Clicky

INTERNET

Vivo é condenada por falhas na proteção de dados pessoais de clientes

Convergência Digital ... 19/07/2021 ... Convergência Digital

Os mecanismos de fraudes e clonagens encontram-se cada vez mais aperfeiçoados, cabendo às grandes empresas tomar as providências necessárias para evitar prejuízos aos consumidores inocentes e vítimas de fraudadores, dificultando o acesso a terceiros.

Assim entendeu a juíza Fernanda Franco Bueno Cáceres, do Juizado Especial Cível do Foro Regional de Santo Amaro (SP), ao condenar a Telefônica/Vivo a indenizar duas amigas vítimas de um golpe no WhatsApp após a clonagem do chip do celular de uma delas.

O valor da reparação por danos morais é de R$ 4,5 mil cada, e R$ 7,4 mil a uma delas pelos danos materiais. Segundo os autos, uma das vítimas teve o chip do celular clonado e o estelionatário, por meio de mensagens no WhatsApp, pediu à amiga um empréstimo para pagar um boleto. Pensando falar com a amiga, a coautora transferiu R$ 7,4 mil.

Para a juíza, a situação deve ser solucionada com base no Código de Defesa do Consumidor, já que a relação entre as autoras e a empresa é de consumo. "No presente caso, pela análise do conjunto probatório dos autos, restou demonstrada a falha nos serviços prestados pela requerida, que acabou por permitir a clonagem do chip do aparelho celular da consumidora", disse.

De acordo com a magistrada, ainda que a operadora de telefonia móvel não tenha responsabilidade pelo conteúdo das conversas no WhatsApp, "é ela responsável pela garantia de que o emissário da mensagem seja aquele que realmente celebrou o contrato com a empresa".

Dessa forma, para a magistrada, a Telefônica falhou ao possibilitar a violação dos dados pessoais da cliente, sendo responsável pelos danos causados. Ao fixar a indenização por danos morais, Cáceres também afirmou que a a situação "se mostra por demais constrangedora a ambas as consumidoras", além de implicar "grande angústia e intensa dor emocional". 

As decisões judiciais nestes casos estão saindo e com sentenças controversas. A própria Vivo já foi considerada isenta de pagar indenização por clonagem do WhatsApp. Quem também foi isentada de responsabilidade foi a TIM.

*Fonte: Portal Conjur


Brasil TecPar quer ser um ISP nacional e avança no Rio de Janeiro

Empresa, dona da Ávato Tecnologia e Amigo Internet, comprou a Intnet, com atuação na região dos Lagos. Meta  é chegar a 1 milhão de serviços prestados para clientes residenciais e empresariais em 2023. O valor da transação não foi revelado.

Para a Justiça, vender e não entregar produto na Internet não configura dano moral

A 1° Turma da 1ª Câmara Regional de Caruaru, na Paraíba, indeferiu o pedido de um cliente que comprou um celular pela internet mas nunca recebeu o pedido.  O autor comprou um celular, que nunca chegou, e solicitou indenização.

Anatel adia para 31 de agosto prazo para envio de dados dos ISPs

Agência reguladora atendeu a um pedido da Abranet, preocupada com a demanda junto às pequenas prestadoras de serviços de telecomunicações e com as possíveis sanções pelo não atendimento a demanda.

Elon Musk, da Starlink, descarta concorrência direta com as teles móveis

Como já fez com Mark Zuckerberg, do Facebook, o MWC 2021 deu protagonismo ao CEO da Space X, Elon Musk, que tem um serviço de banda larga via satélite Starlink. Executivo, humilde, disse que o seu sistema completa o 5G, e que mais coopera do que compete com as operadoras móveis.

STJ: Autoridade Judicial está apto a pedir dados a ISPs só pelo nome

Decisão foi da Quinta Truma do Superior Tribunal de Justiça (STJ) que negou mandado de segurança impetrado de um provedor de internet.



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G