SEGURANÇA

Microsoft apaga base de dados com 10 milhões de fotos usadas para treinar reconhecimento facial

Convergência Digital ... 07/06/2019 ... Convergência Digital

A Microsoft apagou uma base de dados com 10 milhões de fotos de 100 mil pessoas de todo o mundo que estaria sendo utilizada para treinar sistemas de reconhecimento facial. Trata-se da MS Celeb, desenvolvida em 2016 para ser um repositório de imagens de celebridades, mas esse é um conceito que se mostrou flexível. 

Segundo o pesquisador americano radicado em Berlim Adam Harvey, um dos responsáveis pelo projeto Megapixels, celebridades para essa base de dados podem ser “jornalistas, artistas, músicos, ativistas, criadores de políticas, escritores e acadêmicos”.  Ele também alerta que apesar do movimento da Microsoft, parte do material ainda pode ser acessado pelo Github.

Na prática o MS Celeb é a terceira base de dados de fotografias retiradas da internet – ou quase – a partir da divulgação de suas existências no Megapixels. Primeiro foram a ‘Brainwash’,  de um café na cidade de San Francisco, e a Duke MTMC [de Multi-Target, Multi-Camera], o sistema de câmeras de vigilância da Univesidade de Duke, em Durham, ambas nos Estados Unidos. 

O projeto Megapixels se propõe a investigar as implicações éticas e os efeitos sobre a privacidade individual de bancos de dados utilizados por sistemas de reconhecimento facial e como tudo isso alimenta o uso crescente de tecnologias de vigilância com uso de dados biométricos. 

As informações da Megapixels sobre a MS Celeb foram primeiro divulgadas pelo jornal britânico Financial Times e ganharam o mundo. Não por menos, a Microsoft tirou a página do ar, sem alarde. Assim como outras bases de dados – algumas identificadas pelo projeto, mas ainda ativas – esses repositórios alimentam sistemas de aprendizado de máquina em reconhecimento facial e foram usadas, pelo menos, por duas empresas SenseTime e Megvii. 


Zoom é isca em 99% dos ataques com ferramentas de ensino online

Segundo levantamento das empresas de segurança Kaspersky, em todo o mundo invasões desse tipo cresceram 20.000%. Brasil é o quinto país mais atacado. 

Ataques de phising crescem 600% na AL. Netflix é o alvo dos hackers

Campanha em nome da OTT se distribui por meio de um e-mail com o assunto "Alerta de notificação". A mensagem informa sobre uma suposta dívida acumulada em nome da vítima que pode levar à suspensão do serviço caso não sejam tomadas medidas rápidas.

Prejuízo médio com violação de dados sobe para R$ 5,8 milhões no Brasil

Estudo da IBM mostra que o aumento no valor foi de 10,5% em relação a 2019. O levantamento traz uma advertência: aumentou o prazo para contenção do vazamento nas empresas para 115 dias. Credenciais roubadas ou nuvens com configurações incorretas foram as brechas para as invasões.

Segurança digital faz Oi ultrapassar a marca de 125 mil elementos monitorados em SOCs

SOCs, localizados no Rio de Janeiro e São Paulo, dão suporte à jornada digital de clientes públicos e privados e registrou um crescimento de 132% nas vendas de serviços gerenciados voltados à transformação digital.



  • Copyright © 2005-2020 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G