Home - Convergência Digital

Bloqueio de celular pirata não impediu disparada de 344% no mercado cinza

Convergência Digital - 12/03/2020

Iniciado ainda em 2018 e estendido a todo o país em 2019, o bloqueio dos celulares piratas não parece ter inibido os brasileiro de comprarem aparelhos falsificados. Segundo dados da IDC Brasil, enquanto a venda de celulares cresceu 3,3%, para 48,6 milhões de unidades ao longo do ano passado, o crescimento do mercado cinza foi de 344%, ou 3,8 milhões de aparelhos.

Os sinais são de que o preço se tornou um fator fundamental na decisão de troca de equipamentos. Enquanto os 45,5 milhões de smartphones vendidos representam um crescimento de 2,2% nesse tipo de aparelho, os 3,1 milhões de ‘feature phones’, os modelos mais simples e mais baratos, representaram um crescimento de 23,5% sobre os números de 2018. 

Além disso, em contraponto ao forte crescimento dos celulares “piratas” no ano passado, os feature phone podem não ter escapado das falsificações, mas os 677,8 mil desses aparelhos vendidos no mercado cinza representaram uma queda de 42,3% na comparação com o ano anterior. 

Outro sinal de que os preços dos aparelhos foram determinantes para os compradores é que metade das vendas de smartphones no ano passado, 22,1 milhões deles, envolveram os modelos intermediários de entrada, que custam entre R$ 700 e R$ 1099, ou 33% acima da participação desse segmento em 2018. 

Mas vale registrar que os  smartphones super premium, acima de R$3 mil, também se destacaram e tiveram a segunda maior alta em 2019, de 17,2%, com 3 milhões de unidades vendidas. Segundo a IDC Brasil, o bom desempenho está diretamente ligado às promoções de final de ano. 

“O melhor desempenho do mercado de celulares foi registrado no segundo e no quarto trimestres de 2019. O 2º tri se destacou porque operou normalmente, enquanto em 2018 sofreu os impactos da greve dos caminhoneiros. Já no 4º tri, houve um avanço por conta de uma Black Friday que bateu recordes de vendas pela segunda vez consecutiva”, diz a consultoria. 

Como resultado das vendas maiores em 2019, a receita também aumentou e foi 5,6% superior ao registrado em 2018, chegando a R$ 56,7 bilhões, sendo R$ 56,3 bilhões pela venda de smartphones e R$ 376,8 milhões de feature phones.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

25/09/2020
Contrabando de equipamentos de telecom alimenta perdas de R$ 291 bilhões

17/09/2020
Anatel tem primeiro voto para permitir prorrogação das bandas A e B

14/07/2020
Teles quebram dados móveis em bairros e regiões para combate à Covid-19

09/07/2020
Justiça libera You Tube de informar e-mail e IP de usuários que publicam filmes piratas

03/07/2020
Venda de smartphones piratas dispara 135% no 1ºtri no Brasil

08/06/2020
Justiça mantém uso de celulares para monitoramento da Covid-19 em São Paulo

22/05/2020
TST adota aplicativos de mensagens para conciliar patrões e empregados

18/05/2020
MPF quer que STF autorize acesso a dados de celular sem ordem judicial

14/05/2020
LGPD faz falta para cuidar da privacidade no uso de dados na Covid-19

13/05/2020
TJSP revê decisão e autoriza monitoramento de celular para controle da Covid-19

Destaques
Destaques

Vitor Menezes, Minicom: Vamos brigar por um leilão 5G não arrecadatório

O Ministério das Comunicações sinalizou às operadoras que trabalha para convencer os colegas de Esplanada a concentrar os valores envolvidos no leilão do 5G em compromissos de cobertura, minimizando o preço a ser pago ao Estado, afirmou o secretário de Telecomunicações, Vitor Menezes, ao participar do Painel Telebrasil 2020.

Claro: Sem antenas, São Paulo fica fora do 5G

CEO da Claro, Paulo Cesar Teixeira, criticou a miopia de executivos que ainda insistem em colocar restrições à implantação de antenas, como acontece na cidade de São Paulo. "5G é a grande plataforma para permitir um salto econômico mais vigoroso", advertiu.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Internet 5G traz disrupção para Telecomunicações até no modelo de negócio

Por Eduardo Grizendi*

Na RNP, estabelecemos um objetivo estratégico ambicioso – o de prover uma ciberinfraestrutura, segura, de alto desempenho e disponibilidade e, ao mesmo tempo, ubíqua, onipresente, em qualquer lugar e a qualquer hora, para nossas comunidades de educação, pesquisa e inovação.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site