INCLUSÃO DIGITAL

TV Digital: Com parecer pró-TVs, Anatel acena com recursos para banda larga

Luís Osvaldo Grossmann ... 25/04/2019 ... Convergência Digital

Sem surpresas, a Advocacia Geral da União convalidou a posição jurídica do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, pela qual as sobras de recursos do processo de transição para a TV Digital devem ser utilizados, prioritariamente, na distribuição de mais kits de antenas e conversores para brasileiros inscritos no programa Bolsa Família. Mas o presidente do Gired, Moisés Moreira, acena com espaço projetos apresentados pelas operadoras móveis.

“O parecer diz que a prioridade seria a distribuição de kits para a digitalização da TV no país, porém, havendo sobra nisso poderiam ser utilizados para outros projetos também. Esses outros projetos já foram apresentados ao Gired. Eles estão em análise no grupo técnico de projetos. Eles também serão submetidos à procuradoria, o Gired vai deliberar e até mesmo o Conselho da Anatel”, afirma Moreira, que lidera o grupo que reúne teles móveis, emissoras de TV, Anatel e MCTIC e é responsável pela coordenação da digitalização da TV no país.

O dinheiro da digitalização, que custeia a distribuição de kits, mas também transmissores digitais e medidas para mitigação de interferências, é fruto da obrigação acessória do leilão da faixa de 700 MHz, antes da TV, agora da telefonia móvel. Eram R$ 3,6 bilhões. Com projeções de que vão sobrar quase R$ 900 milhões, abriu-se o racha no Gired. As emissoras de TV querem mais kits e mais transmissores. As teles querem redes de banda larga.

Racharam também governo e Anatel. Para a agência, o edital já prevê que as sobras poderiam ser usadas em outros projetos, a serem discutidos pelo Gired e aprovados pelo Conselho Diretor da agência. Para o MCTIC, os kits vêm primeiro o a palavra final é da pasta, a quem cabe ditar políticas públicas. O parecer da AGU veio para dirimir a dissidência jurídica. Curiosamente, ele também trouxe outra dissidência. A primeira posição foi pró-Anatel. A segunda também. Mas ao subir ao diretor de departamento, foi revertida em posição pró-MCTIC, confirmada pelo Advogado-Geral da União André Luiz de Almeida Mendonça.

“É certo que a disposição editalícia autoriza a possibilidade de aplicação do saldo porventura remanescente em ‘outros projetos’, no entanto, referenciada disposição conferiu prioridade à distribuição de conversores”, conclui a AGU. “Casa haja recursos remanescentes, deve ser considerada priorização para distribuição de conversores de TV Digital.”

Ao indicar que entende caberem os demais projetos, o presidente do Gired sinalizou para a construção de uma solução negociada. Basicamente, há o projeto das emissoras de TV privadas, com apoio das públicas, de mais kits e transmissores, especialmente para transmissores digitais em 1,6 mil cidades. As teles como grupo querem infraestrutura de banda larga. E ainda surgiu uma proposta da Tim de usar o dinheiro para segurança pública, especialmente para bloqueadores em presídios. Segundo Moreira, a escolha, ou as escolhas, se daráo até o fim deste ano.


MPF recomenda que instituto cancele compra de MacBooks de R$ 12 mil e use PCs mais baratos

Instituto Federal de Educação do Rio Grande do Norte (IFRN) quer 20 notebooks da Apple para o setor administrativo, em custo superior a R$ 250 mil. MPF diz que licitação deve incluir outras marcas. 

Covid-19 aumentou o uso da internet nas classes C, D e E

Segundo a pesquisa TIC Covid-19, do Cetic.br, a pandemia aumentou o uso da rede em todas as classes e faixas etárias. O que já era hábito entre os mais ricos, passou a ser mais comum entre os mais pobres para compras e serviços.

Bemol quer Wi-Fi 6 e Wi-Fi 6E para levar banda larga para quem não tem nem 3G

Varejista com atuação na região norte do País tem planos de expandir sua infraestrutura para mais cidades, mas conta com a frequência não licenciada, diz o gerente de TI, Jesaias Arruda.

Saúde pública padece de acesso à Internet e de segurança de dados

Processo de levar acesso à Internet para as Unidades Básicas de Saúde(UBS) não avança e apenas 23% delas disponibilizam agendamento de consultas pela Internet. Nas unidades privadas, o atendimento online está em 100% do segmento. Diferença é evidente na comparação do Norte e Nordeste com o Sul e Sudeste.

Escolas viram telecentros para quem não tem acesso à Internet

Maior parte dos usuários vai para fazer pesquisa escolar e digitar currículos ou outros documentos. Conexão à Internet melhorou, mas a maioria tem conexão entre 1 Mpbs até 5 Mbps.

MEC exige energia elétrica nas escolas para levar banda larga

Escolas precisam também estar  em área de cobertura terrestre ou via satélite, e ter mais de 14 matrículas em 2020. 



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G