GESTÃO

STJ se adequa à LGPD e admite que houve ajustes de TI

Luis Osvaldo Grossmann e Pedro Costa ... 21/04/2019 ... Convergência Digital

A adaptação à Lei Geral de Proteção de Dados já começou no Superior Tribunal de Justiça, conforme revela o coordenador de infraestrutura do Tribunal, Valmir Ferreira Gomes. Tanto no relacionamento externo como interno, as medidas trazidas pela legislação exigem nova conscientização.Gomes participou da mesa redonda sobre segurança da informação e o impacto nos negócios, realizada pelo Convergência Digital, em parceria com a Unisys e a Dell EMC.

“O STJ já está adotando a LGPD nos nossos processos licitatórios, por exemplo. Assim que a gente publica um edital, uma intenção de registro de preços, a primeira coisa que a gente recebe são pedidos das empresas de acesso direto ao SEI, a todos os documentos”, diz o coordenador de infraestrutura. “Começamos a nos policiar melhor sobre isso”.

 Internamente, também estão sendo necessários ajustes. “Como o nosso storage estava com problema de espaço, o Tribunal autorizou que colocássemos na nuvem os dados pessoais dos funcionários. Foi uma confusão entre o que é pessoal, o que é do STJ, etc. Isso exigiu conscientização de todas as unidades. A gente percebeu que a segurança do dado é muito importante em nível pessoal também”.


eSocial: Alterações relativas à contribuição previdenciária estão no ambiente de testes

O comitê do eSocialdiz que para permitir que empregadores e desenvolvedores façam testes foram estabelecidas datas fictícias relativas às faixas de salário de contribuição.

Aplicativo do governo mostra devedores da União e FGTS

Batizado ‘Dívida Aberta’, app para celulares e tablets permite consulta por nome, CPF ou CNPJ, ou mesmo pelo mapa do Brasil. 

Em mais uma etapa, BNDES ganha competência para vender ações da Dataprev

Portaria 1.675/20,  da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional, lembra que o banco de fomento é o gestor do Fundo Nacional de Desestatização

Secretário de Desestatização acusa Serpro e Dataprev de venderem dados pessoais

"Se fosse (empresa) privada não aconteceria", alegou o Secretário de Desestatização do Governo Bolsonaro, Salim Mattar, em entrevista à radio Gaúcha. Fenadados promete processar Mattar por calúnia.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G