Clicky

Criado para 5G, Open RAN começa no Brasil com 4G da Algar

Luís Osvaldo Grossmann ... 17/06/2021 ... Convergência Digital

Gestado com o 5G New Radio no radar, o Open RAN deve debutar no Brasil em uma rede 4G da Algar, em algum momento deste 2021. É o que promete o diretor de tecnologia da operadora, Wendel de Melo, a partir dos resultados que a empresa vem obtendo em testes que começaram há dois anos.

“Pelo menos no Split 2, que é uma das versões de arquitetura já bastante madura da O-RAN, a gente espera para este ano uma experimentação mais agressiva no sentido de perceber a estabilidade, a robustez dessa solução, colocando em produção talvez em um bairro ou em alguma das localidades que a Algar Telecom atende”, revelou Melo ao participar, nesta quinta, 17/6, do e-Fórum Open RAN, promovido pela Network Eventos.

Split, no caso, é o tipo de arquitetura prevista nas padronizações do Open RAN. Por Split, ou divisão, aponta-se uma diferenciação das estruturas ‘monolíticas’ que são implementadas com a contratação de grandes fabricantes de equipamentos. Como explica o diretor de tecnologia da Algar, o Split 2 envolve serviços de dados, que acredita estar mais avançado e capaz de entrar em operação efetiva no futuro próximo.

“Estamos desde o final de 2019 trabalhando com o TIP [Telecom Infra Project], com todo o ecossistema. É uma mudança de realidade. A gente trabalha tradicionalmente ou com a Huawei, ou com a Nokia ou com a Ericsson, e só nessa prova de conceito temos oito fornecedores diferentes – e é claro que com um integrador que ajuda muito. E isso traz uma série de vantagens. Mas também é muito mais complexo. Antes o que se tratava com um único vendor, agora depende da interface. Na parte de serviços de dados já temos uma maturidade bastante razoável. No Split 7, a outra versão que estamos trabalhando, ainda tem alguns ajustes, especialmente no que diz respeito à parte de voz.”


Internet Móvel 3G 4G
Movile vai às compras com novo aporte de investidor global

Grupo global de Internet, Prosus, é o principal investidor da desenvolvedora de negócios como iFood, MovilePay, PlayKids, Afterverse, Sympla e Zoop, e completou o aporte de R$ 1 bilhão não empresa nacional. Games entram na mira.

Wi-Fi 6E Brasil 2021 - Cobertura especial - Editora ConvergenciaDigital

Wi-Fi 6E: o futuro da infraestrutura do Wi-Fi

As faixas de 2,4 GHz e de 5 GHz estão congestionadas no Brasil e torna-se urgente ter mais frequência por mais capacidade e eficiência, afirma o chefe de Tecnologia da CommScope para Caribe e América Latina, Hugo Ramos.

Veja mais matérias deste especial

Teles sugerem prêmio às cidades que facilitarem antenas de 5G

Ideia é copiar marco legal do saneamento e pontuar os municípios com regras amigáveis à telecom em ranking de acesso a recursos públicos e convênios. 

Anatel adia decisão sobre uso de ‘white spaces’

Proposta prevê uso secundário e por dispositivos de radiação restrita do espectro ocioso nas faixas de 54 a 72 MHz, 174 a 216 MHz, 470 a 608 MHz, 614 a 698 MHz. 

TIM convoca rivais para brigar por propaganda com Google e Facebook

Os planos de uma carteira digital única não andaram como o desejado, mas a TIM almeja uma plataforma única de publicidade. “Se nos reunirmos podemos competir com Google e Facebook em um mercado muito maior”, vislumbra o presidente Pietro Labriola. 

Embratel se diz pronta para migrar antenas parabólicas de Banda C para a banda KU

Empresa assegura ter todas as condições para atender aos radiodifusores brasileiros e, em breve, terá o Star One D2, que terá 28 transponders em Banda C, 24 transponders em Banda Ku, um payload em Banda Ka, além de Banda X para uso militar. 




  • Copyright © 2005-2021 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G