Clicky

GESTÃO

SABESP faz projeto-piloto que une cloud, IoT e Inteligência Artificial

Ana Paula Lobo* ... 17/03/2021 ... Convergência Digital

A Sabesp vai fazer um projeto-piloto com Internet das Coisas e Inteligência Artificial.A empresa de saneamento básico, que atende 27,7 milhões de pessoas com abastecimento de água e mais de 21,4 milhões com a coleta de esgotos, escolheu a unidade de Negócio Capivari/Jundiái, em Itatiba, para iniciar os testes com as novas tecnologias.

Foi feito um processo licitatório e a Nalbatech foi a vencedora e será a responsável pela implementação de um novo sistema centralizado de monitoramento e controle da telemetria e telemedição (hidrometria) nos municípios sob sua concessão no interior de São Paulo, e que poderá servir de piloto para as demais unidades da empresa.

O projeto integra a estratégia da Sabesp para a construção de um modelo de gestão e operação centradas nos conceitos da Saneamento 4.0 (baseados na Indústria 4.0 e IoT - Internet das Coisas) -, que visa a entrega de melhores serviços à população por meio de novas tecnologias e dispositivos digitais. A Unidade de Negócio Capivari/Jundiaí  atende a 13 municípios que integram a bacia hidrográfica Piracicaba/Capivari/Jundiaí, beneficiando uma população de mais de 800 mil moradores.

Para realizar o tratamento dos dados coletados, a Nalbatech implementou a plataforma Elliot Cloud, com a capacidade de gestão de todos os dados provenientes dos sensores conectados aos dispositivos de medição de consumo no município de Morungaba e demais dados originários dos equipamentos utilizados na operação dos sistemas de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgotos dos municípios atendidos.

Inteligência Artificial

A tarefa da Nalbatech é qualificar a análise de dados coletados no sistema para garantir a tomada de decisões corretas relativas à Unidade, reduzindo e controlando a intervenção humana nas ocorrências de manutenção dos equipamentos e garantir a entrega da água em todo o sistema. A coleta de dados acontece a partir da medição da vazão da água, volume e pressão, turbidez, quantidade de cloro, flúor, insumos para tratamento, entre outros itens.

Os dados são transmitidos pelos sensores para a plataforma Elliot Cloud por meio de uma rede Sigfox, também implementada pela Nalbatech, oferecendo aos gestores da Sabesp a capacidade de acompanhar o ciclo de vida de todos os processos que envolvem o tratamento e abastecimento. Os dados são apresentados por meio de relatórios, gráficos online e envio de alarmes por e-mail e via aplicativos de comunicação unificada corporativa, auxiliando na execução de suas tarefas.

Cada dispositivo de IoT fornece informações sobre o consumo (hidrometria) na linha do tempo de cada cliente, registrando a quantidade e o momento exato de consumo. Qualquer problema na rede que possa afetar este consumo é alertado aos operadores, que podem ver na tela a ocorrência e adotar as medidas adequadas e possíveis vistorias in loco.

O objetivo do projeto piloto é facilitar a visão de todo o sistema em operação e não apenas isoladamente. A integração dos dados permite às equipes de cada unidade de campo atender a uma ocorrência imediatamente, sem a necessidade de contactar a Unidade para verificar se um agente verificou ou não um problema, tendo uma ação proativa minimizando problemas no abastecimento e reclamação dos clientes.

"Como a implantação do novo sistema pela Nalbatech temos uma visão 360 graus de todos os processos operacionais e nos permite uma atuação mais inteligente e eficaz, gerando melhor planejamento, ganhos de produtividade, redução de manutenções e melhoria da qualidade na execução do serviço com menor custo", revela Daniel Bocalão Júnior, engenheiro responsável pelo projeto e implantação na SABESP.

A tomada de decisões é facilitada pela aplicação de Inteligência Artificial no processo de coleta de dados utilizando-se de regras de negócios implantadas na solução da Nalbatech, que permite a correlação de eventos originados na cadeia produtiva do processo de tratamento de água e esgoto, como exemplo: dados originados da captação de água bruta, o processo automatizado de tratamento, a reservação, e distribuição, os elementos de rede e o cliente. Os eventos que fogem dos parâmetros estabelecidos são rigorosamente verificados pelas equipes de campo.

"O setor de saneamento já não tem mais o mesmo modelo de antes e as soluções de IoT já fazem parte desta realidade. A inovação é necessária para permitir o controle da operação de Saneamento 4.0 e apontar indicadores fundamentais para acompanhamento do sistema com mais precisão", comenta Neiton Santos Fernandes, gerente da Divisão de Serviços do Capivari/Jundiaí.

"Se em uma residência, o cliente tem consumo elevado em determinado espaço de tempo e quando deveria ser zero (madrugada), o sistema emite uma alerta para que a situação seja analisada e tomada uma providência. Se, por exemplo, o consumo deveria ser zero naquele momento e os sensores captam elevado consumo, pode estar ocorrendo um vazamento e uma intervenção deverá ser tomada", acrescenta o executivo.

O próximo passo, em um futuro próximo, será disponibilizar acesso ao cliente na solução para que possa acompanhar através de um smartphone a medição de consumo de sua residência ou empresa podendo atuar de maneira rápida no controle de desperdício e fazer o uso racional e eficaz da água.

 


ERP: dados só servem se virarem informação para o negócio

Na jornada digital, o ERP dá ao cliente a resposta em tempo real

O uso do ERP foi crucial para dar transparência e agilidade aos sistemas para as cobranças efetivas dos clientes, afirma o CFO da Lipson Cosméticos, Marco Magalhães. Já Marcelo Cabral, da Agasus, diz que um portal de comércio eletrônico está sendo viabilizado para acelerar as vendas dos equipamentos seminovos.

Gastos com obrigações da LGPD geram créditos de PIS e COFINS

A decisão foi da da 4ª Vara Federal de Campo Grande (MS) e abre um precedente relevante nesse momento de adequação à legislação. Procuradoria Geral da Fazenda Nacional vai recorrer da decisão.

Internet representa metade do faturamento para os MEI

Segundo pesquisa do Sebrae e da FGV, um terço dos microeempreendores individuais usa canais online para mais de 50% das vendas. WhatsApp é o canal preferido de inserção no mundo virtual com 88% de adesão.




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G