Clicky

Covid-19 repagina o segmento de outsourcing de TI no Brasil

Ana Paula Lobo ... 10/05/2021 ... Convergência Digital

Na Índia, com o agravamento da pandemia de Covid-19, salas de guerras foram montadas pelas empresas de outusourcing de TI para o cumprimento das demandas dos clientes globais. O país é o principal pólo de atendimento de outsourcing do mundo. Procuradas pelo Convergência Digital, as empresas indianas com atividades no país, asseguram que não houve redirecionamento de contratos para o Brasil por conta da alta de casos na Índia. Asseguram que as contratações de pessoal anunciadas - TCS e Infosys estão com vagas abertas - acontecem pela forte demanda no mercado local.

A TCS, Tata Consulting Services, colocou a head de Recursos Humanos, Maggie Singh, para conversar com o Convergência Digital. A executiva lamentou a grave  situação na Índia, mas garantiu que a TCS tomou todas as medidas possíveis para preservar a vida dos seus trabalhadores. "Temos 488 mil funcionários globalmente. Na Índia, tivemos funcionários afetados pela Covid-19. No Brasil, não vimos um grande impacto. Hoje, 97% dos funcionários brasileiros seguem trabalhando de casa", observou.

Com 500 vagas abertas no país, a TCS diz que as contratações são para atender a demanda de projetos locais, uma vez que há um forte crescimento e o lucro foi o dobro do esperado. "A Covid-19 nos permitiu provar que podemos impulsionar projetos independentemente da localização. Vivemos a quarta revolução industrial com as novas tecnologias. A Covid permitiu uma combinação do espaço físico com o virtual que não vai mais ser desfeita. O mundo ficou mais digital", observou Maggie Singh.

A especialista lembra que a pandemia permitiu uma flexibilidade de espaço e tempo fundamental para o outsourcing de TI. "O que passa a valer de verdade é a competência de quem está desempenhando a tarefa. Se uma pessoa está em Cingapura num projeto, ela pode também estar em um outro no Brasil, sem precisar viajar. O que conta é o conhecimento dele", adicionou a executiva.

Empresas brasileiras que atuam com outsourcing de TI têm equipes instaladas na Índia. Uma delas é a Stefanini, que conta com 600 colaboradores no país. Ao Convergência Digital, o CEO global da Stefanini, Marco Stefanini diz que todos estão em home office há mais de um ano. Ele admite que a situação da pandemia é muito grave na Índia e que, hoje a preocupação é preservar a vida e a saúde dos funcionários. A principal atividade da empresa na Índia é o desenvolvimento de software para clientes no mundo.

"Como temos outras operações na Ásia, colocamos em prática nosso plano de contingência, que prevê a transferência de parte das atividades para a Filipinas, Leste Europeu e LATAM. Nesse momento, ser uma empresa bem distribuída, com várias operações ao redor do mundo, nos garante uma vantagem competitiva na hora de manter as operações", afirmou o Marco Stefanini, CEO Global da Stefanini.

A Infosys respondeu de forma lacônica as indagações do Convergência Digital. Afirmou apenas que não está transferindo o atendimento de serviços da Índia para o Brasil e que está contratando - são 100 vagas para a demanda local.


Indústria eletrônica cresce 15,7% no primeiro semestre

Para Abinee, resultado contou com a base fraca de comparação, diante do impacto da Covid-19 na atividade em 2020. 

Novo trojan vazou senhas de 40 mil brasileiros

Batizado de Redline Trojan Stealer, programa está sendo comercializado em fóruns de pirataria por até 200 dólares. O malware se infiltra por três formas:  campanhas de phishing, a partir de e-mails falsos, links para download de softwares pirateados e por aplicativos móveis não oficiais.

Open Banking: Brasileiro se preocupa com crime financeiro e dados anônimos

Pesquisa da TecBan, feita pela Ipsos, com brasileiros bancarizados mostra que a principal demanda esperada pelos correntistas é a garantia de um atendimento em caso de fraude. Também aumentou a preocupação em saber se os dados compartilhados serão mesmo protegidos como a LGPD impõe.

Bancos oficializam cobrança por PIX para o mercado corporativo

Banco do Brasil, Bradesco, Itaú e Santander fecharam uma tarifa variando entre R$ 9 e R$ 10. Já Caixa, Nubank e Inter seguem não cobrando pelo serviço. 



  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G