TELECOM

Reforma tributária: integrantes do PSDB discordam sobre o teor

Por Fábio Barros* ... 21/05/2019 ... Convergência Digital

O deputado federal Vitor Lippi (PSDB/SP) e o prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior (PSDB/RS), discordaram sobre o rumo que as reformas vem tomando no Congresso Nacional. Os dois participaram nesta terça-feira, 21/05, do Painel Telebrasil 2019, em Brasília.

Ao comentar o clima no Congresso Nacional, Lippi disse defender a reforma da Previdência e uma futura reforma tributária. “Não há plano B. Nosso plano A é aprovar a reforma da Previdência, com algumas mudanças na área social que não impactem os resultados esperados”, disse. Para Lippi, o atual texto da reforma corta privilégios de todos os tipos, não apenas as aposentadorias de valores altíssimos, mas também aquelas obtidas com pouco tempo de trabalho.

“O Brasil é um dos poucos países do mundo que não definiu uma idade mínima para aposentadoria. Só o Brasil e outros 11 pequenos países no mundo não trataram disso”, acrescentou. Lippi disse ter a percepção de haver um ambiente favorável no Congresso para a aprovação da Previdência e início das discussões sobre a questão tributária. “Temos um manicômio tributário, que é o mais custoso e mais burro do mundo, que cai sobre a indústria, sobre quem gera emprego”, disse.

O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, também do PSDB, discordou dos benefícios do texto atual. “A verdadeira reforma da Previdência é a que mexe no setor público. Só isso resolveria metade do nosso déficit. Além disso, o texto atual traz de volta a paridade a integralidade, favores para máquina pública que havíamos eliminado há mais de 15 anos”.

Sobre a reforma tributária, Marchezan Júnior disse que as discussões ocorridas até aqui trazem de volta as super carreiras e os super salários para auditores fiscais. “Botar estes jabutis para fazer favores é contra tudo que o Brasil precisa nesse momento”, defendeu.

Sem tomar partido, o prefeito de Uberlândia, Odelmo Leão (PP/MG), defendeu que a Câmara precisa decidir votar, e rápido. “Se quiser votar, vota. O país tem pressa. Se não acontecerem as medidas que o país precisa, não haverá caminho”, finalizou.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Anatel simplifica e zera custo para homologar produtos de Telecom

"A isenção da taxa é imediata e vale para todos os produtos homologados pela Anatel – inclusive radioamadores, drones e produtos importados para uso do próprio usuário”, disse o presidente da Agência Reguladora, Leonardo Morais.

Anatel: Tirando Oi, Telefônica, Claro, TIM e Sky todas as demais são pequenas prestadoras

Critério mudou de 50 mil acessos para 5% de cada mercado relevante, telefonia fixa e móvel, internet e TV paga.  Definição permite a isenção de uma série de obrigações regulatórias.

Acordo entre Enel e teles tenta novo mutirão de ‘limpeza’ dos postes em SP

Meta de limpar 1,8 mil postes até dezembro foi acertada com Vivo, Claro, TIM, Oi e Telcomp e o Procon-SP. 

Teles fazem campanha por conta digital sem papel

Segundo Sinditelebrasil, 76 milhões de clientes ainda recebem faturas impressas todos os meses – em média, 152 milhões de folhas. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G