Convergência Digital - Home

Santander reduz os riscos operacionais em 70% com plataforma da FICO

Convergência Digital
Convergência Digital* - 13/03/2019

O Santander Brasil pode implementar ou alterar novas estratégias de empréstimos e novos modelos analíticos na metade do tempo usando o FICO Decision Management Suite. A instituição, que é o terceiro maior banco privado do país e representa cerca de 30% das receitas globais do Grupo Santander, reduziu a carga de trabalho para seu grupo de TI, enquanto ganhou a habilidade de responder rapidamente às mudanças e exigências do mercado. Por suas conquistas, o Santander Brasil ganhou o prêmio FICO Decision Awards 2018 em "Inovação em Gerenciamento de Decisões".

A instituição financeira iniciou a jornada rumo a uma plataforma de decisão mais integrada para se adaptar mais rapidamente ao mercado e também aproveitar os dados não estruturados e novas tecnologias de análise, como o Python. "Tivemos que melhorar o tempo de comercialização de nossas novas estratégias para responder rapidamente às mudanças do mercado e atender melhor nossos clientes", disse Francisco Munoz, diretor associado de Enterprise Risk Management.

"Para fazer isso, precisávamos de uma solução que dependesse menos da equipe de TI e proporcionasse aos usuários corporativos o poder de criar, alterar e promover estratégias. Nossa estrutura de 28 mecanismos de decisão, todos implementados em tecnologia de mainframe, não poderia fornecer a flexibilidade e a velocidade que precisávamos", acrescentou o executivo.

A solução escolhida foi o FICO® Decision Management Suite para extrair e transformar os dados brutos do data lake e fornecer recursos para a decisão em tempo real. A plataforma foi escolhida devido à sua flexibilidade e capacidade robusta de suporte à transformação digital do banco. A solução foi usada para transformar variáveis brutas em variáveis prontas para uso no data lake do banco, criando uma "prateleira variável".

O Decision Management Suite é conectado diretamente ao Big Data do banco e à outras fontes de dados e é capaz de acessar rapidamente novos tipos de dados e fornecê-los ao processo de decisão de risco do banco. A equipe de risco também foi capaz de implantar novas formas de modelos analíticos (Python) nas decisões em tempo real do banco.

Com os primeiros mecanismos de decisão de risco em produção e novos mecanismos sendo lançados, o banco já conseguiu estimar os ganhos que a plataforma está trazendo para sua operação:

80% de redução nos custos internos para o desenvolvimento de novos projetos (e atualizações de estratégias)
50% de redução no tempo de lançamento de novos projetos no mercado, novas estratégias de decisão e novos modelos analíticos
60% de redução na dependência da TI, graças a mais capacitação e maior independência dos usuários corporativos na implementação de novas estratégias
80% de redução no treinamento (de cinco meses para um), por meio da padronização da linguagem de programação e consolidação dos mecanismos de decisão
Redução de 70% em incidentes com riscos operacionais

"A decisão centralizada é um dos tópicos mais 'quentes' em software hoje", disse Nikhil Behl, vice-presidente de marketing da FICO. "O Santander Brasil obteve resultados impressionantes logo no início do uso da solução FICO, que deve continuar a simplificar e melhorar os processos de decisão do banco", completou o executivo da FICO.


Destaques
Destaques

Computação em nuvem protagoniza investimentos no Brasil

Crescimento anual das ofertas de cloud é estimado em 26% até 2022. Já os aportes em em Inteligência Artificial vão crescer 29% nos próximos quatro anos.

Embratel: Ao definir preferência pela nuvem, governo agiliza jornada digital

Definição nas compras governamentais por cloud first transforma a contratação de serviço, pontua o gerente executivo de vendas de TI da Embratel, Odélio Horta Filho. Compras governamentais e o uso das novas tecnologias como IA, Machine Learning e IoT serão tema de debate no Brasscom TecFórum, em Brasília.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.

Intuição versus análise de dados na gestão

Por Douglas Scheibler*

O poder decisório significa alta responsabilidade e inúmeros riscos. Neste cenário caótico, analisar dados é indispensável e é o que justifica uma determinada medida ser considerada como correta, em um cenário específico, em detrimento de outras.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site