" /> Vertiv: Edge computing impõe um novo jogo no negócio de data center - Convergência Digital - Cloud Computing
Convergência Digital - Home

Vertiv: Edge computing impõe um novo jogo no negócio de data center

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 20/05/2019

A era dos grandes data centers se encerra com o edge computing, observa o diretor geral da Vertiv no Brasil,Rafael Garrido. Em entrevista ao Convergência Digital, o executivo diz que os grandes data centers servirão de base, mas os mini data centers vão proliferar, uma vez que a nova arquitetura de rede, muito impulsionada pelo 5G, exige menor latência possível para as aplicações.

"Milhões de usuários conectados ao mesmo tempo vendo streaming de vídeo e também as coisas conectadas exigem o processamento mais veloz e são os mini data centers que vão permitir cumprir essa exigência", observa Garrido. A Vertiv, que é originária de um spin off da Emerson, e se considera uma startup com valor de US$ 4 bilhões, aposta que o mercado de data center vive um novo momento no mundo e que essa nova era virá para o Brasil.

"O edge computing e o grande data center vão conviver. O que muda é que o mercado nacional vive uma grande concentração de data centers em poucas regiões e edge computing abre frente para os mini data centers descentralizados. São eles que vão fazer a diferença para entrega da aplicação mais rápida com o 5G", observa Garrido.

Sobre o consumo de energia, Garrido diz que, sim, o edge computing amplia o consumo e, por tabela, o custo da infraestrutura. Mas diz que o mercado busca soluções que minimizem essa elevação. "A eficiência energética se faz muito maior com a edge computing. Nós na Vertiv estamos trabalhando demais para encontrar soluções para minimizar o consumo maior de energia. Garrido assegura que 5G e Edge Computing vão mudar a rede para melhor. Assistam a entrevista com Rafael Garrido, diretor geral da Vertiv do Brasil.


ARTIGO . Por Melissa Torgbi

Cientista de dados: seja curioso, se envolva e tenha muita disposição para resolver problemas

Há muita empolgação acerca do termo “ciência de dados” atualmente. Para nós que queremos ser cientistas de dados, há alguns requisitos. Um deles: ter muita, mas muita vontade de aprender o tempo todo.

Destaques
Destaques

Empresas ambicionam mais Inteligência Artificial, mas sofrem com falta de talento

Um apesquisa global da Bain mostra que três em cada empresas, instigadas pela covid-19 e a aceleração da digitalização, se preparam para investir mais em inteligência artificial e machine learning. Mas assumem que as dificuldades não são poucas.

Eneva investe R$ 3 milhões para unir gás à energia com a IA ALINE

Software, que utiliza algoritmos de machine learning, foi desenvolvido em parceria com o Instituto Tecgraf da PUC/Rio e está sendo testado no Maranhão. Próxima etapa é um projeto de pesquisa com foco na integração da produção do gás onshore com a geração de energia, o que significa usar IA em um projeto 100% conectado.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O que é o balanceamento de carga de alta disponibilidade?

Por Ivan Marzariolli *

A alta disponibilidade começa com a identificação e eliminação de pontos únicos de falha em sua infraestrutura que podem desencadear uma interrupção do serviço - por exemplo, implantando componentes redundantes para fornecer tolerância a falhas no caso de um dos dispositivos estiver com problemas.

Dados em tempo real fazem toda a diferença no e-commerce

Por Leandro Rodriguez*

O tempo se tornou o fator crítico no relacionamento entre vendedor e comprador. Levar informações em tempo real a uma filial local ou a gerentes de loja pode ser determinante para a aquisição de clientes e, consequentemente, aumentar as vendas.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site