Convergência Digital - Home

Com a nuvem, órgãos públicos incorporam novas tecnologias ao dia a dia

Convergência Digital
Ana Paula Lobo, Luís Osvaldo Grossmann e Pedro Costa - 04/11/2019

Especial - Mesa Redonda - Computação em Nuvem e o impacto nos serviços governamentais - Convergencia Digital

A administração pública federal brasileira reúne 192 órgãos e a implantação de ferramentas de computação em nuvem no processo de transformação digital do Estado evidencia a flexibilidade tecnológica capaz de atender as mais diferentes realidades e prioridades dos sistemas de tecnologia da informação de governo. 

E, ainda, se as motivações para o uso inicial da nuvem podem ser tão distintas como necessidade de armazenamento escalável, redundância e segurança, ou para habilitar instrumentos de inteligência artificial, o uso efetivo amplia rapidamente o leque de opções independentemente da instituição. 

Ao discutirem a importância da tecnologia, estratégias de implementação, dúvidas de migração e até temas de segurança da informação, gestores que estão diretamente envolvidos na transformação digital apontam caminhos, vantagens e dilemas da jornada digital. Lições que continuam a ser divulgadas pelo Convergência Digital.

Polícia Rodoviaria Federal: IA e a criação de um cadastro nacional de acidentes de trânsito 

A adoção da nuvem pública motivada pela infraestrutura como serviço já deriva para projetos inovadores com uso de inteligência artificial na Polícia Rodoviária Federal. “Queremos oferecer serviços melhores”, resume o chefe de Infraestrutura e Serviços de TI da PRF, Fabio Williams de Sousa. 

“Já estamos estudando também novas aplicações e como atuar no formato ‘multiagências’, compartilhando nossas aplicações com estados e municípios para um gerar um grande banco de dados sobre acidentes de trânsito, não só nas rodovias federais, mas nos estados e nos municípios.”

Da pressão por storage à melhorias na gestão e no negócio

O salto para a nuvem foi a maneira mais rápida do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Piauí responder a uma necessidade urgente: capacidade crescente de armazenamento diante do esgotamento do sistema legado on premises. Mas que abriu amplas e novas possibilidades, como aponta o diretor de tecnologia de informação do IFPI, Eduílson Carneiro.

“Nossa ida à nuvem foi motivada muito por uma necessidade urgente, de falta de infraestrutura. Mas a partir do momento que tem esses sistemas, aproveitar toda a oferta de serviços. Desde data science no processo de tomada de decisão ao uso de inteligência artificial para educação e aprendizagem, no acompanhamento dos alunos, por exemplo.”

Brasil terá acervo do patrimônio histórico acessível pela nuvem

O que começou com o atendimento imediato em segurança e resiliência, superando o risco concreto de falhas por inexistência de backup, tem tudo pra se transformar em um grande projeto de digitalização de todo o acervo do patrimônio histórico e artístico nacional. 

“Estamos no processo imediatista de disaster recovery. Ter um único datacenter em um único local é um pontos de falha. E a nuvem é a primeira grande solução para esse problema. Mas o Iphan, instituição da salvaguarda do patrimônio histórico nacional, documental e iconográfico, pode se beneficiar da escalabilidade. É um acervo rico e há a intenção de disponibilizar ao público, o que hoje acontece apenas com uma fração”, diz o coordenador de TI do Iphan, Sérgio Porto Carneiro.

Ideia é partilhar transformação digital com estados e municípios

A transformação digital trilhada pelo governo federal deve decantar para estados e municípios, com aproveitamento das experiências e compartilhamento de ferramentas. É a ideia por trás da Rede Gov.Br, que além de repositório de todas as soluções digitais da administração federal aceita adesões de estados e municípios. 

“O projeto é trazer a participação de estados e municípios para todas as ações que a gente tem feito de transformação digital. Minas Gerais e São Paulo levaram nosso processo de nuvem atual para estudar e estão perto de licitar. E a gente tem tido adesões à Rede Gov.Br. Até o final do governo o portal terá não só todos os serviços federais, mas estaduais e municipais também”, diz o diretor da Secretaria de Governo Digital, Merched Oliveira.

Veja o especial completo

Especial - Mesa Redonda - Computação em Nuvem e o impacto nos serviços governamentais - Convergencia Digital


Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Desafio nacional: identificar os dados efetivamente valiosos ao negócio

Pesquisa da IDC mostra que quase a metade companhias pesquisadas no Brasil admitiu ter dificuldade para encontrar talentos e recursos responsáveis pelas análises das informações.

Destaques
Destaques

Quase metade das empresas vai investir em edge computing na América Latina

Pesquisa da IDC Brasil, realizada para a Oi Soluções, revela ainda que 66% das empresas deverão ativar digitalmente seus modelos operacionais e terão o trabalho remoto incluído de forma permanente em suas políticas de recursos humanos.

Eletrobras contrata Analytics para acelerar jornada digital

Estatal, responsável por 1/3 da capacidade elétrica do Brasil, quer usar os dados para manter as melhores práticas de governança e investir em IoT, chatbots e robôs.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem pública?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site