Clicky

Algar avança no B2B; avalia 5G fora da sua área e se prepara para ser 100% fibra ótica

Ana Paula Lobo ... 13/05/2021 ... Convergência Digital

A Algar Telecom quer marcar a sua atuação nacional com o B2B, que no primeiro trimestre de 2021, já respondeu por 63% da receita total da companhia. "Seremos em pouco tempo uma operadora 100% fibra ótica. No B2B, já somos. Mas no B2C, na área de atuação, no triângulo mineiro expandido, estamos em 82%. Vamos buscar chegar a 100% o quanto antes", afirmou o CFO da operadora, Tulio Abi-Safer, em entrevista ao portal Convergência Digital.

Os resultados financeiros do primeiro trimestre são animadores. A receita líquida da operadora ficou em R$ 594,7 milhões, com um crescimento de 3,5%, sendo que o B2B cresceu 9,4%. Houve um decréscimo na receita líquida dos serviços prestados ao varejo R$ 219,2 milhões nos três primeiros meses do ano, ante R$ 231,2 milhões no mesmo período em 2020, provocado pelo impacto do fim das operações de TV paga. "No ano passado, ainda tivemos receita com a TV paga e esse ano não mais. Mas registramos um aumento de 19,8% no número de clientes e de 43,1% nas receitas de TI. Um resultado que nos deixa convencidos que estamos no caminho correto", adiciona o CFO.

Com relação à recém-anunciada aquisição da Vogel Telecom por R$ 600 milhões, Túlio Abi-Safer diz que espera um rito sumário da Anatel e do Cade. "Não há nenhum item que possa criar restrições regulatórias", diz, mas o impacto nos resultados só será sentido quando a operação for aprovada. Ainda assim, a Algar já trabalha com um processo de integração de 12 a 18 meses. "Há pouca sobreposição. Na verdade, a Vogel não atendia o mercado das PMEs e nós temos um conhecimento forte. A proposta é avançar nesse segmento nas regiões da Vogel", adianta o CFO.

Se as rivais Oi, TIM e Vivo se mobilizam pelas redes neutras ou abertas, a Algar adota uma postura mais cautelosa. Túlio Abi-Safer diz que a operadora acompanha a tendência mundial, mas prefere esperar para ver como vai funcionar, especialmente, a questão do conflito entre vender para si próprio e para outras operadoras. "Como vai ser a blindagem e a governança desse processo para dar certo é que temos que aguardar um pouco mais. A Algar é uma empresa de atacado. É uma empresa de fibra, mas vamos esperar", afirmou.

A ação no CADE para barrar a venda da Oi Móvel é para assegurar a competição no mercado, assegura ainda Tulio Abi-Safer. Indagado pelo Convergência Digital se a ação poderia vir a comprometer a realização do leilão 5G, o executivo da Algar foi taxativo. "Acredito que sejam coisas distintas. Não vejo razão de um negócio interferir no outro". A Algar, claro, está fazendo as suas contas e à espera da definição das regras do leilão para estabelecer a sua estratégia para a área de atuação B2C. "Temos a obrigação de levar o 5G para os nossos clientes", disse o CFO. Mas também adianta estar interessada no 5G em outras áreas fora da sua de concessão. "Estamos avaliando ofertas específicas para algumas regiões, mas tudo depende do edital", completou.


Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Teles sugerem prêmio às cidades que facilitarem antenas de 5G

Ideia é copiar marco legal do saneamento e pontuar os municípios com regras amigáveis à telecom em ranking de acesso a recursos públicos e convênios. 

Anatel adia decisão sobre uso de ‘white spaces’

Proposta prevê uso secundário e por dispositivos de radiação restrita do espectro ocioso nas faixas de 54 a 72 MHz, 174 a 216 MHz, 470 a 608 MHz, 614 a 698 MHz. 

TIM convoca rivais para brigar por propaganda com Google e Facebook

Os planos de uma carteira digital única não andaram como o desejado, mas a TIM almeja uma plataforma única de publicidade. “Se nos reunirmos podemos competir com Google e Facebook em um mercado muito maior”, vislumbra o presidente Pietro Labriola. 

Embratel se diz pronta para migrar antenas parabólicas de Banda C para a banda KU

Empresa assegura ter todas as condições para atender aos radiodifusores brasileiros e, em breve, terá o Star One D2, que terá 28 transponders em Banda C, 24 transponders em Banda Ku, um payload em Banda Ka, além de Banda X para uso militar. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G