Governo do Brasil precisa enxergar o 5G como investimento estratégico

Ana Paula Lobo e Rodrigo dos Santos* ... 26/03/2019 ... Convergência Digital

O 5G não vai mudar o mundo da noite para o dia, mas o novo salto tecnológico abre um universo de novas possibilidades, com impacto direto na geração de empregos e de renda, sustenta o vice-presidente e chefe de tecnologia, mídia e telecom para as Americas da consultoria Deloitte, Craig Wigginton. O executivo participou nesta terça-feira, 26/03, do Deloitte.ITC - Industry Transformation Cycle, realizado em São Paulo.

“O 5G poderá viabilizar coisas que não foram implementadas antes. Falamos de internet das coisas há muito tempo. É possível implementar IoT com 4G, mas dependendo dos elementos de conexão, dos ecossistemas envolvidos, o 5G será crucial para termos IoT de verdade. Caso dos carros autônomos, das tecnologias automatizadas em saúde, aplicações que exigem baixa latência. Você não vai querer latência em cirurgias remotas ou em carros autônomos”, afirma.

Em entrevista à CDTV, do portal Convergência Digital, o especialista assegura que haverá ganhos para os países que venham a adotar rapidamente o 5G. “Quanto mais rápido os países adotarem, melhor. Pelo mundo vemos diferentes níveis, diferentes ritmos do 4G para o 5G, ou mesmo do 3G. Para o Brasil, em particular, é uma boa oportunidade para alavancar essa nova tecnologia. Mesmo com o 4G ainda em implementação, adotar rapidamente o 5G em pelo menos áreas populosas é certamente um adicional. Porque ajuda com eficiência de espectro, eficiência de rede.”

Por esse raciocínio, é importante que os governos nacionais entendam que a implantação dessas novas redes são investimentos e não custos a serem contabilizados. “Governos devem pensar amplamente. 5G é um investimento estratégico, não um custo. Hoje é custo, mas é um investimento no futuro, com impacto no PIB, nos empregos. Há muito valor em jogo no desenvolvimento de um novo plano para a banda larga.” Assistam a entrevista exclusiva com o vice- presidente da consultoria e chefe de tecnologia, mídia e telecom para as Americas da Deloitte, Craig Wigginton.


Internet Móvel 3G 4G
OpenRAN aberta: o xeque-mate do xadrez geopolítico do 5G

Fornecedores precisam  se comprometer mais com a compatibilidade com RAN aberta e os EUA precisam correr  para não perder de vez mercado para Ásia e Europa, advertiu o vice-presidente de estratégia de rede da Telus, Bernard Bureau.

Relator no Senado propõe desoneração de IoT e VSats sem mudar texto da Câmara

Relator do PL 6549/19 na CCT, senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) sustenta que isenção de Fistel, Condecine e CFRP vai, na prática, aumentar a arrecadação . “Ganho líquido na arrecadação será de R$ 2,9 bilhões”, afirma. 

Empate suspende decisão do STF sobre desbloqueio de celular em 24 horas

Operadoras questionam no Supremo uma lei do Rio de Janeiro que determina o desbloqueio da linha 24 horas após quitação de dívida. Placar está em 5 a 5. 

Para Oi, assinatura básica teria que ser acima de R$ 100 para pagar concessão

Presidente da Oi, Rodrigo Abreu, diz que a pandemia foi ruim para o setor e que a busca pelo equilíbrio é fundamental. “O ‘break even’ seria mais caro que um pacote básico de banda larga."

Copel Telecom marca privatização para novembro e quer R$ 1,4 bilhão

Edital de venda do braço de telecomunicações da estatal paranaense de energia é previsto para 21/9. Empresa tem 34 mil km de fibras em 399 municípios. 

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G