05/07/2019 às 15:00
Inovação


DBServer: competitividade exige uma nova maneira de fazer software
Ana Paula Lobo

Ao completar 25 anos, a gaúcha DBServer sustenta que a competitividade e inovação exigem uma nova forma de fazer software, como afirma o sócio-diretor, Verner Heidrich. A empresa, que tem na sua carteira de clientes, empresas como Postos Ipiranga e Lojas Renner, está adequando a sua estratégia ao momento da transformação digital.

"O software saiu dos sistemas legados, dos processos longos, para processos ágeis. A interação entre a área de TI e a de negócios ficou maior e o software é um elo dessa comunhão, uma vez que os processos precisam ser rápidos para justificar a aplicação", conta. Um dos novos momentos de fazer software é ter o direito de errar.

"Nao se faz mais software para ficar muito tempo em desenvolvimento. Se faz software para prototipar o quanto antes. A aplicação tem de justificar. Não há mais espaço para ficar meses testando, testando. Tem de aplicar e ver se vale. O prejuízo fica menor. E o errar é isso. é saber que do montante destinado ao projeto, uma parte vai ser destinada ao erro", relata Heidrich.

Com as novas tecnologias, a DBServer investe em blockchain. A companhia, com parceiros, está à frente de um piloto para montar uma rede que possa ter acesso aos registros dos dados da carteira de vacinação. "Essa informação é individual de saúde e não precisa estar centralizada, mas pode ser compartilhada, e pode gerar benefícios nas redes de saúde. Esse projeto será apresentado até setembro", antecipa. Empreender no Brasil não é simples, mas fazer software ficou mais complexo pela própria natureza da arquitetura de sistemas. Assistam a entrevista comVerner Heidrich, da DBServer.


Powered by Publique!