Home - Convergência Digital

TIM e Vivo avaliam ampliar compartilhamento também para o 3G

Luís Osvaldo Grossmann - 24/07/2019

O presidente da Vivo, Christian Gebara, disse nesta quarta-feira, 24/7, que a rede de telecomunicações necessária para um país das dimensões do Brasil é muito ampla e o compartilhamento recém-anunciado com a TIM é uma das formas de garantir essa cobertura. 

“É difícil acreditar que seremos capazes de sermos um player independente, construindo nós mesmos toda a rede que acreditamos ser necessária em um país do tamanho do Brasil”, afirmou o executivo durante apresentação dos resultados da companhia no segundo trimestre deste ano. 

“Ainda é cedo para falarmos de impacto. Vai depender dos resultados no Capex e Opex. Mas estou otimista de que isso pode funcionar. E podemos vir a expandir para o 3G também”, completou Gebara. Ele explicou que “é acordo diferente com o que fizemos com a Oi, que era em 2,5 GHz, para o 4G. No fim fizemos 1,3 mil sites, ou seja, cerca de 650 cada empresa. Este acordo com a TIM é mais agressivo em cidades e sites. Temos 90 dias para fazer acontecer. Estamos falando em 150 cidades cada.”

Segundo ele, “a ideia no 2G é trabalhar um única rede dividindo o footprint e fornecer serviços em metede do país cada, liberando frequências para uso em outras tecnologias, como 4G. Vamos começar fora das capitais para ver como funciona e podemos expandir para outras. Vai depender da análise nesses 90 dias antes da aprovação da Anatel. No 4G, o foco é em 700 MHz, em cidades com menos de 30 mil habitantes. Se funcionar, pode também ser ampliado para cidades maiores.”

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

10/07/2020
TIM avança com proposta de conta digital única para as teles

10/07/2020
TIM e C6 Bank combinam pacote de dados e cartão sem anuidade em nova oferta

09/07/2020
No Brasil, TIM nega descarte da Huawei para rede 5G

08/07/2020
TIM acaba com acesso grátis às chamadas de voz e vídeo do WhatsApp e Messenger

07/07/2020
Anatel assina com TIM primeira troca de multa por investimentos

06/07/2020
UISA, de bionergia, contrata Vivo para ter 4G e IoT na produção de bionergia

02/07/2020
TIM atendeu três milhões de chamadas usando o Watson, na nuvem pública da IBM

02/07/2020
Depois da TIM, Vivo e Claro também são multadas em R$ 800 mil

29/06/2020
Vivo Play embarca Amazon Prime Video em sua plataforma

26/06/2020
Vivo Empresas fecha parcerias para clientes nas áreas de saúde e serviços

Destaques
Destaques

Tempo é um luxo que o Brasil não tem para fazer o 5G

Pesquisa da Omdia, ex-Ovum, em parceria com a Nokia, mostra que, nos próximos 15 anos, o 5G vai gerar R$ 5,5 trilhões para o País, sendo o governo beneficiado com o adicional de quase R$ 1 bilhão em receita com os serviços 5G.

Covid-19 fez smartphone virar agência bancária com 41% das transações financeiras

As transações bancárias feitas por pessoas físicas pelos canais digitais foram responsáveis por 74% do total de operações analisadas em abril, revela a Febraban.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Uma escolha de Sofia no leilão de 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

Em um país democrático, como o Brasil, sem análise estratégica, não daria para arriscar em dispor, comercial e tecnologicamente, de “uma cortina de ferro ou uma grande muralha” para restringir fornecedores no mercado de telecomunicações.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site