Home - Convergência Digital

Oi investe em IoT, conectividade e telepresença para o agronegócio

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 30/04/2019

A Oi marca presença na Agrishow, maior feira de tecnologia agrícola do Brasil, que ocorre de 29 de abril à 3 de maio, em Ribeirão Preto (SP). A companhia passa a atuar de forma estratégica no agronegócio e apresenta no evento soluções digitais de conectividade, IoT (internet of things) e comunicação para clientes corporativos com foco no aumento da produtividade no campo.

As soluções de conectividade e IoT da companhia para o agronegócio possibilitam o acesso e o envio de informações online da fazenda à sede, remotamente, através da emissão de sinal via antena ou satélite para os implementos agrícolas plugados à rede, permitindo o monitoramento do comportamento e produção da plantação e colheita.

A atuação mais ágil e proativa na prevenção de falhas e sobreposições das operações, evitando desperdícios dos recursos, o combate de pragas, a correção da acidez do solo e a manutenção de maquinários são alguns dos fatores que passam a ter visibilidade com tecnologias ofertadas pela Oi. Ao longo das safras, com uso de software para a análise de dados, o cliente que adquire essas tecnologias conta com uma massa crítica de informações para as tomadas de decisão.

Em fevereiro, as soluções digitais da Oi para o agronegócio tiveram eficiência atestada pela AMAGGI, uma das empresas líderes do setor na América Latina, com atuação em sete países através da produção e comercialização agrícola, em logística e energia. Ambas as empresas celebraram contrato, sendo a Oi responsável por fornecer e gerenciar a conectividade e os dispositivos encarregados de transmitir os dados do campo à sede da fazenda Tucunaré, uma propriedade AMAGGI de 87,6 mil hectares, localizada a cerca de 500 km de Cuiabá, oferecendo cobertura de aproximadamente 35 quilômetros de raio na área de plantio.

Nesse caso, foi utilizado a frequência 450 MHz que a Oi tem direito de uso exclusivo no MT, MS, GO, DF e RS. Como benefícios, a AMAGGI adquire melhor gestão dos ativos espalhados em campo e a possibilidade de criar uma rede integrada de sensores e dispositivos remotos.

Para as demandas de comunicação no segmento agrícola, a operadora apresenta solução de telepresença que integra videoconferência, telepresença e salas virtuais na nuvem através de multidispositivos. Com a plataforma, empresas do agronegócio passam a dispor de uma tecnologia desenvolvida para realizar comunicação entre as sedes espalhadas por diversas regiões. A solução viabiliza realizar encontros de forma virtual, sem perda de qualidade, gerando economia de gastos de deslocamento e tempo dos colaboradores.


 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

09/10/2019
Claro e TIM perdem. Oi fica sem poder de mercado em São Paulo, Centro-Oeste e Sul

07/10/2019
Cidade do Rock 5G registrou 11,6 milhões de conexões em rede WiFi gratuita

07/10/2019
"Fatiamento" da Oi está fora do escopo do novo Marco Legal de Telecom

03/10/2019
Oi amplia cobertura com 4,5G e chega a 35 municípios

02/10/2019
"Será uma honra ser sucedido pelo Rodrigo", diz Eurico Teles, da Oi

30/09/2019
Cidade do Rock no Rio vira Cidade 5G

26/09/2019
Oi terá 5G e dará WiFi gratuito para clientes e não-clientes no Rock in Rio

20/09/2019
Rodrigo Abreu, ex-TIM, assume função estratégica na Oi

19/09/2019
TJ-RJ mantém condenação da Oi em R$ 200 milhões por contrato na área de games

19/09/2019
Nova lei de telecom ajuda Oi em meio bilhão de reais por ano, calcula Fitch

Destaques
Destaques

5G chegará a 75 milhões de conexões na América Latina até 2023

Até lá, a tecnologia LTE segue com um crescimento considerável. Em junho foram 4,7 bilhões de conexões, ou 53% de todas as conexões celulares no mundo, revela a 5G Americas.

TVs defendem migração da banda C para Ku e calculam custo em R$ 2,9 bilhões

Abratel, que representa Record e Rede TV!, apresentou formalmente à Anatel uma proposta de migração das transmissões como forma de evitar a interferência do uso da faixa de 2,5 GHz nas antenas parabólicas.  

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Carro autônomo: decisões baseadas em dados vão evitar acidentes?

Por Rogério Borili *

O grande debate é que a inteligência dos robôs precisa ser programada e, embora tecnologias como o machine learning permitam o aprendizado, é preciso que um fato ocorra para que a máquina armazene aquela informação daquela maneira, ou seja, primeiro se paga o preço e depois gerencia os danos.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site