TELECOM

Teles trocam toda a base de pré-pagos a cada dois anos

Luís Osvaldo Grossmann ... 13/02/2019 ... Convergência Digital

Um estudo feito em oito países onde predominam os planos pré-pagos de celular mostra que as constantes trocas de chips pelos clientes fazem com que as operadoras móveis troquem toda a base desses assinantes a cada 21 meses. A tentativa de capturar e manter clientes, no entanto, tem custos. Mesmo nos casos em que não há crescimento da base. Só no Brasil, Argentina e México as perdas com o que o mercado chama de ‘churn’ foram de R$ 800 milhões.

“Nos mercados latino-americanos analisados, o alto churn está tendo impacto direto no resultado final das operadoras. No ano passado, 100% dos gastos com aquisição de assinantes foram devotados à substituição sem que houvesse crescimento nos mercados do Brasil, Argentina e México. Esses custos de aquisição representaram 2,8% do Opex pré-pago e 1,6% da receita. As operadoras nesses mercados gastaram US$ 220 milhões para substituir clientes”, diz o relatório.

Elaborado pelas consultorias americanas Juvo e Strategy Analytics, o estudo se valeu de análises sobre o desempenho operacional e financeiro de 29 operadoras móveis nos três latinos já citados e também na Índia, Malásia, Filipinas, Tailândia e África do Sul. “Embora o pré-pago seja a forma dominante de conexão móvel, com 71% dos acessos globais, ou 5,7 bilhões, e 32% das receitas, ou US$ 265 bilhões (R$ 990 bi), esse é um espaço em que muito pouca pesquisa foi realizada”, diz o relatório.

A atenção com esse mercado específico faz todo sentido. Como mostra o estudo, a lucratividade é alta, com margens Ebitda das receitas de serviços do segmento pré-pago situando-se entre 40% e 50% nos latinos – beira os 55% na Malásia e na África do Sul. E está nos 40% no Brasil, segundo o relatório. No entanto, as taxas de churn são também consideradas altas, entre 3,1% e 5,2% por mês, apenas entre Brasil, Argentina e México – sendo de 5% no Brasil. Daí o índice que passa dos 60% ao ano. “Significa que, em média, as operadoras devem substituir totalmente sua base de assinantes pré-pagos a cada 21 meses”.


Revista do 62º Painel Telebrasil 2018
Veja a revista do 62º Painel Telebrasil 2018 Brasil Digital: O futuro é agora - é o tema da revista do Painel Telebrasil 2018.
Edição, com 104 páginas, consolida os debates realizados no evento, que reuniu a indústria de Telecomunicações.
Clique aqui para ver outras edições

Rede da Oi registra tráfego de 4,27 terabytes na etapa mundial do circuito de surfe

O volume registrado equivale a 1.099.606 fotos de alta resolução, montante 20% maior que o número transmitido no ano passado, de 909.042 fotos (3,53 Terabytes).Evento aconteceu em Saquarema, no Rio de Janeiro.

Oi se posiciona como prestadora de serviços de TI

Tele estruturou serviços como segurança cibernética, big data e gestão integrada. "Entender as dores e as necessidades do cliente é uma obrigação", afirma Rodrigo Shimizu, diretor de Marketing do Corporativo da Oi.

Embratel: transformação digital exige experimentar e errar

O cliente é e centro da jornada digital que a operadora faz há sete anos, conta o CEO, José Formoso.

"Estamos comprometidos com o futuro do Brasil", diz CEO da Telefónica

Em reunião geral dos acionistas, realizada em Madrid, o presidente do conselho e CEO da Telefónica José María Álvarez-Pallete, afirmou que o Brasil é um dos países que mais vai crescer no mundo com a revolução digital.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G