Clicky

Home - Convergência Digital

Claro traz 5G com compartilhamento de frequência para o Brasil

Ana Paula Lobo - 02/07/2020

Depois de fazer um teste, em fevereiro deste ano, na sua sede, em São Paulo, a Claro anuncia o 5G DSS, com a chegada do smartphone Edge 5G, da Motorola. Através da tecnologia DSS (Dynamic Spectrum Sharing, ou, na tradução, Compartilhamento Dinâmico de Espectro), a rede da Claro passará a distribuir recursos dinamicamente entre os smartphones atuais, que operam nas gerações anteriores, e os novos, que começarão a ser vendidos em breve e que sejam compatíveis com a nova rede 5G DSS.

A Claro informa que os clientes adquirentes dos smartphones Edge, da Motorola, vão estar aptos a ter as primeiras experiências com a tecnologia 5G, com conexões 12 vezes mais velozes que o 4G convencional. A rede 5G DSS da Claro utiliza a tecnologia de Compartilhamento Dinâmico de Espectro da Ericsson para oferecer a quinta geração nas faixas de frequências disponíveis hoje, sendo que o Motorola Edge, em pré-venda a partir de hoje, conta com a tecnologia 5G baseada na plataforma móvel Qualcomm Snapdragon 765 e também compatível com o recurso DSS.

Na próxima semana, a Claro, Ericsson, Motorola e Qualcomm vão detalhar os planos de implantação da nova tecnologia, como a cobertura inicial de rede 5G DSS e o início das vendas do primeiro aparelho compatível no mercado brasileiro. Além disso, as empresas trabalharão em conjunto com a sociedade para fazer do 5G mais uma ferramenta de combate ao coronavírus e seus efeitos nocivos para a economia do país. As empresas estão trabalhando para acelerar iniciativas ligadas à telemedicina e à educação a distância, potencializadas pela nova tecnologia, e desenvolvidas especialmente para a população que mais precisa.

"A chegada do 5G DSS permite oferecer uma primeira experiência com a quinta geração das redes móveis, utilizando tudo que temos investido e que já está disponível hoje.Apesar dos tempos difíceis que vivemos no momento, vamos seguir evoluindo e investindo para oferecer sempre o melhor para nosso cliente", afirma José Félix, presidente da Claro.

Todos os investimentos feitos para implantar o 5G DSS, nas frequências atuais, serão automaticamente aceleradores da implantação definitiva do 5G, com a posterior adição do espectro de 3,5 GHz e das faixas de onda milimétricas. Além das regiões que serão atendidas no plano inicial de implantação a ser anunciado pela Claro, a cobertura do 5G DSS crescerá gradativamente nos próximos anos dentro do projeto de modernização e expansão de capacidade de rede móvel da operadora.

O espectro adicional, que será leiloado pela Anatel em data futura, possibilitará expandir a capacidade de transmissão da rede 5G. Por utilizar frequências mais altas que as atuais, as novas faixas de espectro alocadas para o 5G exigirão a implantação de uma grande quantidade de antenas, para garantir cobertura e capacidade. Quanto mais alta a frequência, menor é o alcance e maior a necessidade de antenas de transmissão de sinal.

Outra evolução necessária na infraestrutura, nesse caso para redução da latência, será a virtualização de funções de rede, com a descentralização do core para datacenters mais próximos dos clientes, tecnologia conhecida como edge computing, o que a Claro já vem fazendo no plano de modernização da sua infraestrutura.

A Claro assume que a compra da Nextel foi relevante para a adoção do 5G DSS, uma vez que permitiu à tele ter a maior quantidade de espectro alocado no SMP no País, dentro dos limites estabelecidos pela Anatel. "O leilão do espectro adicional para o 5G será um próximo passo, que deverá vir no futuro, levando em consideração grandes desafios que a crise atual trouxe e o significativo investimento que dele decorre tanto para aquisição do espectro como para implantar a cobertura e a virtualização da rede", complementa o CEO da unidade de Consumo e PME da Claro, Paulo Cesar Teixeira.

 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

26/07/2021
FCC, enfim, entrega licenças 5G na faixa de 3,7 GHz

23/07/2021
Economia: Leilão do 5G será o 'gol de placa' das privatizações

23/07/2021
Porto de Santos vai receber 5G em piloto do governo

22/07/2021
Teles da Espanha pagam R$ 6,7 bilhões por 5G em 700 MHz

21/07/2021
AT&T: Primeira cidade inteligente em 5G será na capital dos EUA

20/07/2021
OpenRAN: o novo capítulo da guerra fria da globalização e do poder no 5G

19/07/2021
Anatel certifica tecnologia nacional para bloquear sinal 5G nos presídios

16/07/2021
China dá troco na Suécia e Ericsson perde receita com 5G

16/07/2021
Telefônica deixa Huawei fora da rede 5G Standalone na Espanha

15/07/2021
Economia: Leilão do 5G usa recursos de telecom para telecom e não dribla teto

Destaques
Destaques

5G vai gerar até US$ 5 trilhões ao PIB mundial

Em 2020, em plena pandemia, as tecnologias e serviços móveis contribuíram com US$ 4,4 trilhões do PIB global, um incremento de pouco mais de 7% em relação a 2019, revela a GSMA. Ano passado, o mundo contabilizou 5,2 bilhões de assinantes móveis, ou 67% da população mundial.

Open RAN é para 5G senão vai ter muita confusão entre fornecedores

Há uma determinação que Open RAN é release 16, então o Open RAN não será para o 4G, sustenta o head de tecnologia da Nokia para América Latina, Wilson Cardoso. "Um bite errado, simplesmente não vai funcionar", adverte.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência do 5G: Mais que eficiência, uma necessidade

Por Vinicius Marchese*

Imagine uma construção com guindastes de torres inteligentes, controle multidimensional, drones monitorando o projeto em tempo real e que, inclusive, permitem que a equipe de engenheiros faça intervenções no projeto em tempo real para evitar possíveis erros. Esta descrição pode não estar só na sua imaginação. Ela já é uma realidade no mundo graças ao 5G.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site