Convergência Digital - Home

PegaSystems: Empatia faz a diferença na Inteligência Artificial

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 11/11/2019

A empatia faz toda a diferença no uso da Inteligência Artificial e é quem permitirá o bom relacionamento entre máquinas e homens, observa Rob Walker, vice-presidente da Pegasystems. Em visita ao Brasil - a primeira realizada no final de outubro - o executivo se reuniu com as principais operadoras de telecomunicações nacionais. "Não há mais atendimento ao cliente sem Inteligência Artificial. A questão é saber incorporar a empatia para que o consumidor fique, de fato, satisfeito com o atendimento. A máquina por si só não resolve os problemas", observa o especialista.

No Brasil, a PegaSystems já tem a Oi como cliente desde 2015, como conta a executiva de Desenvolvimento de Negócios da PegaSystems Brasil, Roberta Cadastro. Um dos diferenciais da empresa, nesse mercado que está competitivo, é mostrar que a IA transparente não requer programação especial. "Nossos sistemas funcionam na nuvem, tanto que temos acordos com as principais nuvens públicas existentes no mundo. Ser transparente é o melhor modelo para evitar o viés na tomada de deicsão", acrescenta a executiva.

A Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, como a GDPR na Europa, terá um papel central na transparência do uso da inteligência artificial, assegura Rob Walker."A proteção dos dados impõe limites ao uso da Inteligência Artificial, e isso é muito bom. Os algoritmos não podem ditar as regras do jogo. Somos, nós, humanos, que ditamos como eles devem funcionar. As máquinas nos ajudam a fazer melhor", reforça o especialista.

Na sua vinda ao Brasil, Rob Walker falou aos clientes sobre o Next-Best-Action Designer, sistema embutido à platatorma para tornar a IA acessível a qualquer usuário ao fornecer a eles um nível de controle e precisão entre canais. "IA é considerado complexo para o usuário de uma empresa. Nossa missão é simplificar ao máximo", relata o executivo. Sobre o Brasil, Walker foi taxativo: "O país está pronto para ter Inteligência Artificial, as verticais de finanças e telecomunicações estão bastante avançadas e vão abrir frentes para outras áreas econômicas", completa.


Destaques
Destaques

Governo negocia para transformar Foz do Iguaçu em zona franca para datacenters

O secretário de Telecomunicações do MCTIC, Vitor Elisio de Menezes, conta que negocia a incorporação dos datacenters em uma classe especial para consumo de energia, ativo que mais encarece as operações no Brasil.

Disseminação de serviços em nuvem puxa investimentos globais em TI

Segundo projeções da consultoria Gartner, gastos devem bater em R$ 15 trilhões neste ano e crescer 3,7% em 2020, puxados por cloud computing. 



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

As lições do buraco negro e da análise de dados às empresas

Por Paulo Watanave*

O fato é que por trás das aplicações e sistemas usados nas operações já existe um grande e variado conjunto de insights e algoritmos que podem ser usados para gerar valor real às organizações e para as pessoas de um modo geral. Estima-se que menos de 10% das companhias em todo o mundo tenham estratégias bem definidas para a utilização dos recursos digitais e das informações.

Edge Computing para acelerar os negócios das empresas brasileiras

Por Henrique Cecci*

O que é, afinal, Edge Computing? Trata-se da aplicação de soluções que facilitam o processamento de dados diretamente na fonte de geração de dados. No contexto da Internet das Coisas (IoT), por exemplo, as fontes de geração de dados geralmente são "coisas" com sensores ou dispositivos incorporados.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site