Home - Convergência Digital

Ericsson: adoção do 5G será ainda mais rápida do que foi a do 4G

Convergência Digital - 12/06/2019

Edição da pesquisa Ericsson Mobility Report, divulgada nesta terça-feira, 11/06,  projeta que, até 2024, o mundo terá 1,9 bilhão de acessos móveis 5G, o que significa uma revisão para cima das próprias projeções - até então seriam 1,5 bilhãode acessos 5G ativos. O montante representará 20% do parque móvel mundial, que deve alcançar 8,8 bilhões em cinco anos. Já na América Latina o ritmo será mais lento, com 7% dos acessos móveis em 2024 operando em 5G.

A Ericsson projeta ainda ter 690 milhões de acessos móveis ativos na região até a data, mas a parcela de acessos 5G  deve representar cerca de 48 milhões acessos ativos. No caso da América do Norte, dos 430 milhões de acessos previstos para daqui cinco anos, 63% já devem ser de quinta geração (ou mais de 270 milhões). Já a região do nordeste asiático (que inclui a China) deve contribuir com pelo menos 1 bilhão de assinaturas, ou 47% de sua base futura.

Até o fim de 2019, a Ericsson espera que 10 milhões de usuários 5G estejam ativos em países onde redes e dispositivos habilitados já foram lançados, como EUA e Coreia do Sul. Em 2020, a chegada de redes em novos países deve adquirir ritmo mais intenso, assim como o lançamento de novos aparelhos.

“Olhando para o futuro, espera-se que nos primeiros cinco anos as assinaturas 5G cresçam significativamente mais rápido que o LTE após o seu lançamento em 2009”, pontuou o relatório. Ainda assim, a projeção é que o número de usuários 4G siga crescendo pelo menos até 2022, quando 5,3 bilhões de acessos móveis na tecnologia são projetados (contra 3,7 bilhões atuais). Na América Latina, o declínio deve começar mais tarde: se hoje os acessos em LTE são 42% do total na região, em 2024 eles devem alcançar três quartos do parque móvel.

Fonte: Ericsson e portal Mobile Time

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

07/07/2020
Nokia usa RAN aberto para provocar Ericsson no 5G

02/07/2020
Faixa de 1,5 GHz também pode ser destinada ao 5G para uso privado

02/07/2020
Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

30/06/2020
Vivo e TIM avançam com OpenRAN para 'quebrar' concentração dos fornecedores

30/06/2020
Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

29/06/2020
Vodafone: 5G é o remédio para combater o impacto da Covid-19

25/06/2020
Covid-19 impôs revisão dos projetos 5G na América Latina

23/06/2020
Huawei: Brasil sempre teve um mercado aberto e justo no setor de TIC

19/06/2020
CEO da Algar: Banir fornecedor do 5G seria um tremendo equívoco

18/06/2020
Aumento de espectro para 5G está em consulta pública

Destaques
Destaques

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Oi Móvel terá um 'único' dono e Oi não se exclui do jogo do 5G

O CEO da Oi, Rodrigo Abreu, descartou a possibilidade de vender a Oi Móvel 'fatiada' para atender aos interessados: Vivo/TIM e Claro. "Sem chance. O ativo será vendido todo", disse. Sobre o 5G, diz que dependendo do modelo de venda, a Oi entra pensando em B2B, IoT e até para ser MVNO.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site