Home - Convergência Digital

Governo dos EUA acirra clima com China por conta da Huawei

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 29/01/2019

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos acusou formalmente a diretora financeira da Huawei, Meng Wanzhou, por violação da sanção contra o Irã nesta segunda-feira, 28/01. Os promotores também se preparam para pedir ao Canadá que ela seja extraditada para os EUA. Meng, que é filha do fundador da Huawei, foi presa naquele país em dezembro, a pedido do governo americano, e permanece lá sob liberdade condicional, após pagamento de fiança milionária.

Este é mais um passo na escalada da tensão entre os EUA e a empresa chinesa gigante do setor de smartphones. A Huawei é alvo de investigações naquele país por suspeitas de que tenha vendido equipamentos de telecomunicação que poderiam ser usados pela China para espionagem. Além disso, China e EUA travam uma guerra comercial em que já foram impostos bilhões de dólares em tarifas sobre produtos.

As denúncias contra Meng foram feitas em um tribunal em Nova York e, segundo a Justiça americana, se referem a operações de mais de uma década atrás. A executiva, a própria Huawei e uma subsidiária em Hong Kong chamada Skycom foram acusadas de fraude bancária e conspiração relacionadas a negócios feitos com o Irã quando aquele país ainda estava sob sanções comerciais.

Na época da prisão da diretora, a Huawei afirmou que a Skycom é uma empresa independente. E a China classificou a detenção da executiva como uma "violação de direitos humanos". Cada um dos crimes de que Meng é acusada tem uma pena de até 30 anos. As acusações formais são um passo a mais para que o governo americano apresente o pedido de extradição da diretora. O prazo vence no próximo dia 30. Depois disso, se o pedido for aceito, começa um período de audiência e a ida da executiva para aos EUA ainda poderá levar meses para acontecer.

Roubo de segredos

O governo dos EUA também denunciou a Huawei por roubar segredos da empresa americana T-Mobile e oferecer bônus a funcionários que trouxessem tecnologia de rivais. O processo se refere a um robô que a T-Mobile usava para testar smartphones. A própria empresa de telecom já tinha processado a Huawei e sua unidade nos EUA em 2014, em Seattle, pelo mesmo motivo.

A Huawei tem 15% do mercado mundial de telefones celulares e é, atualmente, a segunda maior produtora. A empresa tem sido alvo de proibições em vários países ocidentais, que temem que Pequim obrigue a companhia a revelar segredos industriais e outras informações que poderiam colocar em risco a segurança nacional de terceiros.

EUA, Nova Zelândia e Austrália proibiram o uso de tecnologia e equipamentos da empresa por razões de segurança. Canadá, Alemanha, Japão e Coreia do Sul colocaram a Huawei sob avaliação. A companhia nega as acusações e insiste que é uma empresa privada, não havendo controle do governo chinês sobre suas operações.

*Com informações do portal G1

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

22/07/2019
2021 será o ano do salto do 5G

22/07/2019
Governo dos EUA convoca reunião com empresas para discutir boicote à Huawei

17/07/2019
Marketing excessivo e Fake News minam a confiança do usuário no 5G

04/07/2019
5G vence WiFi e será o padrão dos carros conectados na Europa

03/07/2019
Venda de smartphone 5G vai dar um salto de 1200% em 12 meses no mundo

02/07/2019
MCTIC abre consulta pública para definir a estratégia para 5G no Brasil

26/06/2019
Florianópolis quer ser cidade laboratório do 5G no Brasil

26/06/2019
TIM faz piloto de 5G em 'rede viva' em Florianópolis

26/06/2019
Governo de Brasília retoma Parque Tecnológico com laboratório de 5G e incubadora

26/06/2019
TIM faz piloto de 5G em 'rede viva' em Florianópolis

Destaques
Destaques

Varejo x bancos: carteira digital vira superaplicativo

Superados os obstáculos iniciais, mercado não financeiro acelera estratégia para ficar com preferência dos consumidores.

Para injetar R$ 200 bilhões na economia, IoT tem de ficar livre das amarras tributárias

Relator da proposta de tributo zero para Internet das Coisas, deputado Eduardo Cury, do PSDB/SP, disse que o setor precisa municiar o Parlamento com dados para convencer à Casa a conceder a desoneração.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

O potencial pouco explorado da Internet das Coisas

Por Daniel Kriger*

A grande mudança que a Internet das Coisas (IoT – Internet of Things) trará para a vida das pessoas está além da facilidade de se preparar um café, programar um banho quente ou economizar na conta de luz. Dar conectividade a objetos e abrir espaço para comandos inteligentes em inúmeras tarefas do dia a dia é um dos principais propósitos de IoT. Mas não é só isso.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site