INTERNET

Candidata presidencial nos EUA quer tirar poder da Amazon, Google e Facebook

Convergência Digital* ... 08/03/2019 ... Convergência Digital

A senadora americana pelo partido Democrata, Elizabeth Warren, em campanha para se tornar a adversaria de Donald Trump nas eleições presidenciais dos EUA em 2020, apresentou nesta sexta, 8/3, uma proposta para quebrar as monopolistas Amazon, Google e Facebook, tornando-as ‘utilities’ e obrigando que sejam desfeitas fusões e aquisições.

“As grandes empresas de tecnologia de hoje têm muito poder – poder demais sobre nossa economia, sociedade e democracia. Elas arrasaram a competição, usaram nossas informações privadas para lucro, e manipularam o campo de jogo contra todos. E no processo, feriram pequenos negócios e prejudicaram a inovação”, dispara a senadora em um blog intitulado “É hora de quebrar Amazon, Google e Facebook”.

A senadora/candidata defende uma nova legislação que transforme em “platform utilities” as empresas com receita global anual superior a US$ 25 bilhões (quase R$ 100 bi) e que ofereçam ao público online mercado, trocas ou plataforma para conexão com terceiros.

Essas empresas seriam, a partir de então, proibidas de deter ao mesmo tempo a plataforma ‘pública’ e participantes da mesma plataforma. Também passarão a ser proibidas de transferir ou compartilhar dados com terceiros. Regras que obrigariam a reversão de fusões e aquisições.

Pela proposta, plataformas como a Amazon.com, ou seja, o ‘marketplace’ da empresa, o sistema de anúncios no modelo ad Exchange, do Google, assim como o próprio buscador, seriam ‘utilities’ com a legislação defendida pela senadora. E todos eles precisariam ser separados.

Ainda segundo ela, com a legislação antitruste já existente também seria possível reverter fusões, como a compra do Whatsapp e do Instagram pelo Facebook, do Waze, Nest e DoubleClick pelo Google, e das redes de supermercados e calçados Whole Foods e Zappos pela Amazon.

“Desfazer essas fusões vão promover competição saudável no mercado, que vai colocar pressão nas grandes empresas de tecnologia para serem mais responsivas às preocupações dos usuários, inclusive sobre privacidade”, defende Elizabeth Warren.


Comissão Européia: Facebook, Google e Twitter fizeram pouco contra Fake News

Redes sociais prometeram em outubro do ano passado adotar medidas contra a divulgação de notícias falsas relativas às eleições do Parlamento Europeu, que acontecem entre 23 e 26 de maio.

Moradora chama prefeito de "mentiroso" pelo Whatsapp e é multada em R$ 5 mil

TJMG aceitou a queixa do prefeito da cidade de Frei Inocêncio e determinou indenização contra moradora que distribuiu áudio no aplicativo chamando-o de “mentiroso”, “trapaceiro” e “cretino”.

Autoridade de Dados, no Executivo, não terá reconhecimento internacional

“Congresso precisa garantir um modelo interoperável com outros países, que sejamos considerados como país adequado na proteção de dados”, adverte a professora de Direito da UnB e do IDP, Laura Schertel Mendes.

Bibliotecas e museus sofrem para digitalizar e oferecer acervos online

Embora o Plano Nacional de Cultura estabeleça que acervos devem estar disponíveis na internet até 2020, só 31% digitalizam parte do acervo e 22% ofertam na rede.

Para o governo, regulamentação da LGPD exige criação imediata da autoridade de dados

Inserir a autoridade na Presidência foi a solução possível."Queremos a autoridade funcionando um ano antes da vigência da lei. Não dá para discutir eternamente”, diz Luiz Felipe Monteiro.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G