Clicky

GOVERNO

Congresso tem frente parlamentar contra a pirataria

Convergência Digital ... 06/03/2017 ... Convergência Digital

Será lançada nesta quarta-feira, 8/3, na Câmara dos Deputados, a Frente Parlamentar Mista em Defesa da Propriedade Intelectual e do Combate à Pirataria, uma iniciativa de parlamentares e entidades como a Associação Brasileira de Propriedade Intelectual (ABPI), do Fórum Nacional Contra a Pirataria (FNCP) e a Motion Picture Association, que destaca como propósito a busca de “uma agenda legislativa intensa para fortalecimento da economia brasileira”.

O grupo, porém, envolve 37 entidades, em um rol que também inclui a Brasscom e a Associação Brasileira de TV por Assinatura. No evento, o deputado Fernando Francischini (SD-PR) tomará posse como presidente da frente, tendo como vice-presidentes os também deputados Sandro Alex (PSDPR) e Eros Biondini (PROS-MG).

“O Brasil perde R$ 120 bilhões anualmente por conta da pirataria. É dinheiro que deixa de entrar no faturamento das empresas e deixa de ser arrecadado em impostos. É dinheiro suficiente para construir 1,2 milhão de casas populares no país. O Brasil precisa começar a tratar a pirataria como questão de Estado e a frente parlamentar pretende ser indutora deste processo”, afirma presidente da Frente, Fernando Francischini.

Na prática, trata-se de uma recriação da frente antipirataria, que teve sua primeira edição ainda em 2005. Desde então era presidida pelo deputado Nelson Marchezan Jr (PSDB-RS), que este ano licenciou-se do cargo para assumir o cargo de prefeito de Porto Alegre.


Dataprev fica com o Ministério da Economia, mas ainda é do INSS

Para o secretário-executivo do recriado ministério do Trabalho e Previdência, Bruno Bianco, manter estatal sob o comando do ministro Paulo Guedes não tem relação com a possível privatização: “Empresa é fundamental para outros serviços.”

Venda do Serpro traz insegurança jurídica e uso indevido de dados

Análise da Data Privacy Brasil aponta para necessidade de envolvimento da ANPD e ausência de exemplo internacional que justifique a privatização da empresa de TI do governo. 

Serviços digitais: RS lidera oferta. São Paulo e Rio decepcionam. DF não manda dados

Bahia, Paraná e Paraíba também se destacaram no Índice de Oferta de Serviços Públicos Digitais dos Governos Estaduais e Distrital, organizado pela ABEP-TIC.

Salvador é a sétima capital a aderir ao Gov.br

Plataforma dispõe de uma rede para impulsionar e integrar as iniciativas por um governo 100% digital. Distrito Federal, 12 estados e 42 municípios já aderiram.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G