INTERNET

Candidata presidencial nos EUA quer tirar poder da Amazon, Google e Facebook

Convergência Digital* ... 08/03/2019 ... Convergência Digital

A senadora americana pelo partido Democrata, Elizabeth Warren, em campanha para se tornar a adversaria de Donald Trump nas eleições presidenciais dos EUA em 2020, apresentou nesta sexta, 8/3, uma proposta para quebrar as monopolistas Amazon, Google e Facebook, tornando-as ‘utilities’ e obrigando que sejam desfeitas fusões e aquisições.

“As grandes empresas de tecnologia de hoje têm muito poder – poder demais sobre nossa economia, sociedade e democracia. Elas arrasaram a competição, usaram nossas informações privadas para lucro, e manipularam o campo de jogo contra todos. E no processo, feriram pequenos negócios e prejudicaram a inovação”, dispara a senadora em um blog intitulado “É hora de quebrar Amazon, Google e Facebook”.

A senadora/candidata defende uma nova legislação que transforme em “platform utilities” as empresas com receita global anual superior a US$ 25 bilhões (quase R$ 100 bi) e que ofereçam ao público online mercado, trocas ou plataforma para conexão com terceiros.

Essas empresas seriam, a partir de então, proibidas de deter ao mesmo tempo a plataforma ‘pública’ e participantes da mesma plataforma. Também passarão a ser proibidas de transferir ou compartilhar dados com terceiros. Regras que obrigariam a reversão de fusões e aquisições.

Pela proposta, plataformas como a Amazon.com, ou seja, o ‘marketplace’ da empresa, o sistema de anúncios no modelo ad Exchange, do Google, assim como o próprio buscador, seriam ‘utilities’ com a legislação defendida pela senadora. E todos eles precisariam ser separados.

Ainda segundo ela, com a legislação antitruste já existente também seria possível reverter fusões, como a compra do Whatsapp e do Instagram pelo Facebook, do Waze, Nest e DoubleClick pelo Google, e das redes de supermercados e calçados Whole Foods e Zappos pela Amazon.

“Desfazer essas fusões vão promover competição saudável no mercado, que vai colocar pressão nas grandes empresas de tecnologia para serem mais responsivas às preocupações dos usuários, inclusive sobre privacidade”, defende Elizabeth Warren.


Internet fica com 47% dos gastos com publicidade

Segundo a consultoria Zenith, parte do grupo francês Publicis, até 2021, rede vai deter 52% dos gastos totais com propaganda, que neste ano devem crescer 4,6%. 

Cade arquiva processo contra o Google por práticas anticompetitivas no ecommerce

A acusação partiu da E-Commerce Media Group Informação e Tecnologia, dona dos sites Buscapé e Bondfaro. Segundo a empresa, o Google estaria “raspando” avaliações de produtos que clientes para exibi-las como conteúdo no Google Shopping.

Dados pessoais são "de pessoas" e a LGPD não vai matar os negócios

Os advogados Paulo Vidigal, do Opice Blum Associados, e Fernando Bousso, do Baptista Luz Associados, advertem: a venda de base de dados é proibida hoje e seguirá proibida com a LGPD.

Oi amplia vantagem contra TIM e NET no ranking da Netflix

No mês de maio, a Oi ficou à frente das rivais na banda larga por fibra óptica com velocidade média de 4,04 Mbps. A tele está na primeira posição  no ranking da OTT há quatro meses.

STJ: Provedor de internet tem obrigação de fornecer IP de usuário que invadiu e-mail

Relatora Ministra, Nancy Andrighi, sustentou que as prestadoras de serviços de Internet (operadoras inclusas) estão sujeitas ao artigo 1.194 do Código Civil de 2002. Segundo ela, os dados armazenados pelos provedores devem ser suficientes para a identificação do usuário.

Revista Abranet 27 . abril/junho 2019
Veja a Revista Abranet nº 27 A Convenção Abranet 2019 debateu economia, política e gestão. Cerca de cem empresas de internet e de tecnologia puderam ter uma visão mais clara sobre o que esperar no curto prazo. E muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G