Acordo entre Enel e teles tenta novo mutirão de ‘limpeza’ dos postes em SP

Luís Osvaldo Grossmann ... 15/10/2019 ... Convergência Digital

Pressionadas pelo Procon-SP, que expediu uma notificação sobre o assunto ainda em agosto, a Enel (ex Eletropaulo) e as operadoras de telecomunicações Vivo, Claro, TIM e Oi, além da Telcomp, firmaram um Protocolo de Intenções para “acabarem com a fiação irregular encontrada nos postes da cidade de São Paulo”. 

A nova tentativa tem como meta adequar 18 mil postes até 20 de dezembro próximo. E segundo a Enel o novo mutirão já começou desde a noite de segunda, 14/10, na Avenida 23 de Maio. 

As próximas etapas da ‘limpeza’ na capital paulista envolve as avenidas Pedro Álvares Cabral, Brasil, Rebouças, 9 de Julho até a Rua José Maria Lisboa, descendo para toda a região do Paraíso, mais a região da Avenida Engenheiro Luís Carlos Berrini.

Segundo a Enel, as empresas de telecomunicações terão que ordenar todos os seus cabos em seis pontos por grupo econômico. Também terão que instalar equipamentos em local adequado, os cabos não devem estar em nenhuma situação emergencial, situação de risco a população ou em proximidade com rede energizada. 

A distribuidora de energia vai remover fios irregulares e clandestinos, assim entendidos aqueles que não possuem contrato com a emprsa, para que as operadoras de telecomunicações tenham espaço para adequar suas redes. 

A encrenca dos postes é grande, envolve cerca de 9 milhões deles nas maiores cidades do país, mas de complexa solução. 

Vale lembrar que há mais de um ano venceu um prazo dado pela comissão de resolução de conflitos da Anatel e Aneel, o que ensejou a Enel a programar o corte fios considerados irregulares. Na época a meta era a regularização de 2.129 postes na região metropolitana de São Paulo. Depois disso, o Procon-SP entrou na disputa com uma notificação aos envolvidos. Daí o novo acerto. 


Internet Móvel 3G 4G
Para TIM, migração para banda Ku vai atrasar ainda mais 5G

Presidente da operadora, Pietro Labriola, diz que opção pelos filtros nas parabólicas é saída mais pragmática. “Não podemos leiloar uma frequência que ficará ociosa”, afirma.

SindiTelebrasil muda marca para Conexis. Rodrigo Abreu, da Oi, assume comando

Abreu substitui o presidente da Algar Telecom, Luiz Alexandre Garcia, que ficou à frente da entidade nos últimos cinco anos. Prioridades de Abreu são o leilão 5G e fazer valer a Lei das Antenas no dia a dia real das teles.

Relator no Senado propõe desoneração de IoT e VSats sem mudar texto da Câmara

Relator do PL 6549/19 na CCT, senador Vanderlan Cardoso (PSD-GO) sustenta que isenção de Fistel, Condecine e CFRP vai, na prática, aumentar a arrecadação . “Ganho líquido na arrecadação será de R$ 2,9 bilhões”, afirma. 

Empate suspende decisão do STF sobre desbloqueio de celular em 24 horas

Operadoras questionam no Supremo uma lei do Rio de Janeiro que determina o desbloqueio da linha 24 horas após quitação de dívida. Placar está em 5 a 5. 

Para Oi, assinatura básica teria que ser acima de R$ 100 para pagar concessão

Presidente da Oi, Rodrigo Abreu, diz que a pandemia foi ruim para o setor e que a busca pelo equilíbrio é fundamental. “O ‘break even’ seria mais caro que um pacote básico de banda larga."

Revista do 63º Painel Telebrasil 2019
Veja a revista do 63º Painel Telebrasil 2019 Transformação digital para o novo Brasil. Atualizar o marco regulatório das telecomunicações é urgente para construir um País moderno, próspero e competitivo.
Clique aqui para ver outras edições



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G