INCLUSÃO DIGITAL

Campinas será a primeira cidade a testar IoT com dinheiro do BNDES

Convergência Digital ... 26/11/2019 ... Convergência Digital

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou a primeira operação de apoio a projeto-piloto de Internet das Coisas (IoT) aplicada ao ambiente urbano: a realização de experimentos de soluções de IoT em segurança e iluminação pública em Campinas.

A expectativa é que as tecnologias testadas gerem impactos positivos – como aumento da segurança, redução de gastos com energia e ampliação na oferta de serviços prestados – e possam ser adotadas por outras cidades com características semelhantes. Selecionada na chamada lançada em 2018, a iniciativa será conduzida pela Fundação CPqD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações) e realizada em parceria com a Prefeitura de Campinas.

Com investimento total de R$ 9,89 milhões – sendo R$ 2,98 milhões aportados pelo BNDES em recursos não-reembolsáveis – o projeto contempla os testes de uso e iniciativas de divulgação e fomento à cadeia de soluções de IoT, como a criação de um centro de demonstrações, publicação de resultados e realização de encontros entre startups e potenciais interessados nos serviços.

Um dos pilotos consistirá na adaptação do sistema de videomonitoramento da cidade, através da instalação de 22 novas câmeras e implantação de sistema de visão computacional. O equipamento poderá identificar automaticamente situações anômalas que indiquem possíveis ameaças à segurança pública. A expectativa é de aumento de produtividade dos operadores da Central Integrada de Monitoramento de Campinas e ampliação do controle sem necessidade de contratação de novos agentes.

O segundo projeto a ser testado envolve o videomonitoramento de placas de veículos incorporando tecnologia de processamento computacional em 103 pontos. Enquanto o sistema atual demanda a instalação de cabos de fibra ótica para transmissão das fotos das placas – que são "lidas" remotamente –,o novo modelo utiliza câmeras inteligentes que convertem a imagem em caracteres e os transmitem para a nuvem por meio de rede celular. Nele, apenas as informações relativas a veículos identificados como de especial interesse – como carros roubados ou registrados em nome de investigados – são enviadas. Com isso, espera-se ampliar a capacidade de monitoramento de veículos furtados ou utilizados em ações criminais e reduzir os custos de instalação e manutenção.

Outra iniciativa ligada à segurança pública é a instalação de 100 estações que medirão em tempo real velocidade e direção do vento, temperatura e umidade do ambiente e volume de chuva. Cada uma cobrirá uma área de 5 km2 e estarão conectadas por meio de uma rede de baixo custo de tráfego de dados e com ampla área de cobertura. Com a utilização em escala dessas estações dotadas de pequenos sensores climáticos, os alertas poderão ter como base medições mais precisas, ampliando a confiabilidade do sistema de defesa civil municipal.

Com o objetivo de tornar mais eficiente o uso de recursos energéticos, será desenvolvido um projeto-piloto com a instalação de um sistema composto por 350 módulos de telegestão de iluminação pública. Cada luminária contará com luzes de LED com ajuste de intensidade, possibilitando economia de energia, além de módulos que permitirão o controle remoto e, em conjunto, constituirão uma rede de comunicação de baixo custo e alta confiança.

A solução possibilitará a medição do gasto de energia em cada ponto. Com isso, a cobrança deixará de ser feita com base em uma estimativa e refletirá o efetivo consumo. A tecnologia permitirá o controle mais efetivo da qualidade do serviço prestado já que será possível monitorar facilmente interrupções de serviço e o nível de uso energético, que é um indicador da qualidade das lâmpadas usadas.

A rede constituída pelo conjunto de módulos também servirá de plataforma de comunicação para o teste de serviço de transporte com carros elétricos compartilhados. A iniciativa é um dos diversos serviços de valor adicionados que podem ser implantados com adoção de IoT, gerando novas fontes de receita e potencializando a sustentabilidade do modelo. A tecnologia pode vir a incorporar novos serviços de cidades inteligentes, como lixeiras e bueiros conectados.

O BNDES informa ainda que serão elaboradas metodologias específicas para avaliação de cada caso de uso contendo indicadores de natureza técnica, econômico-financeira (incluindo análise do modelo de negócio), socioambiental e de segurança da informação e interoperabilidade.

O resultado será divulgado amplamente de forma que possa servir de base para o desenvolvimento de novas tecnologias e adoção de novos modelos de negócios por empresas, concessionárias de serviço, estados e municípios. As atividades de avaliação serão coordenadas pela Fundação Instituto de Administração (FIA) da USP. Todo o trabalho será acompanhado por um comitê composto por membros do BNDES, MCTIC, CPqD e FIA e seus resultados estarão disponíveis de forma ampla à sociedade.


Carreira
STF decide dia 16 de abril sobre legalidade dos cortes da jornada e de salário

O ministério da Economia recebeu mais de sete mil acordos individuais depois da publicação da MP 936/2020. Liminar do ministro Ricardo Lewandowski exigiu a chancela dos sindicatos nos acertos. Justiça do Rio suspendeu todos os acordos firmados até a palavra final do plenário do Supremo Tribunal Federal.

O que somos e fazemos na Internet têm consequências fora da Rede

A Internet segura passa pela conscientização do usuário que não uma persona virtual e uma real, diz o especialista em Segurança da Informação do CAIS/RNP, Yuri Alexandro.

Robótica faz o jovem carente pensar e criar a tecnologia

Um dos trabalhos do Coletivo Periféricas, que atua em Salvador, é fazer o jovem resolver problemas, diz Geisa Duarte. Em muitas comunidades, a Internet acontece por meio de roteadores 'libertados'.

Parceria entre Hughes e Facebook instala no Brasil milésimo WiFi comunitário

Conexão foi feita na comunidade rural de Santa Bárbara, no Maranhão. Além do Brasil, os hotspots estão distribuídos pela Colômbia, México e Peru.

Brasileiro perdeu a mão e precisa reencontrar o rumo na Internet

A posição é defendida pelo comunicador Marcelo Tas. Segundo ele, o brasileiro tem uma tendência natural de interagir no meio social, mas não está fazendo de um jeito bom. Educação digital é urgente e é responsabilidade de todos.

Embrapa: Só 28% do campo tem conectividade para dar salto de produção

Sensores na terra e nos animais, simulação de fenômenos, monitoramento logístico e rastreabilidade são soluções que já poderiam ser disseminadas, mas esbarram na falta de internet nas áreas rurais brasileiras. 

Agricultura: Mais de 5 mil torres poderiam ser usadas para levar banda larga à área rural

Estudo do Ministério da Agricultura mostra que o Brasil possui 82 mil torres com antenas celulares e seria possível, no curto prazo, usar parte delas para levar conexão ao campo.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G