Convergência Digital - Home

Vertiv: Edge computing impõe um novo jogo no negócio de data center

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 20/05/2019

A era dos grandes data centers se encerra com o edge computing, observa o diretor geral da Vertiv no Brasil,Rafael Garrido. Em entrevista ao Convergência Digital, o executivo diz que os grandes data centers servirão de base, mas os mini data centers vão proliferar, uma vez que a nova arquitetura de rede, muito impulsionada pelo 5G, exige menor latência possível para as aplicações.

"Milhões de usuários conectados ao mesmo tempo vendo streaming de vídeo e também as coisas conectadas exigem o processamento mais veloz e são os mini data centers que vão permitir cumprir essa exigência", observa Garrido. A Vertiv, que é originária de um spin off da Emerson, e se considera uma startup com valor de US$ 4 bilhões, aposta que o mercado de data center vive um novo momento no mundo e que essa nova era virá para o Brasil.

"O edge computing e o grande data center vão conviver. O que muda é que o mercado nacional vive uma grande concentração de data centers em poucas regiões e edge computing abre frente para os mini data centers descentralizados. São eles que vão fazer a diferença para entrega da aplicação mais rápida com o 5G", observa Garrido.

Sobre o consumo de energia, Garrido diz que, sim, o edge computing amplia o consumo e, por tabela, o custo da infraestrutura. Mas diz que o mercado busca soluções que minimizem essa elevação. "A eficiência energética se faz muito maior com a edge computing. Nós na Vertiv estamos trabalhando demais para encontrar soluções para minimizar o consumo maior de energia. Garrido assegura que 5G e Edge Computing vão mudar a rede para melhor. Assistam a entrevista com Rafael Garrido, diretor geral da Vertiv do Brasil.


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Disseminação de serviços em nuvem puxa investimentos globais em TI

Segundo projeções da consultoria Gartner, gastos devem bater em R$ 15 trilhões neste ano e crescer 3,7% em 2020, puxados por cloud computing. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Você já pensou no impacto que os seus dados geram no planeta?

Por Gustavo Loiola*

Hoje, são milhares de data centers espalhados pelo Planeta. É engraçado pensar nisso quando hoje falamos da tal da “nuvem" que armazena os nossos dados. Tiramos uma foto? Vai para a nuvem. Postamos no Instagram? Vai para a nuvem. Netflix, Spotify, Deezer? O streaming também está na nuvem.

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site