com a dificuldades de para atender às demandas dos clientes; 26% temem que suas empresas não acompanhem a evolução e se tornem obsoletas; e apenas 15% acreditam fortemente que estarão na posição de incomodar em vez de serem incomodadas pela concorrência em cinco anos.

Entre os principais entraves, 33% apontaram a regulamentação ou mudança nas leis; 31% a preocupação com privacidade e segurança dos dados; 30% a sobrecarga de informação; 26% a fraca governança e estrutura digital; e 24% a falta de conjuntos de habilidades e conhecimentos internos adequados.

Para superar as barreiras, 67% usam a tecnologia digitais para acelerar o desenvolvimento de novos produtos e serviços; 53% adotam o desenvolvimento ágil; 67% estão implementando sistemas de segurança e privacidade em todos os dispositivos; 70% se esforçam para desenvolver as habilidades necessárias para a força de trabalhar, como programar, por exemplo; e 63% compartilham conhecimento entre as funções.

Ainda segundo a pesquisa, as empresas estão alocando seus investimentos no ambiente multicloud (62%), em cibersegurança (61%), em IoT (57%), em inteligência artificial (55%); na abordagem de computação centrada (48%), em tecnologia flash (43%), em realidades virtual e aumentada (43%) e em blockchain (38%).

O estudo, em parceria com a Intel, aponta o progresso da transformação digital das empresas consultadas e examina as expectativas e medos digitais dos líderes empresariais nos próximos cinco anos. Globalmente, foram feitas 4.600 entrevistas para mapear os progressos da transformação digital de empresas de médio e grande porte em 42 países. Para esta edição foram entrevistados profissionais de 100 empresas líderes no Brasil.


Cloud Computing
Embratel: Ao definir preferência pela nuvem, governo agiliza jornada

Definição nas compras governamentais por cloud first transforma a contratação de serviço, pontua o gerente executivo de vendas de TI da Embratel, Odélio Horta Filho. Compras governamentais e o uso das novas tecnologias como IA, Machine Learning e IoT serão tema de debate no Brasscom TecFórum, em Brasília.

B2B compra mais tablets, mas vendas seguem em queda no Brasil

O setor corporativo comprou 127 mil unidades, um crescimento de 57% em relação a 2017. No total, em 2018, foram vendidos 3,640 milhões de unidades. Este ano, a previsão é de uma queda de 5% na comercialização dos dispositivos.

Uber vai usar Serpro para checar motoristas em tempo real

Uber contratou a ferramenta Datavalid que permite a verificação em tempo real de informações de automóveis e motoristas, com acesso aos dados das certeiras de habilitação e de registro de veículos.O valor do contrato não foi revelado.

Novo sistema de boletos reduz circulação de R$ 5,1 bilhões em dinheiro

A estimativa da Febraban é que, em 2019, 6,6 bilhões de boletos sejam registrados na Nova Plataforma - que permite o pagamento de boletos em bancos diferentes da emissão do documento - e mais de 25 bilhões de operações sejam realizadas.

Ingenico fabrica terminal Android para meio de pagamentos no Brasil

País é o segundo a contar com manufatura local do terminal, batizado de APOS A8, voltado para um checkout mais rápido e seguro. Os valores aportados na produção local não foram reveladas pela companhia.


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G