Clicky

Home - Convergência Digital

Migração total do 2G exige smartphones mais baratos

Luís Osvaldo Grossmann - 05/12/2017

As operadoras estão festejando o fato de os acessos em 4G terem ultrapassado os em 3G conforme os números de outubro deste 2017. Mas o setor já coloca como uma das prioridades para 2018 discutir como garantir a migração de 36 milhões de acessos que ainda usam o 2G. Para as empresas, a grande barreira é o preço dos aparelhos. 

“O 2G vem caindo vertiginosamente, mas ainda conta com uma base residual que precisamos entrar uma forma de zerar, se possível. O maior obstáculo é ainda o preço do smartphone. Um trabalho de sensibilidade do setor tributário brasileiro pode ajudar em uma maior inclusão digital para aqueles que ainda têm dificuldade de comprar um smartphone”, afirmou o presidente do Sinditelebrasil, Eduardo Levy, ao fazer um balanço do setor nesta terça, 5/12. 

Como ilustrou, o aparelho, que pode custar por volta de R$ 1 mil, tem custo muito superior ao serviço prestado, o que chega a ser um contrassenso do mercado. Mas os preços, como insistiu, estão ligados à carga tributária sobre esse tipo de produto. 

“Nosso carro-chefe é o serviço celular. Mas ele tem uma contradição absurda. Quem entra na festa não paga nada, é boca-livre. Mas custa R$ 1 mil para entrar na festa. O serviço vem caindo de preço, é acessível. Mérito da redução de custos das empresas. Mas o preço do smartphone tem que cair. Temos que convencer o governo deixar entrar no serviço essas pessoas. É um serviço continuado. O smartphone é só um começo. É o instrumento para a prestação de um serviço que é concessão do Estado”, insistiu Levy. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

22/06/2021
TBNet alcança a marca de 2 mil pontos ativos de conectividade 4G

09/06/2021
Samsung, Apple e chineses em alta. Huawei e LG em baixa nos celulares

08/06/2021
3G tem data marcada para morrer na Alemanha

01/06/2021
O 5G ainda está à espera do leilão, mas Inatel e RNP lideram projeto Brasil 6G

01/06/2021
Claro tem maior velocidade, Vivo a maior cobertura e TIM, o 4G mais constante

28/05/2021
TIM expande parceria e abastece quase mil antenas e torres com energia solar

20/05/2021
Brasil vende quatro celulares para cada aparelho de TV

20/05/2021
Telesat e TIM testam uso de satélite LEO para backhaul e 5G

11/05/2021
Investimento das teles segue o PIB em 2020 e cai para R$ 31 bilhões

30/04/2021
Oppo, da China, mantém Brasil fora, e prioriza Chile e Colômbia

Destaques
Destaques

5G vai gerar até US$ 5 trilhões ao PIB mundial

Em 2020, em plena pandemia, as tecnologias e serviços móveis contribuíram com US$ 4,4 trilhões do PIB global, um incremento de pouco mais de 7% em relação a 2019, revela a GSMA. Ano passado, o mundo contabilizou 5,2 bilhões de assinantes móveis, ou 67% da população mundial.

Open RAN é para 5G senão vai ter muita confusão entre fornecedores

Há uma determinação que Open RAN é release 16, então o Open RAN não será para o 4G, sustenta o head de tecnologia da Nokia para América Latina, Wilson Cardoso. "Um bite errado, simplesmente não vai funcionar", adverte.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

A urgência do 5G: Mais que eficiência, uma necessidade

Por Vinicius Marchese*

Imagine uma construção com guindastes de torres inteligentes, controle multidimensional, drones monitorando o projeto em tempo real e que, inclusive, permitem que a equipe de engenheiros faça intervenções no projeto em tempo real para evitar possíveis erros. Esta descrição pode não estar só na sua imaginação. Ela já é uma realidade no mundo graças ao 5G.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site