INTERNET

Facebook começa a dividir receita com propaganda em vídeos no Brasil

Luís Osvaldo Grossmann ... 13/02/2019 ... Convergência Digital

O Facebook anunciou que a partir desta quarta, 13/2, está disponível também no Brasil o sistema de rateio das receitas publicitárias em vídeos publicados em páginas brasileiras. Chamado de Ad Breaks, o modelo foi lançado há quase dois anos nos Estados Unidos e depois estendido a outros 25 países.

“Ad Breaks é um formato de pequenos intervalos comerciais que são colocados nos vídeos no Facebook. Sempre que um Ad Break é mostrado, o publisher ou criador do vídeo recebe 55% da receita do anúncio”, informou a rede social em seu blog. A ferramenta, promove o FB, serve “para ajudar publishers e criadores de vídeo a construir um negócio e monetizar seu conteúdo na plataforma”.

Para o Facebook, é uma tentativa também de empurrar o Watch, uma espécie de youtube na linha do tempo dos usuários que no Brasil já é vista desde meados de 2018. Segundo o FB, o Watch tem 75 milhões de espectadores ativos diariamente e o tempo médio de exibição é de 20 minutos.

O sistema, porém, não vale para qualquer vídeo. Ele precisa ter mais de três minutos de duração, a página mais de 30 mil visualizações de vídeos totais, com duração de mais de um minuto, nos últimos dois meses, e mais de 10 mil seguidores.


Internet fica com 47% dos gastos com publicidade

Segundo a consultoria Zenith, parte do grupo francês Publicis, até 2021, rede vai deter 52% dos gastos totais com propaganda, que neste ano devem crescer 4,6%. 

Cade arquiva processo contra o Google por práticas anticompetitivas no ecommerce

A acusação partiu da E-Commerce Media Group Informação e Tecnologia, dona dos sites Buscapé e Bondfaro. Segundo a empresa, o Google estaria “raspando” avaliações de produtos que clientes para exibi-las como conteúdo no Google Shopping.

Dados pessoais são "de pessoas" e a LGPD não vai matar os negócios

Os advogados Paulo Vidigal, do Opice Blum Associados, e Fernando Bousso, do Baptista Luz Associados, advertem: a venda de base de dados é proibida hoje e seguirá proibida com a LGPD.

Oi amplia vantagem contra TIM e NET no ranking da Netflix

No mês de maio, a Oi ficou à frente das rivais na banda larga por fibra óptica com velocidade média de 4,04 Mbps. A tele está na primeira posição  no ranking da OTT há quatro meses.

STJ: Provedor de internet tem obrigação de fornecer IP de usuário que invadiu e-mail

Relatora Ministra, Nancy Andrighi, sustentou que as prestadoras de serviços de Internet (operadoras inclusas) estão sujeitas ao artigo 1.194 do Código Civil de 2002. Segundo ela, os dados armazenados pelos provedores devem ser suficientes para a identificação do usuário.

Revista Abranet 27 . abril/junho 2019
Veja a Revista Abranet nº 27 A Convenção Abranet 2019 debateu economia, política e gestão. Cerca de cem empresas de internet e de tecnologia puderam ter uma visão mais clara sobre o que esperar no curto prazo. E muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G