TELECOM

Leilão 5G: Abranet propõe 40% e 50% de margens de preferência para pequenos

Luís Osvaldo Grossmann ... 26/09/2019 ... Convergência Digital

Inspirado no modelo apresentado pela FCC americana no início de setembro, a Abranet, que representa pequenos provedores e empresas de telecom, apresentou à Anatel uma proposta para que o leilão 5G, previsto para 2020, adote margens de preferência entre 40% e 50% para o que a agência chama de prestadoras de pequeno porte – aquelas empresas com menos de 5% do mercado.

“Separar faixa para pequeno porte é desnecessário desde que o edital dê condições de participação de várias empresas, novas e atuais. Há um grupo de empresas já em funcionamento, que com investimento pequeno pode ampliar suas operações com mais espectro. Outra situação são operadoras novas, que vão construir uma operação nova usando a frequência. Esses dois atores não podem ter o mesmo peso no edital. Para as novas deve haver um desconto no bid”, defendeu o consultor e representante da Abranet Edmundo Matarazzo. 

A ideia combina o que já é previsto na legislação brasileira, a margem de preferência para micro e pequenas empresas em compras públicas, com percentuais vitaminados e um modelo que será adotado pela Federal Communications Commission dos Estados Unidos no leilão 5G de lá, em 2020, quando será oferecida a faixa de 3,5 GHz. Nos EUA, pequenas e micro terão margens de 15% e 25%, respectivamente. 

Significa que empresas de pequeno porte ficam com o naco do espectro mesmo que apresentem lances menores que as grandes. Na proposta da Abranet, essas margens seriam de 40% em áreas urbanas e de 50% nas áreas rurais. Também prevê um sistema de pontuação dos lances, valorizando mais aqueles que garantam maior cobertura (100% do município), áreas não atendidas e novos negócios, além da qualificação prévia dos competidores com análise de viabilidade, pelo BNDES, das propostas. 

As chances dos pequenos no leilão 5G foi foco de debates realizados pela Anatel na terça, 25/9. No encontro, a associação NeoTV apresentou uma outra proposta, que prevê blocos regionais para as prestadoras de pequeno porte, de 60 MHz na faixa de 3,5 GHz e 40 MHz na faixa de 2,3 GHz. Também sugere dois blocos nacionais de 400 MHz na faixa de 26 GHz, mas pede que essa parte do espectro fique para um outro leilão. “É importante que o edital do 5G consiga harmonizar a presença das empresas grandes com as empresas regionais”, afirmou o diretor geral da entidade, Alex Jucius.


Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições

Anatel simplifica e zera custo para homologar produtos de Telecom

"A isenção da taxa é imediata e vale para todos os produtos homologados pela Anatel – inclusive radioamadores, drones e produtos importados para uso do próprio usuário”, disse o presidente da Agência Reguladora, Leonardo Morais.

Teles fazem campanha por conta digital sem papel

Segundo Sinditelebrasil, 76 milhões de clientes ainda recebem faturas impressas todos os meses – em média, 152 milhões de folhas. 

Consumidores reclamam de proposta da Anatel que reduz conselho de usuários

Idec e Coalizão Direitos na Rede apontam que novo regulamento do Cdust prevê apenas um conselho nacional por operadora, no lugar dos 30 regionais atuais. E que agência suspendeu eleição com 300 mil votos. 

Projeto que torna roaming obrigatório passa na CCT da Câmara

Medida, que na prática já é prevista em leilões de espectro, vale somente para Vivo, Claro, Tim e Oi. 




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G