Clicky

Convergência Digital - Home

Falta qualidade aos sites dos provedores de cloud computing no Brasil

Convergência Digital
Convergência Digital - 27/05/2021

A WebPeak, desenvolvedora de tecnologia para análise de marketing digital e SEO – Otimização de Sites para Mecanismos de Busca – fez um estudo sobre as páginas na internet das maiores empresas do mercado de cloud computing. E descobriu que muitos não atendem aos critérios de qualidade aplicados pelos buscadores. E, assim, estão despreparados para a transformação digital e pecam em suas estratégias de marketing digital.

Cinco das 26 empresas de cloud pesquisadas estão despreparadas em sua estratégia digital, o que significa que estão muito mal posicionadas nos buscadores e, por isso mesmo, podem perder oportunidades de negócios. São eles: Seprol, Winov, Usetelecom, Corpflex e Copeltelecom. Os dois últimos estão um pouco menos despreparados e, com a correta consultoria podem se tornar “Visionários” e, depois, “Líderes”.

O estudo da WebPeak subdividiu os sites em quadrantes, posicionando as maiores empresas de cloud do mercado como “Populares”, “Despreparadas”, “Líderes” ou “Visionárias”. De acordo com a qualidade do site (eixo X, na horizontal), que verifica a velocidade, qualidade no acesos em dispositivos móveis, fatores Web Vitals e indicadores. E de acordo com a popularidade (eixo Y, vertical), que como o nome diz, analisa a popularidade do site; domínios por backlinks; quantidade de backlinks e indicadores.

O CEO da WebPeak, Marcos Custódio, explica que a relevância de estar bem-posicionado nos buscadores é crucial. Para figurar entre as primeiras posições, os portais de busca levam em conta mais de duas centenas de fatores que demonstram a qualidade da página. “Desenvolvemos uma tecnologia capaz de fazer os sites estarem em compliance com essas métricas, implantarem uma estratégia eficiente de marketing digital e progressivamente se manterem bem-ranqueados nos principais buscadores,” assinala.

IBM, Azure Microsoft, Locaweb, Totvs e Builtin figuram no quadrante da WebPeak como sites “Líderes” e recebem mais acessos orgânicos devido à atenção e preocupação que eles têm com as principais práticas do mercado, que estão ligadas à performance interna e externa. Na fronteira entre “Visionários” (que trabalham de maneira expressiva a melhora em seu posicionamento digital, mas ainda não atingiram o status de líder) e “Líderes” estão Br. Claranet, Mattrix, Mandic e Telium.

E os “Populares”, assim chamados por serem sites de referência na internet, mas que não atendem a critérios simples de qualidade utilizados para qualificação em mecanismos de busca, estão Salesforce e Oi. A maior parte dos portais das empresas de cloud computing, observadas no estudo, se encontra no quadrante como “Visionários”: Hostmidia, Maxihost, Equinix, Avato, Mundo Open, Ntux, IP Company, Blue, Neogrid Data Center e Stetnet.

Vale notar que, apesar de vários sites se encontrarem no quadrante “Visionários”, muitos estão bem próximos da fronteira dos “Despreparados”. Custódio avalia que eles podem estar iniciando sua jornada de otimização ou simplesmente “deram sorte” ao desenvolver seus sites.

O levantamento atesta ainda que o score dos sites do setor não anda muito bem. No mobile, a média entre os que foram estudados (26 portais) é de 0,32, sendo que o mínimo é zero e o máximo é um. No desktop, a média é o dobro, 0,66, mas há muito a ser otimizado.

Custódio explica que um dos conjuntos de indicadores mais importantes do estudo é o score dos sites (de 0 a 1), que identifica quais são os mais qualificados para os buscadores, de acordo com a qualidade de desenvolvimento de cada um deles, como performance do site, tempo para carregar o primeiro pixel, velocidade de carregamento e tempo para carregar o elemento mais pesado. Além dos Web Vitals, indicadores de extrema importância para as mais recentes atualizações. Quanto mais próximo ao 1, maior a chance de o site receber mais tráfego qualificado nas buscas importantes do segmento.

Para quem não sabe, Web Vitals são as novíssimas métricas do Google que determinam a otimização da qualidade da experiência do usuário, sendo determinantes para o sucesso de qualquer site na web. Além de quantificar a experiência do internauta, elas identificam oportunidades para melhorar sua performance. O estudo completo está disponível no link.


Destaques
Destaques

TIM elege a nuvem e mira não ter mais datacenter em 2023

Ao assumir estar no meio de uma jornada para ser uma operadora 100% baseada em dados, a CIO da TIM Brasil, Auana Mattar, conta como é trabalhar com três provedores: Google, Microsoft e Oracle. Ao participar do SAS Telco Summit 2021, a executiva observou: é importante estudar as aplicações e como elas se comunicam antes de migrá-las para computação em nuvem.

Inteligência Artificial: Com estratégia certa, impacto de quatro pontos no PIB do Brasil até 2030

A inteligência artificial exige que se forme e qualifique profissionais no país, advertem especialistas. Para eles, a IA evoluiu e já passou da etapa de experimentação pra uso industrial. Para Fábio Cozman, da USP, a IA leva o país para a Sociedade 5.0, quando máquinas e seres humanos vão interagir de forma harmoniosa.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como ter nuvem sem reescrever sistemas e adequada à LGPD

Por Marco Wenna*

Como auditar e reescrever linhas de código em tempo hábil para essas migrações para a nuvem a um custo factível para que todas as linhas de código estejam em conformidade com a Lei Geral de Proteção a Dado? Esse é um desafio presente.

Serviços SaaS, proteção de dados e a LGPD

Por Eder Miranda*

Ter um plano abrangente de proteção adicional de dados para as plataformas SaaS é vital para os negócios, uma vez que as empresas não podem abrir sem ter o controle sobre o que está sendo protegido e sobre a maneira como isso está sendo feito pelos fornecedores de software como serviço.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site