Home - Convergência Digital

Quero demitir o meu CIO. Mas como fazer sem risco?

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital* - 31/01/2019

Tomar a decisão de mudar a gestão empresarial e fazer uma substituição na alta gerência é uma tarefa complexa, que exige grande empenho e análise de cenários, especialmente quando ela acontecerá na área de tecnologia, considerada delicada e arriscada para a sustentação do negócio, observa Paulo Exel, diretor de operação da Yoctoo, especializada em recrutamento.

Para que o processo de substituição seja assertivo e não acarrete em dados para a empresa é preciso considerar inúmeros fatores. Quando a substituição é uma demanda corporativa, o planejamento, assim como a execução devem ser detalhados para prever os riscos e gerenciar as expectativas. As empresas são organismos vivos que estão em constante desenvolvimento e esse progresso é pautado por mudanças.

Antes de traçar um plano de ação e avaliar os riscos de contratar para essa cadeira, é importante a empresa descobrir qual necessidade será atendida ao efetuar essa demanda de substituição. Em alguns casos a performance do profissional, ou seja, a qualidade e a quantidade dos resultados que são entregues pela gestão dele, é um motivador grande o suficiente para gerar a demanda de substituição. Em alguns casos a mudança necessária para a empresa continuar crescendo são habilidades comportamentais, como por exemplo, habilidade de liderança e de motivar pessoas ao engajamento com os projetos e entregáveis.

Independente dos motivos ou dos gatilhos para a mudança, o impacto na organização é real em menor ou maior grau. Quando falamos de contratação para áreas executivas estamos falando basicamente sobre decisões de gestão e liderança de pessoas. A alteração na cadeira precisa avaliar o quanto a mudança vai impactar na estrutura da empresa. De maneira clara, o quanto uma mudança de executivo pode abalar as estruturas da operação, o engajamento das pessoas e se a transição do líder pode levar a empresa a perder profissionais que são vitais para a operação.

Para Exel, a empresa precisa buscar executivos que preencham a atual demanda em termos de habilidades técnicas e de comportamento e principalmente o match com os valores e estratégia de longo prazo, quanto mitigar os riscos dessa transição. Olhando especificamente para o impacto da substituição em cadeiras de tecnologia, ou em empresas de tecnologia, a conta é bem simples de ser feita. Quanto mais próximo do core business a tecnologia estiver, maior o risco para o negócio, portanto, melhor e mais bem planejada deve ser essa transição.

O especialista ressalta que algumas empresas ao avaliarem os riscos de uma substituição desistem. "Esse é um erro particularmente inocente já que a desistência leva em consideração o quanto a adaptação para a nova gerencia pode custar, mas raramente, considera-se qual o custo de ter a pessoa errada nas decisões, ou ainda as perdas que uma operação parada ou mal gerenciada pode acarretar", adverte.

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

14/08/2019
Prestadora de serviços de TI abre mais de 100 vagas de tecnologia em São Paulo

12/08/2019
TICs vão demandar 700 mil novos profissionais na Indústria em cinco anos

09/08/2019
Chatbot Fernanda comanda processo de escolha de estagiários do Uber no Brasil

30/07/2019
Novas demissões são alerta para indústria eletroeletrônica

29/07/2019
Empresa de software abre mais de 100 vagas em nove estados

24/07/2019
Agência canadense usa Skype para contratar brasileiros de TI

15/07/2019
Empresa do setor imobiliário abre 100 vagas para Tecnologia em São Paulo

08/07/2019
Fintech de contabilidade abre 100 vagas

07/06/2019
Vai à sanção lei que cria Carteira de Trabalho eletrônica

06/06/2019
Empresas de TI de Santa Catarina estão com mais de 700 vagas

Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência de cultivar talentos para TIC no Brasil e no mundo

Por Breno Santos*

A transformação digital ainda é um desafio para muitas empresas no Brasil e a aplicação estratégica das novas soluções deve acontecer por meio de equipamentos e mão de obra qualificada.

Destaques
Destaques

TICs vão demandar 700 mil novos profissionais na Indústria em cinco anos

Dados são do Mapa do Trabalho Industrial, feito pelo SENAI, que indicam ainda a urgência na qualificação de 10,5 milhões de trabalhadores em ocupações industriais por conta da indústria 4.0. Um dos especialistas em alta é o condutor de processos robotizados, com um incremento de 22% no número de vagas.

Técnicos são os que mais procuram especialização em Big Data

Cursos voltados para desenvolvimento Full Stack e Segurança Cibernética também são bastante demandados. No caso do big data, dos alunos formados nesta área, 45% possuem mais de 10 anos de experiência (sênior); 36% até nove anos (pleno) e 19% até três anos (recém-formados).

Agile reescreve a carreira do desenvolvedor de software

Ao mudar a entrega dos serviços – quebrando a prática dos longos projetos –, a metodologia também exige novos profissionais.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site